Risco elevado de derrocada em 30% das praias no Algarve

A seguir à tragédia da praia Maria Luísa, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) procedeu a 16 derrocadas controladas e reforçou a sinalização para evitar que se repetissem ocorrências semelhantes.

Passados cerca dois meses, sem aviso prévio, na praia de Santa Eulália, contígua à Maria Luísa, desabou um rochedo com dez metros de altura e cinco de largura. As arribas e grutas do litoral do barlavento algarvio são frágeis, por natureza, e não há maneira de as segurar. Mais tarde ou mais cedo estão condenadas a desabar.

O então diretor da APA, Sebastião Teixeira, num relatório apresentado em 2009, diz que a “imprevisibilidade e carácter instantâneo” do desmoronamento tem características “muito idênticas aos perigos associados aos sismos“, de acordo com o Público.

Podem ser tomadas medidas preventivas, mas não se consegue prever o colapso. A título de exemplo, refere uma derrocada na praia do Canavial (Lagos) em junho de 1997, que só por sorte não causou mortes.

Tudo começou com uns pequenos blocos a deslizarem de uma arriba com 40 metros de altura. As três dezenas de pessoas que estavam a jantar saíram do restaurante, aos primeiros sinais de alarme. A seguir, deu-se um movimento de massas com 30 toneladas e o estabelecimento desapareceu.

A praia Maria Luísa, encontra-se catalogada com vulnerabilidade “elevada” e “muito elevada”. A radiografia é feita por Óscar Ferreira e Alveirinho Dias, investigadores da Universidade do Algarve, numa nota pública, divulgada a seguir à tragédia, em 2009. Quando a maré sobe, os banhistas aconchegam-se junto às rochas e os sinais de “queda de blocos” são ignorados.

A APA informou que a Administração da Região Hidrográfica (ARH) “não levantou qualquer auto sobre a permanência em zonas sinalizadas como zonas de risco”, pela simples razão de que “não existem zonas interditas no litoral algarvio”.

Óscar Ferreira e Alveirinho Dias defendem que o Estado “não pode eliminar (ou, pelo menos, minimizar fortemente) todos os riscos, sem coarctar de forma perigosa e quiçá inaceitável as liberdades individuais”. Os alertas para as situações de “perigo” devem fazer parte do conjunto de informação a dar aos cidadãos, para que sejam “responsáveis” pelos seus atos.

“Não é credível nem aceitável que a solução passe pela interdição sistemática de praias”, já que na região, enfatizam: “30% das praias do Algarve rochoso possuem vulnerabilidade muito elevada”. Porém, deixam alguns alertas que podem interferir na segurança das escarpas: “construção no topo das arribas e o trânsito de veículos”.

Na praia Maria Luísa, pode-se observar um quadro bem diferente. Mesmo por cima da escarpa que ruiu, estão construídas seis vivendas com relvados.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. As pessoas têm de começar a abraçar as conceitos de liberdade e responsabilidade com mais maturidade. O que isto quer dizer com tantas “dades” é que o Estado deve colocar avisos claros em letras garrafais à entrada das praias a dizer qual o perigo e que se as pessoas o querem correr, é por sua conta e risco. Depois se ficarem esborrachadas, paciência… Não foi falta de aviso.

    As pessoas não têm de ser infantilizadas e “protegidas” com proibições. Liberdade implica responsabilidade. Senão daqui a bocado é melhor proibir as pessoas de respirarem pra prevenir o cancro do pulmão.

RESPONDER

Se quer um coração saudável, desligue a televisão e tome um bom pequeno-almoço

É conhecida como a refeição mais importante do dia e não é por acaso. Os hábitos de vida que seguimos diariamente têm um impacto direto na nossa saúde vascular. Numa investigação recentemente apresentada na reunião anual …

Determinada temperatura das bebidas que aumenta risco de cancro

Cientistas da Universidade de Ciências Médicas de Teerão publicaram novas provas sobre a relação entre o consumo de bebidas quentes e o cancro do esófago. De acordo com o estudo publicado na revista International Journal of …

Descobertos 83 buracos negros supermassivos no Universo inicial

Astrónomos do Japão, de Taiwan e dos EUA descobriram 83 quasares alimentados por buracos negros supermassivos no universo distante, numa época em que o Universo tinha menos de 10% da sua idade atual. "É notável que …

Joy Milne consegue cheirar a doença de Parkinson antes de ser diagnosticada

Atualmente, não existe nenhum teste diagnóstico definitivo para o Parkinson, mas isso pode mudar graças a Joy Milne, uma mulher que consegue detetar a doença antes que os sintomas apareçam. Parece demasiado bizarro para ser verdade, …

Filho de José Eduardo dos Santos libertado da prisão. Estava preso desde setembro de 2018

O antigo presidente do Fundo Soberano de Angola, José Filomeno dos Santos, que se encontrava em prisão preventiva desde 24 de setembro de 2018, encontra-se já em liberdade, disse hoje à agência Lusa fonte oficial. A …

Naufrágio no Nilo é a primeira prova de que Heródoto não estava a mentir sobre os barcos egípcios

Um navio naufragado encontrado no rio Nilo pode ter permanecido inalterado durante mais de 2.500 anos. Agora, está finalmente a revelar os seus segredos: cientistas pensam que este navio revelou uma estrutura cuja existência tem …

A gravidade influencia a maneira como tomamos decisões

Todo e qualquer organismo vivo na Terra evoluiu a longo de milhares de anos sob um campo gravitacional constante, com a gravidade desempenhando um papel fundamental no comportamento e na cognição humana. Um estudo recente publicado …

"Atentado" na Disneyland Paris era apenas uma avaria nas escadas rolantes

Por volta das 21h00 em Paris, produziu-se um movimento de pânico na Disney Village, no parque de diversões francês da Disney. Rapidamente se multiplicaram mensagens sobre um "atentado". Ao jornal belga DH, uma fonte afirmou que …

Cientistas alargam limites físicos do grafeno

Até onde vão os limites físicos do grafeno? Uma equipa de cientistas do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga, respondeu a esta questão e desafiou-os. Uma equipa de investigadores dos Departamentos de Materiais Quânticos …

Ilusionista britânico diz que vai travar o Brexit com o poder da mente

Uri Geller é um ilusionista israelista, com nacionalidade britânica, que se tornou famoso nos anos 1970 em programas de televisão em que realizava demonstrações dos seus alegados poderes paranormais. Agora, Geller deixa um aviso a Theresa …