Resolvido (por acaso) o mistério da expedição francesa que desapareceu há 230 anos

Nicolas André Monsiau / Chateau de Versailles / Wikimedia

Luís XVI a dar as últimas instruções à La Pérouse, a 29 de junho de 1785

Uma investigação sobre um tema completamente diferente encontrou uma pista num jornal indiano da época que permitiu desvendar o mistério da expedição enviada por Luís XVI ao Pacífico.

Um dos enigmas mais duradouros do tempo do Iluminismo, época em que os exploradores europeus correram o mundo em busca de tesouros e fama, ocorreu com o navegador francês Jean François Galaup, conde de La Pérouse. Mais de 200 anos depois, o mistério do seu desaparecimento pode ter sido desvendado, escreve a IFLScience.

La Pérouse partiu de França, no ano de 1785, em direção ao oceano Pacífico por ordem do rei Luís XVI para reconhecer os territórios que não tinham sido ainda explorados pelo britânico James Cook.

A expedição, que contava com 225 tripulantes a bordo de dois navios, contornou o Cabo Horn, no Chile, passou pelo Havai e navegou até ao Alasca, China e Rússia antes de alcançar a baía de Botany, na costa sudeste da Austrália.

En 1788, os navios – o Bússola e o Astrolábio – naufragaram próximo das Vanikoro, atuais Ilhas Salomão. Os sobreviventes construíram um barco com os restos do naufrágio que chegaram à costa e navegaram para encontrar ajuda. Foi então que o seu rasto foi perdido para sempre no Pacífico. Ou pelo menos era esta a teoria contada até agora.

Descobrimento inesperado

Por muito estranho que pareça, a pista que levou à resolução deste mistério estava na Índia. Garrick Hitchcock, antropólogo da Universidade Nacional da Austrália e coautor do estudo agora publicado no Journal of Pacific History, estava a investigar a história do Estreito de Torres, que separa a Austrália da Nova Guiné, quando tropeçou numa edição de 1818 do jornal indiano The Madras Courier.

Num artigo fazia-se referência a um navegador indiano, Shaik Jumaul, que era um náufrago da costa norte de Queensland, em 1814, e que conseguiu chegar à ilha de Murray, onde viveu durante quatro anos e aprendeu a língua e os seus costumes.

O indiano ficou surpreendido com o facto de os habitantes possuírem vários tecidos e mosquetes (um tipo de arma) que não eram ingleses. E foi então que estes lhe contaram que, há 30 anos atrás, um navio tinha naufragado perto da ilha.

Parte da tripulação alcançou a costa, onde teve um confronto violento contra eles, e só um rapaz sobreviveu, tendo sido criado pelos locais e onde mais tarde se casou com uma nativa.

A linha do tempo desta história encaixa perfeitamente com a da expedição francesa e existe ainda a informação de que havia um menor a bordo chamado François Mordelle.

Segundo o IFLScience, parece que Mordelle foi o único sobrevivente desta infeliz travessia, que resultou no primeiro naufrágio conhecido no Estreito de Torres e um mistério que ainda durou cerca de 250 anos.

ZAP // RT

PARTILHAR

RESPONDER

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …