Ricardo Robles deixa o Bloco de Esquerda e o cargo de vereador

Mário Cruz / Lusa

Ricardo Robles não resistiu à polémica em torno do prédio que adquiriu em Alfama, Lisboa, e renunciou aos cargos de vereador na Câmara de Lisboa e de membro da Comissão Coordenadora da Concelhia de Lisboa do Bloco de Esquerda.

O anúncio da saída de Robles é feito por via de um comunicado publicado no site bloquista Esquerda.net, onde o político do Bloco fala de “uma opção privada, forçada por constrangimentos familiares“.

Robles diz que o caso do prédio que adquiriu em Alfama por 347 mil euros e que, depois de revitalizado, foi posto à venda por 5,7 milhões de euros, criou “um problema político real” e “um enorme constrangimento” à sua “intervenção como vereador”.

“Esta é uma decisão pessoal que tomo com o objectivo de criar as melhores condições para o prosseguimento da luta do Bloco pelo direito à cidade”, destaca ainda. Uma saída que se torna inevitável depois das críticas que surgiram ao vereador que, além do prédio em Alfama, é proprietário de outros imóveis em Lisboa.

Contra os princípios do Bloco

Um dos fundadores do BE, Luís Fazenda, reconhece que o caso vai contra os princípios do partido. “São circunstâncias que, no Bloco de Esquerda, nós condenamos e que levam à gentrificação”, afiança o membro da Comissão Política do BE em declarações divulgadas no jornal i. “Tem de se fazer uma reflexão e tirar conclusões“, conclui.

Por outro lado, a líder do Bloco, Catarina Martins, manteve a defesa do vereador, considerando que “a notícia foi mal contada” e que Robles “não ganhou nada” porque a venda não chegou a ser feita.

Catarina Martins também acusa o PSD de “hipocrisia” e de “cinismo”, depois de os sociais-democratas terem pedido a demissão de Robles, lembrando o envolvimento de elementos do partido nos casos Vistos Gold e Operação Tutti Fruti.

“Em vez de tirar consequências das investigações de que está a ser alvo”, diz Catarina Martins, o PSD resolveu “perseguir o Bloco de Esquerda”.

Mas a explicação da líder bloquista é “deprimente” para Marques Mendes, que no seu habitual espaço de comentário de domingo à noite na SIC, sustenta que Catarina Martins “tentou defender o indefensável”. “É o pior momento político de Catarina Martins”, disse ainda o Conselheiro de Estado e antigo líder do PSD, defendendo que a líder bloquista deveria ter-se “demarcado” de Robles.

Marques Mendes notava ainda que este caso “foi um desastre para a carreira” de Robles e para “a imagem do Bloco de Esquerda”. “Não está ferido de morte, mas está ferido de asa e vai comprometer a sua carreira política”, considerava o comentador social-democrata antes da demissão de Robles, notando que “diz uma coisa e faz outra”.

“Não bate a bota com a perdigota”, reparava o ex-líder do PSD, lembrando que Robles “condena a especulação e pratica a especulação”. “É um exercício de incoerência e hipocrisia”, concluiu.

Robles atrasa declaração às Finanças

Outro dado a acrescentar à polémica revela que Robles demorou quase um ano a entregar nas Finanças a declaração a comunicar a realização das obras que valorizaram o imóvel. Um indicador que aumenta o valor a pagar de IMI.

Os contribuintes têm 60 dias para comunicar estas mudanças ao Fisco, mas Robles só o fez quase um ano depois, a 12 de Fevereiro de 2018, com atesta o Correio da Manhã (CM), quando as obras de requalificação foram concluídas em Março de 2017.

O CM nota que o Fisco ainda não corrigiu o Valor Patrimonial Tributável do Imóvel, pelo que o IMI do edifício ainda não foi actualizado.

PNR lança acção de ocupação ao prédio de Robles

Entretanto, o Partido Nacional Renovador (PNR) lançou uma iniciativa para ocupar o prédio da polémica. “Vamos ocupar o prédio do Robles” é o nome do evento lançado pelo PNR, partido de extrema direita, na rede social Facebook, no âmbito do caso que envolve o vereador bloquista.

A iniciativa de ocupação do prédio está marcada para terça-feira, 31 de Julho, às 12:30 horas.

O PNR lança a iniciativa com um apelo à luta “pela justiça e pela ética nos cargos públicos”. “Não toleramos esta constante pilhagem ao erário público por parte dos ‘pulhíticos’ do sistema, aldrabões e hipócritas, que se servem dos cargos em vez de servirem”, acrescenta o PNR que fala em Robles como um “político de Extrema-Esquerda-caviar”.

O prédio do vereador foi vandalizado no sábado à tarde com a inscrição “Aqui podia morar gente”, com o símbolo do Bloco de Esquerda (BE) ao lado.

ZAP //

PARTILHAR

54 COMENTÁRIOS

  1. Já foi tarde… Se existisse um pingo de verticalidade, de honestidade neste cavalheiro, já deveria ter-se demitido logo que entrou no “negócio”. Mas infelizmente desde a extrema-esquerda burguesa até à extrema-direita fascista, todos, sem excepção, praticam o contrário do que afirmam ser as suas ideologias políticas… E o Povo, que paga todas as mordomias destes pulhíticos, continua a alimentá-los, eleição, após eleição.

  2. Agora, senhor Robles já pode fazer o alojamento local ou vender o seu imóvel com essa brutal mais valia! Como é que o patrão do senhor Robles lhe vendeu o prédio tão barato é que, também, não se entende, talvez tenha sido a única proposta feita logo á abertura de um concurso comunicado num jornal local de um local pouco conhecido. Negócios desses é que não me aparecem! Por fim mas não tudo o que me vai nas ideias, o senhor Robles não pode estar nos dois carrinhos, ou é empregado ou é patrão!

  3. Acho que o homem esteve bem. Foi digno! Demitiu-se, problema sanado. Agora poderá continuar a ser especulador sem problemas morais ou de consciência. Será que o primeiro-ministro e o presidente da câmara de lisboa podem dizer o mesmo?

  4. Claro.. porque investir dinheiro é crime..
    Compra-se algo a cair.. gasta-se umas dezenas de milhares, para depois o dar?

    ganhem juizo…
    não reclamam nem perseguem quem realmente deviam.
    Ainda hoje, GALP aumenta lucros em 68%….

    Foco: o desgraçado do préido.
    Enfim.. é por isto que o nosso país não anda… somos todos limitados, e olhamos a politica como o futebol “eu voto naquele porque sou daquele ou sempre o fiz”..

    enfim.. somos incapazes de pensar pela nossa cabeça, e votar nalguem dum partido para uma coisa, e de outro partido para outra coisa, consoante aquilo que achamos melhor..

    nao..!! eu quando voto, só voto no partido X.
    SOMOS PEQUENINOS!! enfim..

    • O problema não é querer ganhar dinheiro. O problema é que esta mesma pessoa defende o fim / controlo da especulação na cidade de Lisboa?!!!!!! Com que moral é que o pode fazer se ele próprio é um especulador?!! Agora que saiu pode ser especulador à vontade… pelo menos até o seu ex-partido não legislar em sentido contrário.

      • Mesmo tendo olho para o negócio, o que é inegável, o homem luta politicamente para impossibilitar o tipo de negócios que, certamente, lhe garantiriam um futuro desafogado. É hipócrita por isso?
        Alguém que seja rico é hipócrita se politicamente lutar para que os da sua classe paguem mais impostos sem que, enquanto não o consegue, vá voluntariamente entregar ao fisco a diferença?

  5. É incrível a inveja de certas e determinadas pessoas, incluindo os meios de comunicação, que só por o homem ser de esquerda fazem-lhe uma perseguição destas. Se fosse de um dos partidos que normalmente ganham eleições estava tudo bem, mas como é do partido que é já todos têm o direito de o julgar e perseguir. Que cambada de invejosos! Digam lá se por ser de esquerda não se pode ser rico ou ter bens? Cambada de hipócritas…

    • Esclarecido? Acho que você precisa de ler novamente a notícia porque não entendeu patavina.
      Nem parece saber o que quer dizer “hipócrita”…

      • Pode esclarecer-nos onde está a hipocrisia? É que eu, sinceramente, não a vejo.
        O homem comprou um prédio que estava publicamente à venda, sem qualquer tipo de benefício ou informação privilegiada. Qualquer pessoa ou empresa com esse dinheiro (ou acesso a crédito) poderia igualmente tê-lo feito. Investiu na sua recuperação, e, concluída esta, pô-lo à venda pelo preço de mercado. Nem sequer pôs na rua nenhum velhinho para o vender melhor. Onde está a especulação?
        Especulação é manter fora do mercado por longos períodos de tempo um número significativo de imóveis para induzir uma escassez artificial que faça subir os preços, como fazem os fundos imobiliários. Especulação é manter prédios devolutos anos e anos sem os recuperar, apenas na perspectiva de ganhar dinheiro com a sua valorização sem mexer uma palha. Especulação (e com forte cheiro a crime) é comprar um terreno a 1,5 milhões e vendê-lo no próprio dia por 2 milhões, como fez o antigo deputado do PSD António Preto. Especulação é comprar acções da SLN num negócio privado só acessível a amigos e vendê-las com elevados lucros (antes de o BPN estourar no bolso dos contribuintes) sem mexer uma palha, como o nosso antigo presidente e os seus amigos do peito.
        Apesar de não ter feito nada de ilegal, nem sequer de imoral, Ricardo Robles demitiu-se para não prejudicar o partido. De facto, os políticos não são todos iguais.

    • Boa tarde “esclarecido”. Não se trata de inveja, nada disso. O mesmo comportamento por parte de um vereador do CDS ou do PSD não teria sido sequer noticia de rodapé, muito menos de critica e por fim demissão. Sabe porquê? Porque um vereador de esquerda (nomeado pelo partido comunista ou pelo bloco de esquerda), somente lá está no cargo porque as pessoas, o povo, os eleitores votaram num partido que professa incondicionalmente o anti-capitalismo. Ora se um vereador somente é vereador porque está em sintonia com um pensamento que é contrário ao enriquecimento através de bons e oportunos negócios de alto rendimento, como é que depois ele age contrariamente ao que esperam dele, das razoes porque nele votaram? É uma traição ao seu eleitorado e também ais restantes portugueses que não tendo votado nele, fazem dele o exemplo por quem não votar. Um dos problemas do comunismo em Portugal é este, apresentam-se como incorruptiveis, rectos, infaliveis com valores, ao lado e a par dos trabalhadores oprimidos e pobres, comendo das mesmas gamelas e dormindo debaixo das mesmas barracas… e depois não podem fazer isto, de utilizar meios, bens, servicos, veiculos, modelos de vida proprios dos tiranos capotalistas, corruptos e vendidos. Poder podem, mas em sendo vistos, vulgo, apanhados, são altamente criticados. Tem lógica pá! Olhe “esclarecido”, que eu nao tenho partido nenhum, não sou eleitor por lisboa e nada de nada que me limite, mas realmente vejo com mais normalidade um gatuno vilão, completamente assumido a roubar do que um juiz, um polícia a falharem pois que estes mostram-se estar acima,dos primeiros, que se obrigam a uma idoneidade e exemplaridade por via das suas escolhas profissionais.

    • Pode, o que merece crítica é a hipocrisia de um político que passa a vida a criticar a especulação imobiliária ser apanhado a fazer o mesmo. Ser militante totalmente contra os despejos e fazer o mesmo. Ser contra o rendimento local, e precisamente anunciou o prédio com essas condições, mas pior mesmo são as explicações que deu a por a culpa na irmã. Eu não tenho nada contra um vegetariano vegan comer carne, mas dificulta um bocado a ideia, mas o principal é mesmo o abuso de posição política privilegiada para fazer negócios urbanos especulativos com a Segurança Social. Claramente que fomos todos enganados com o negócio e ele não sabia de nada.

    • O problema parece pôr-se ao contrário, se não se é de esquerda esse a favor do capital e da iniciativa privada, coisa horrorosa para a esquerdalha parece que sempre invejosos do trabalho dos outros, evidentemente depois aparecem estes casos sempre um pouco fora do comum mas que na verdade não têm cor política porque isto de se ser super-esperto pode afectar qualquer um com menos escrúpulos.

  6. Tudo bons rapazes, ideologicamente indiferenciados no suporte à muito partido. Conseguem exponenciar desde milhares a milhões, à semelhança proporcional que o povo que os gerou, consegue com os cêntimos.

