Rio alerta para “claro divórcio entre a sociedade portuguesa e os partidos políticos”

Fernando Veludo / Lusa

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio

O presidente do PSD, Rui Rio, disse ontem, em Paredes, no distrito do Porto, haver “um divórcio entre a sociedade e os partidos”, defendendo que só uma maior “abertura” das estruturas às “pessoas” pode inverter a situação.

“Há um claro divórcio entre a sociedade portuguesa e os partidos políticos, entre os quais o PSD. Temos de assumir essa verdade e não enfiar a cabeça na areia” afirmou, acrescentando: “Temos de trazer a sociedade para o partido”.

Falando num encontro com militantes, na qualidade de candidato à liderança nacional do PSD, Rui Rio disse que a promoção de uma maior abertura à sociedade é uma das três prioridades da sua proposta aos militantes.

“Nenhum partido escapa à fragmentação se não fizer a aproximação à sociedade”, reforçou, enquanto defendia a importância de o Conselho Estratégico Nacional estender a sua ação a todo o país, o que, admitiu, ainda não foi possível realizar.

A segunda linha de força, referiu o líder social-democrata, é trabalhar para recuperar a implantação do partido ao nível autárquico, condição que considerou essencial para o PSD reforçar a sua importância no contexto partidário e evitar a fragmentação dos votos que dificultam as soluções de governação, como aconteceu em Espanha, lembrou.

A terceira ideia reforçada pelo presidente do partido, num discurso virado para dentro do PSD, mas sem referência direta aos adversários, é o trabalho de “oposição credível” que disse querer continuar a realizar.

Rui Rio criticou a “oposição do bota-abaixo, como nas massas associativas dos clubes”, insistindo na necessidade de uma “oposição construtiva” baseada “no conteúdo das propostas dos outros”.

“Temos de ser capazes de criticar, denunciar, que é o mais fácil, obrigar o Governo a fazer bem o que está mal e apresentar alternativas“, afirmou.

Para o dirigente social-democrata, esse será o caminho para o PSD “cimentar” junto do eleitorado, a sua posição e “estar em condições de governar e fazer melhor que o PS”.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Senhor Rui Rio diga antes por nossa culpa a sociedade portuguesa deixou de acreditar e confiar nos políticos, em campanhas não os esclarecemos das nossas propostas e de como as realizar, passamos o tempo a falar uns dos outros a sociedade cansou-se dessa conversa, também não temos dados bons exemplos de como somos honestos, prometemos uma coisa depois chegados ao governo e ás autarquias fazemos tudo diferente do que prometemos, são os políticos é que têm de mudar para a sociedade voltar a acreditar e confiar nos políticos, e fica-lhe mal falar em nome da sociedade quando os políticos estão no governo empregam os boys e as suas clientelas esquecem-se que na sociedade há pessoas competentes e que queriam fazer o melhor por Portugal, mas que os políticos os “afastam.”

RESPONDER

Epidemiologista chefe da DGS abandona cargo. Saída foi "programada"

A chefe da divisão de Epidemiologia e Estatística da Direção-Geral da Saúde, Rita Sá Machado, vai integrar a equipa da Missão Permanente de Portugal junto dos Organismos e Organizações Internacionais das Nações Unidas, em Genebra. A …

"É com Vieira que o FC Porto consegue tirar a final da Taça do Jamor"

Rui Gomes da Silva, candidato à presidência do Benfica, apontou baterias ao atual presidente das águias, Luís Filipe Vieira, poucas horas depois de a Federação Portuguesa de Futebol ter anunciado que a final da Taça …

Rui Rio propôs fim dos debates quinzenais sem consultar deputados

A bancada do PSD só recebeu as propostas do partido para alterar o regimento da Assembleia da República mais de 24 horas depois do anúncio feito por Rui Rio, na terça-feira, no Porto. Rui Rio, líder …

TAP escapa à nacionalização. Estado assume controlo com 72,5% da companhia

O Estado e os acionistas privados da TAP estão perto de chegar a acordo, devendo a companhia aérea escapar à nacionalização. Ainda não há fumo branco, mas o acordo sobre o futuro da TAP deverá …

Encontradas 115 crianças enterradas com moedas na boca na Polónia

Trabalhadores que construíam uma nova estrada na Polónia encontraram os restos de 115 corpos de crianças enterras com moedas na boca. Durante os trabalhos de construção de uma autoestrada em Jezowe, na Polónia, trabalhadores descobriram restos …

À frente de Figo, Futre e Ronaldo. Joelson é o terceiro mais novo de sempre a estrear-se pelo Sporting

O Sporting venceu esta quinta-feira na receção ao Gil Vicente, por 2-1, no jogo de encerramento da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol. A partida marcou também a estreia do jovem extremo Joelson …

Austrália pondera dar refúgio a quem abandone Hong Kong

O primeiro-ministro australiano disse esta quinta-feira que o Governo está a ponderar dar refúgio aos residentes de Hong Kong que desejem abandonar a ex-colónia britânica devido à nova lei de segurança nacional imposta por Pequim. Scott …

Vieira ainda sonha com Jesus (e a Libertadores pode ajudar no regresso)

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, não desistiu de voltar a colocar Jorge Jesus no comando técnico da equipa da Luz e, caso a Taça dos Libertadores não seja realizada, o regresso do treinador …

Marta Temido garante que não há descontrolo em Lisboa (mas assume falhas)

Em entrevista à RTP, a ministra da Saúde garantiu que não há "descontrolo" na evolução da pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, mas sublinhou que se trata de uma "situação de sobressalto, …

A genética ajuda a determinar o quão afetuosas são as mulheres (mas não os homens)

A genética desempenha um papel importante no nível de afetividade das mulheres, mas o mesmo não acontece entre os homens, concluiu uma nova investigação científica levada a cabo com gémeos. Na nova investigação, recentemente publicada …