Risco elevado de derrocada em 30% das praias no Algarve

A seguir à tragédia da praia Maria Luísa, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) procedeu a 16 derrocadas controladas e reforçou a sinalização para evitar que se repetissem ocorrências semelhantes.

Passados cerca dois meses, sem aviso prévio, na praia de Santa Eulália, contígua à Maria Luísa, desabou um rochedo com dez metros de altura e cinco de largura. As arribas e grutas do litoral do barlavento algarvio são frágeis, por natureza, e não há maneira de as segurar. Mais tarde ou mais cedo estão condenadas a desabar.

O então diretor da APA, Sebastião Teixeira, num relatório apresentado em 2009, diz que a “imprevisibilidade e carácter instantâneo” do desmoronamento tem características “muito idênticas aos perigos associados aos sismos“, de acordo com o Público.

Podem ser tomadas medidas preventivas, mas não se consegue prever o colapso. A título de exemplo, refere uma derrocada na praia do Canavial (Lagos) em junho de 1997, que só por sorte não causou mortes.

Tudo começou com uns pequenos blocos a deslizarem de uma arriba com 40 metros de altura. As três dezenas de pessoas que estavam a jantar saíram do restaurante, aos primeiros sinais de alarme. A seguir, deu-se um movimento de massas com 30 toneladas e o estabelecimento desapareceu.

A praia Maria Luísa, encontra-se catalogada com vulnerabilidade “elevada” e “muito elevada”. A radiografia é feita por Óscar Ferreira e Alveirinho Dias, investigadores da Universidade do Algarve, numa nota pública, divulgada a seguir à tragédia, em 2009. Quando a maré sobe, os banhistas aconchegam-se junto às rochas e os sinais de “queda de blocos” são ignorados.

A APA informou que a Administração da Região Hidrográfica (ARH) “não levantou qualquer auto sobre a permanência em zonas sinalizadas como zonas de risco”, pela simples razão de que “não existem zonas interditas no litoral algarvio”.

Óscar Ferreira e Alveirinho Dias defendem que o Estado “não pode eliminar (ou, pelo menos, minimizar fortemente) todos os riscos, sem coarctar de forma perigosa e quiçá inaceitável as liberdades individuais”. Os alertas para as situações de “perigo” devem fazer parte do conjunto de informação a dar aos cidadãos, para que sejam “responsáveis” pelos seus atos.

“Não é credível nem aceitável que a solução passe pela interdição sistemática de praias”, já que na região, enfatizam: “30% das praias do Algarve rochoso possuem vulnerabilidade muito elevada”. Porém, deixam alguns alertas que podem interferir na segurança das escarpas: “construção no topo das arribas e o trânsito de veículos”.

Na praia Maria Luísa, pode-se observar um quadro bem diferente. Mesmo por cima da escarpa que ruiu, estão construídas seis vivendas com relvados.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. As pessoas têm de começar a abraçar as conceitos de liberdade e responsabilidade com mais maturidade. O que isto quer dizer com tantas “dades” é que o Estado deve colocar avisos claros em letras garrafais à entrada das praias a dizer qual o perigo e que se as pessoas o querem correr, é por sua conta e risco. Depois se ficarem esborrachadas, paciência… Não foi falta de aviso.

    As pessoas não têm de ser infantilizadas e “protegidas” com proibições. Liberdade implica responsabilidade. Senão daqui a bocado é melhor proibir as pessoas de respirarem pra prevenir o cancro do pulmão.

RESPONDER

TAP regista prejuízos de 111 milhões de euros até setembro

A TAP registou, nos primeiros nove meses deste ano, prejuízos acumulados de 111 milhões de euros que atribui a "variações cambiais sem impacto na tesouraria". "A TAP S.A. apurou um prejuízo acumulado, nos primeiros nove meses …

Coreia do Norte não está interessada em mais cimeiras com os EUA

A Coreia do Norte advertiu, esta segunda-feira, que "não está interessada" em mais cimeiras com os Estados Unidos, se Washington persistir na recusa em fazer concessões. A Coreia do Norte deu a Washington até ao final …

Refugiado detido que escreveu um livro pelo Whatsapp conquista a liberdade

O jornalista e escritor curdo-iraniano Behrouz Boochani, que estava detido há seis anos num centro de imigrantes na Austrália, conquistou a liberdade. Boochani escreveu, através de mensagens da rede social Whatsapp, o livro “No Friend But …

Pinto Luz não se resigna a disputar "campeonato dos pequeninos"

O candidato à liderança social-democrata afirmou, esta segunda-feira, não se resignar a um partido que disputa o "campeonato dos pequeninos" ou é "uma segunda escolha do PS", pedindo a "quem não gosta deste PSD" que …

Militares portugueses já salvaram mais de 14 mil migrantes no Mediterrâneo

Marinha, Polícia Marítima e Unidade de Controlo de Costa da GNR, ao serviço da agência Frontex, no sul de Espanha e de Itália, já resgataram 14.151 migrantes no Mediterrâneo desde 2014. As equipas militares portuguesas, a …

Estudantes de Medicina dizem adeus ao "terrível" Harrison

Mais de 2.700 recém-licenciados de Medicina realizaram, esta segunda-feira, a Prova Nacional de Acesso (PNA), que substitui o "terrível" Harrison. Esta segunda-feira, mais de 2.700 candidatos responderam pela primeira vez a 150 questões da Prova Nacional …

Vítimas de legionella de Vila Franca de Xira reclamam 2,6 milhões ao Estado

A Associação de Apoio às Vítimas do Surto de Legionella de Vila Franca de Xira reclama uma indemnização de 2,6 milhões de euros por falhas e omissões de entidades públicas em relação às vítimas que ficaram …

Pelo menos três mortos em tiroteio em supermercado no Oklahoma

Pelo menos três pessoas morreram, esta segunda-feira, num tiroteio num supermercado da cadeia Walmart em Duncan, cidade do Estado norte-americano Oklahoma. O responsável da polícia de Duncan, Danny Ford, citado pela televisão local TNN-ABC, indicou que …

Benfica tem 125 jogadores com contrato profissional. Sporting tem 123 e o FC Porto só 80

O Benfica tem assinado contratos profissionais com cada vez mais jogadores, ao longo dos últimos anos. Actualmente, o clube da Luz tem contrato com 125 atletas. O Sporting está lá perto, com vínculos profissionais com …

Rússia está a negociar a troca de espiões ao estilo do que acontecia na Guerra Fria

A Rússia, a Noruega e a Lituânia realizaram recentemente uma troca de espiões, garantindo o retorno de vários agentes capturados aos seus países de origem. De acordo com chefe da contrainteligência lituana, citado pelo Moscow Times, …