    • De acordo, mas pelo menos o vereador demitiu-se, o que já é muito comparado com muitas outras situações semelhantes ou piores. Os que normalmente votam no PSD / CDS lembrem-se também do caso recente do “independente” Presidente da camâra do Porto Rui Moreira, 10 vezes pior. E aqui apesar da indignação mediática, não houve demissão. As pessoas cometem erros, mas questão mais importante para mim é se os assume ou não, e tiram deles consequências, agindo em conformidade. Moralmente ainda parece haver diferença entre direita e esquerda. Quanto à coordenadora do BE, esteve realmente mal. Resta ver se ela se retrata e/ou demite. Declaração de interesses: Nas últimas 10 eleições votei 6 vezes no BE

      • Luís quem vote BE nas proximas eleicoes é a favor de roubar o que é dos outros. Nunca reparou em tanta conversa de que querem “combater a desertificação do interior”, e quando o Alojamento Local retira pessoas de Lisboa, aí já querem os portugueses em Lisboa. Portanto querem os portugueses fora de Lisboa e querem-nos em Lisboa. Não são gente de levar a sério. Toda a conversa do BE, é apenas desculpa para roubar o patrimonio dos outros a favor de quem vote neles.

        • A sua resposta parece-me rebuscada e incoerente. Apenas mostra ser um Anti-BE primário. Tenho dificuldade em respeitar os Anti´s. Provávelmente votarei BE nas próximas eleições, dependendo do que a Catarina Martins e restanter direção do Bloco fizer até lá.

          • Pode-lhe parecer, mas nao é. O meu comentário foi todo baseado em factos. Se o BE quer “proteger” inquilinos, isso mais nao é do que mandar nas casas dos outros. Isso é roubar. Querem apoiar os pobres? O Estado que pague. E para sua informacao em 2006 votei no Louçã, por nao haver nenhum lider sério nos outros partidos. Entretenha-se com esta noticia “Catarina Martins tem posição em empresa de alojamento local. Mas é no interior do país” https://eco.pt/2018/07/31/catarina-martins-tem-posicao-em-empresa-de-alojamento-local-mas-e-no-interior-do-pais/

          • Luis. estou de acordo consigo. Mas já reparou como toda a direita, e os comentadores da dita se babam todos perante o caso. Acredite que com o aproximar das eleiçoes, alguem vai descobrir que há gente à esquerda que ganha mais que o salário mínimo, que toma banho de água quente, que não vai só a tascas , mas frequenta tambem restaurantes de classe média, se calhar já comeu caviar (eu já comi e é bem bom), que gosta de ameijoas à Bolhão Pato etc

  7. No meio da hipocrisia de um partido de betinhos armados em revolucionários, Robles esteve bem ao demitir-se. Demorou um pouco a encontrar a porta de saída… mas saiu.
    Agora já não precisa pregar a moralidade e o ataque à especulação imobiliária.
    Basta-lhe ser especulador imobiliário como tantos outros.
    Um conselho gratuito… aborde a REMAX que eles lhe dão emprego com certeza.
    ——–
    Catarina fica em maus lençóis, depois de Robles ter tirado consequências dos seus actos, que foram defendidos pela líder bloquista.

    • A questão é que ele nem sequer especulou, comprou renovou e vendeu a preço de mercado… Isto não é especular!
      Aliás fez um favor à cidade, porque prédios velhos e a cair de Podre há muitos… E a maioria pertence a quem especula que não investe na renovação e depois vende uns anos depois pelo triplo do preço… Ou colocam à venda por valores acima do preço de mercado para impulsionar os preços!
      quando falamos devemos falar com conhecimento de causa porque vomitar postas de pescada não ajuda ao debate!

    • O facto de Robles ter saído, e de um dos fundadores do BE (Fazenda) ter repudiado a atitude daquele vereador, responde a todos os que ainda conseguem ver um bloquista impoluto e acima de qualquer suspeita!

  8. Surpreendidos com o comportamento deste senhor? Quando a ex-URSS expirou quantos milionários russos apareceram de seguida vários deles de tal forma bem recheados que até se deram ao luxo de comprarem clubes de futebol na Europa Ocidental considerada rica, estava o capital distribuído pelo povo ou estaria a grande fatia nas mãos de uns poucos apenas, alguém ainda acredita na treta do anti-capitalismo comunista?

