Risco elevado de derrocada em 30% das praias no Algarve

A seguir à tragédia da praia Maria Luísa, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) procedeu a 16 derrocadas controladas e reforçou a sinalização para evitar que se repetissem ocorrências semelhantes.

Passados cerca dois meses, sem aviso prévio, na praia de Santa Eulália, contígua à Maria Luísa, desabou um rochedo com dez metros de altura e cinco de largura. As arribas e grutas do litoral do barlavento algarvio são frágeis, por natureza, e não há maneira de as segurar. Mais tarde ou mais cedo estão condenadas a desabar.

O então diretor da APA, Sebastião Teixeira, num relatório apresentado em 2009, diz que a “imprevisibilidade e carácter instantâneo” do desmoronamento tem características “muito idênticas aos perigos associados aos sismos“, de acordo com o Público.

Podem ser tomadas medidas preventivas, mas não se consegue prever o colapso. A título de exemplo, refere uma derrocada na praia do Canavial (Lagos) em junho de 1997, que só por sorte não causou mortes.

Tudo começou com uns pequenos blocos a deslizarem de uma arriba com 40 metros de altura. As três dezenas de pessoas que estavam a jantar saíram do restaurante, aos primeiros sinais de alarme. A seguir, deu-se um movimento de massas com 30 toneladas e o estabelecimento desapareceu.

A praia Maria Luísa, encontra-se catalogada com vulnerabilidade “elevada” e “muito elevada”. A radiografia é feita por Óscar Ferreira e Alveirinho Dias, investigadores da Universidade do Algarve, numa nota pública, divulgada a seguir à tragédia, em 2009. Quando a maré sobe, os banhistas aconchegam-se junto às rochas e os sinais de “queda de blocos” são ignorados.

A APA informou que a Administração da Região Hidrográfica (ARH) “não levantou qualquer auto sobre a permanência em zonas sinalizadas como zonas de risco”, pela simples razão de que “não existem zonas interditas no litoral algarvio”.

Óscar Ferreira e Alveirinho Dias defendem que o Estado “não pode eliminar (ou, pelo menos, minimizar fortemente) todos os riscos, sem coarctar de forma perigosa e quiçá inaceitável as liberdades individuais”. Os alertas para as situações de “perigo” devem fazer parte do conjunto de informação a dar aos cidadãos, para que sejam “responsáveis” pelos seus atos.

“Não é credível nem aceitável que a solução passe pela interdição sistemática de praias”, já que na região, enfatizam: “30% das praias do Algarve rochoso possuem vulnerabilidade muito elevada”. Porém, deixam alguns alertas que podem interferir na segurança das escarpas: “construção no topo das arribas e o trânsito de veículos”.

Na praia Maria Luísa, pode-se observar um quadro bem diferente. Mesmo por cima da escarpa que ruiu, estão construídas seis vivendas com relvados.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. As pessoas têm de começar a abraçar as conceitos de liberdade e responsabilidade com mais maturidade. O que isto quer dizer com tantas “dades” é que o Estado deve colocar avisos claros em letras garrafais à entrada das praias a dizer qual o perigo e que se as pessoas o querem correr, é por sua conta e risco. Depois se ficarem esborrachadas, paciência… Não foi falta de aviso.

    As pessoas não têm de ser infantilizadas e “protegidas” com proibições. Liberdade implica responsabilidade. Senão daqui a bocado é melhor proibir as pessoas de respirarem pra prevenir o cancro do pulmão.

RESPONDER

Rebelião nos Açores. PSD quer círculo eleitoral próprio nas Europeias

Depois de João Mota Amoral figurar no oitavo lugar da lista da direção nacional do partido às europeias, o PSD-Açores confirmou que não vai fazer campanha. Além disso, Sabrina Furtado, secretária geral do PSD-Açores garante …

Vídeos da Momo causam pânico no Brasil

Pais e mães angustiados debateram intensamente, durante os últimos dias, vídeos infantis que teriam sido "invadidos" pela temida personagem Momo que, supostamente, ensinariam as crianças a usar objectos cortantes em casa para praticarem actos suicidas. Grupos …

Madeira chega a acordo com enfermeiros na recuperação do tempo de serviço

O governo regional da Madeira chegou a acordo com os enfermeiros. O pagamento da verba correspondente aos anos em que o tempo de serviço destes profissionais esteve congelado começa já em maio e prolonga-se até …

Entre a "revolução" e a "bomba eleitoral", Costa amuou

A redução no preço dos passes sociais, que está a ser apontada pelo PSD como uma "bomba eleitoral" do Governo socialista, marcou o debate quinzenal no Parlamento, com António Costa a defender-se, notando que a …

Centeno atira-se ao CDS e acusa-o de "aproveitamento político"

O Ministro das Finanças, Mário Centeno, respondeu ao pedido de audição do CDS a propósito dos impostos europeus e aproveitou a oportunidade para atacar os centristas. Mário Centeno enviou uma carta ao Parlamento, nomeadamente à Secretaria …

PSD acusa Governo de baixar preços dos passes sem ter os transportes

O PSD acusou hoje o Governo de apresentar a redução dos preços dos passes apenas para Lisboa e Porto e sem aumentar os transportes, com o primeiro-ministro a responder que os sociais-democratas são simplesmente contra …

Venezuela, promessas e (muitos) elogios: Trump e Bolsonaro foram feitos um para o outro

Não faltaram sorrisos, elogios nem promessas de cooperação. Os Presidentes das duas maiores economias da América concentraram as atenções na Venezuela. Enquanto Trump prometeu dar apoio à entrada do Brasil na OCDE e na NATO, …

Proposta do PS sobre propaganda política só tem efeitos em 2020

O PS apresentou esta terça-feira um projeto de lei no Parlamento para "clarificar" qual a propaganda política que se pode fazer no período pré-eleições. No entanto, no que toca a 2019, as novas regras - a …

Abertura de barragens pode agravar tragédia em Moçambique. Búzi a horas de ser engolida

Depois do ciclone Idai, há duas novas ameaças na zona da Beira: a abertura das comportas de barragens no Zimbabué e as fortes chuvas que se aproximam. O Zimbabué admite vir a abrir as comportas das …

Ordem dos Médicos contra consultas por telemóvel

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, afirma ter reservas em relação a consultas por telemóvel, a começar pelo facto de lhe chamarem consultas. Esta terça-feira, arrancou em Lisboa a maior cimeira nacional de tecnologia …