  9. A maior parte dos comentários ataca um aspecto secundário do problema – se o homem é de esquerda, e coerente, e hipócrita, e etc – e parece ignorar um aspecto a meu ver importante – até que ponto o facto de ser vereador lhe facilitou a “vida” ao encontrar a aparente pechincha de 300 mil euros que após uma transformação de alguns milhares de euros se transformaram em muitas vezes mais! E os tais 300 mil euros iniciais era dinheiro que ganhou com o seu salário? Herdou? Ou teve um empréstimo facilitado dum banco, ou doutro lado qualquer, porque… era vereador? Ou algum “amigo” lhe emprestou dinheiro, porque… era vereador! E o dinheiro para as obras veio donde? E os outros prédios que possui vieram donde? Se foram de heranças legítimas… tudo bem! Se ganhou a lotaria, tudo bem! Mas… e se não foi o caso? Não me interessa se o homem é de esquerda, ou de direita, ou do BE ou outra coisa qualquer. Mas sendo um funcionário público… já interessa tudo! Como simples empresário, pode fazer o que quiser, desde que legítimo, e até ganhar 20, ou 30 ou 500 vezes o investimento feito, desde que legitimamente. Até mesmo a especulação pode ser legítima, mesmo que eticamente reprovável. Mas como funcionário público… é tudo diferente! Ou deveria ser!

    • Não, não facilitou. Ao contrário das acções da SLN, que eram só para amigos, o prédio estava publicamente à venda, qualquer pessoa com acesso à Internet o poderia ter descoberto. Também gostaria que me explicassem em que medida é especulação comprar um edifício, recuperá-lo e vendê-lo (tentar, neste caso) a preço de mercado sem o reter desabitado à espera de valorização.

      • Não sei se facilitou, e Rui, não sei também como pode ter a certeza que “não facilitou”. É legítimo pensar que como vereador dessa área pudesse (repare que usei uma dúvida – pudesse!) ter conhecimento antes do público em geral. E é legítmo pensar na possibilidade (note que eu disse possibilidade!) que mesmo depois de ter sido colocado publicamente à venda na internet, já fosse dado como “indisponível” para qualquer outra pessoa que o tivesse descoberto. E mesmo que nada disto fosse verdade eu não sei (e espero que o Rui tenha esse conhecimento!) quanto tempo esteve publicado na Internet! 10 minutos? 10 dias? 10 meses? O comum dos mortais pode precisar de algum tempo para arranjar os 340 mil euros. Mas quem soubesse desse facto com antecedência teria aqui uma vantagem significativa.
        E tem razão ao dizer que não é especulação comprar um edifício, recuperá-lo e vendê-lo com lucro. Mas desde que esse lucro esteja minimamente alinhado com a média de retorno nos investimentos, o que não é de todo o caso. Mas esse também não é o problema! Mas sim de se tratar de alguém que pertence a um partido que defende princípios completamente opostos! E de alguém que provavelmente teve acesso a informação privilegiada para efectuar um negócio. E que eu não sei (e não sei se alguém sabe!) se teve acesso legítimo (repare que eu não disse legal!) aos fundos necessários para a compra e para as obras.

        • Caso realmente tenha beneficiado de algum tipo de vantagem pelo facto de ser vereador, cabe a quem o acusa apresentar provas (ou, pelo menos, indícios credíveis) de que isso terá acontecido. Ora o que eu tenho visto não é nada disso, apenas a comunicação social a atirar o nome de uma pessoa para a lama apresentando como único “indício” o facto de ter ganho muito dinheiro no negócio! Fosse ele de outras correntes políticas e seria louvado como grande visionário e empreendedor…

  10. ah coitado… um rapazinho tao bonitinho de olhos azuis que a gente( velhos e velhas de lisboa) gostavamos tanto e ate fizemos campanha nos lares e nos centros de dia para que ele pudesse ser eleito para nos visitar e fazer festinhas no ombro e dar uns beijinhos avulso de vez em quando e agora vem estes malandros acusa lo de vender uma casa……..aioai…. nao e justo…a inveja que tem desses olhos azuis e carinha de anjo. de cereteza que a catarina que tambem tem olhos azuis nao queria que ele se fosse embora……. nas proxmas eleiçoes menos uns votos ou talvez o bloco invista em lentes de contacto azuis . e assim vai a politica na geringonça. da proxima vez votamos no partido dos caes e dos gatos desde que nao aprovem a eutanasia nem a esterelizaçao em massa nos canis municipais.

  11. Bloco de Esquerda – O partido da verdade e da defesa de tudo e mais alguma coisa, afinal tem telhados de vidro. Catarina Martins tentou defender o indefensável e com isso “enterrou-se” muito mais. Como ouvi alguém dizer o Bloco de Esquerda é um partido de novos ricos, um partido hipócrita e que é carregado pela comunicação social. Esperemos que este caso venha clarificar que o BE é como os outros, ou talvez pior pela hipocrisia. Espero que nas urnas o Povo não se esqueça.

  12. É muito interessante um fulano destes defender para si aquilo que condena para os outros… injustificável.
    Da mesma forma a defesa da laterina martins…
    Perdeu alguma da pouca credibilidade que tinha, e uma boa oportunidade para estar calada… ou será que estamos a falar de fontes de financiamento do partido???

  13. No meu tempo e, sobretudo, no tempo do meu pai, havia uma coisa chamada coerência ideológica. Abdicámos (nós, família) de algumas coisas, nomeadamente compra de casa e aumentos de vencimento, em prole dessa coerência.
    Esta esquerda de agora, mas também, alguma de outrora, está pejada de tipos que não são de esquerda, não fazem a mínima ideia do que é ser de esquerda, que usam a esquerda, de um modo perverso (mesmo que dele não tenham consciência).
    Que mudem de partido! Já que não basta pensar de um determinado modo, há que agir do modo como se pensa. E isso é que é difícil. De conversa, está o povo cheio. O que se deseja são actos coerentes com a ideologia que se defende. A começar na vida pessoal, que é a etapa menos difícil dessa coerência. Robles não atingiu os mínimos para se qualificar como esquerdista. E como ele, há muitos mais…

Responder a JR Cancelar resposta

Juventude Popular suspende congresso do próximo fim de semana

O XXIV Congresso da Juventude Popular, agendado para sábado e domingo, em Braga, foi suspenso e será reagendado 15 dias depois do levantamento do estado de emergência, decidiram esta terça-feira os órgãos da estrutura que …

Novo líder do Aliança reúne-se com Rui Rio (com autárquicas em cima da mesa)

Paulo Bento, recém-eleito presidente do Aliança, e Rui Rio, líder do PSD, vão encontrar-se esta quarta-feira. Em cima da mesa vão estar as eleições autárquicas do próximo ano. De acordo com o Público, o encontro destina-se …

Mais de 60% dos portugueses deixaram de ir a restaurantes. Só 33% considera que o Estado prioriza a saúde

A nível nacional, 63% dos portugueses que continuaram a ir a espaços de restauração indicaram o convívio familiar com principal motivo da deslocação. A nível dos cuidados de saúde apenas 33% dos portugueses consideram que …

Santa Casa contratou Paulo Pedroso como consultor por 3700 euros

O ex-ministro socialista Paulo Pedroso, actual director da campanha presidencial de Ana Gomes, foi contratado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) em Setembro passado, com um ordenado de 3700 euros e efeitos retroactivos …

Covid-19. Médicos devem dar prioridade a quem pode recuperar vida normal e não à idade

Os doentes que podem recuperar para uma vida normal devem ter prioridade face aos que têm baixa probabilidade de recuperação e a idade não pode por si só ser critério, recomenda um parecer do Colégio …

"Há doentes a ficar para trás". Ex-ministro da Saúde diz que mortes por falta de cuidados são inaceitáveis

O ex-ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes afirmou esta terça-feira que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está a ser exposto a um teste de stresse devido à pandemia e que não é aceitável que …

Ordem dos Médicos abre processo disciplinar a médica que divulgou receita para enganar testes à covid-19

Depois de médica divulgar receita para os possíveis infetados testarem negativo à covid-19, a Ordem dos Médicos abriu o terceiro processo contra membros do movimento que contesta o uso de máscaras - os "Médicos pela …

Aprovado alargamento das taxas agravadas do IMI e IMT para empresas em offshores

As empresas localizadas em offshore que criem um veículo para deter imóveis em Portugal vão passar a estar sujeitas a taxas agravadas de IMI e de IMT, segundo uma proposta aprovada pelo Parlamento nesta terça-feira. A …

Processo de contratação pública "é um terror" que "torna um inferno" o trabalho do Estado

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, afirmou esta terça-feira que "o processo de contratação pública é um terror" que "torna num inferno" o trabalho do Estado e das empresas que fazem investimento público. "O processo …

"Não fui eu que o fiz". Nélio Lucas não se lembra de detalhes dos negócios com o FC Porto

O ex-presidente da Doyen, Nélio Lucas, disse esta terça-feira em tribunal, no âmbito do julgamento do caso Football Leaks, que não se recorda das circunstâncias e detalhes dos empréstimos que o fundo fez à SAD …