República Centro-Africana pode tornar-se “uma nova Bósnia”

A República Centro-Africana pode tornar-se “ uma nova Bósnia”, em que comunidades inteiras são massacradas por outras confissões diferentes, face ao olhar impotente da comunidade internacional, advertiu esta sexta-feira o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR).

“O caso da República Centro Africana faz-me lembrar o livro ‘Crónica de uma Morte Anunciada’, em que nós sabemos o que vai acontecer antes de acontecer”, disse aos jornalistas o diretor de proteção internacional do ACNUR, Volker Turk, que regressou recentemente de Bangui, capital do país africano.

“Há 23 anos que trabalho no ACNUR e vi poucas situações tão complicadas e urgentes como as da República Centro-Africana. Infelizmente, lembra-me o que aconteceu na Bósnia”, afirmou Volker Turk.

O responsável apontou como exemplo de eventual indiferença da comunidade internacional a fraca resposta ao apelo humanitário lançado pela ONU, que até ao momento recebeu somente 22% dos cerca de 500 milhões de euros que solicitou para assistência à população daquele Estado.

Anteriormente, o diretor da organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch para África, Daniel Bekele, alertou para o “grave perigo” que a população da República Centro-Africana vive e que a comunidade internacional “tem sido incapaz de a proteger”.

Cristãos contra muçulmanos

Em março de 2013, a República Centro-Africana mergulhou no caos desde que a coligação Séléka, de maioria muçulmana, derrubou o Governo do país maioritariamente cristão e presidido por François Bozizé, desencadeando uma espiral de violência sectária, com um balanço de milhares de mortos.

O funcionário da agência das Nações Unidas explicou que as comunidades islâmicas centro-africanas, por exemplo, são constantemente ameaçadas e, por isso, vivem numa espécie de reclusão para evitar ataques das milícias anti-balaka (“anti-machete”, na língua local), maioritariamente cristãos.

Desde o último sábado, grupos de milícias anti-balaka e outros militantes vestidos com o uniforme do exército nacional mataram pelo menos oito muçulmanos em Bangui.

“Os muçulmanos temem ser massacrados e prevalece o medo”, disse Volker Turk, que descreveu a situação como sendo “absolutamente desesperante”, pelo que a comunidade internacional deve “agir antes que a tragédia aconteça”.

No início do mês, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, recomendou o envio de 11.820 capacetes azuis para restaurar a ordem e segurança na República Centro-Africana, onde também estão presentes forças de manutenção de paz da França e do exército da União Africana.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

A Bugatti está a vender um carro elétrico "para crianças". Chama-se Baby II e custa 30 mil euros

A Bugatti e a Little Car Company, sediada em Londres, uniram-se para criar 500 Bugattis elétricos em miniatura para crianças. Agora, fruto dos desenvolvimentos mundiais, alguns veículos ficaram disponíveis para compra. O mais recente brinquedo da …

50 anos de monarquia e uma guerra de dias. A pandemia "matou" a micronação mais antiga da Austrália

O reinado de 50 anos de uma micronação na Austrália chegou ao fim devido ao impacto económico da pandemia de covid-19, que fez com que o autodeclarado principado se rendesse ao país. Hutt River, um principado …

NASA vai rebatizar planetas e outros corpos celestes com nomes ofensivos

A agência espacial norte-americana (NASA) anunciou que vai rebatizar alguns planetas, galáxias e outros corpos celestes que possuem nomes "ofensivos". Em comunicado publicado esta quinta-feira, a NASA explica que vai abandonar os nomes "não-oficiais" a …

O maior parque de crocodilos da Índia está à beira da falência. Abriga mais de 2.000 animais

O maior parque de crocodilos da Índia, localizado perto da cidade de Chennai, no sul do país asiático, encontra-se à beira da falência depois de a pandemia de covid-19 ter obrigado a fechar o espaço …

Campanha científica acrescenta mais de 37 mil quilómetros quadrados ao mapa do mar português

A campanha científica que o navio hidro-oceanográfico D. Carlos I da Marinha Portuguesa realizou durante nove semanas nos Açores, para levantamentos hidrográficos, permitiu “acrescentar cerca de 37.500 quilómetros quadrados sondados ao mapeamento do mar português”. Numa …

Apesar dos alertas, houve quem plantasse as sementes misteriosas da China (e já começaram a crescer)

Durante as últimas semanas, pessoas em todo o mundo têm recebido, sem ter encomendado, nas suas caixas de correio sementes com origem na China. Apesar dos avisos em contrário, houve quem plantasse os misteriosos presentes. As …

Marcelo veta redução de debates sobre a Europa. Não foi uma "solução feliz"

O Presidente da República vetou esta segunda-feira a redução do número de debates em plenário para o acompanhamento do processo de construção europeia de seis para dois por ano, defendendo que não foi uma “solução …

Boris Johnson admite alargar quarentena a mais países

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, admitiu esta segunda-feira alargar o sistema de quarentena a pessoas que cheguem de países atualmente isentos para reduzir o risco de infeção com a doença covid-19 no Reino Unido. "No contexto …

Novo lay-off. Ajuda da Segurança Social para pagar subsídios de Natal pode chegar só em 2021

O apoio ao pagamento do subsídio de Natal previsto pelo Governo para apoiar as empresas no âmbito do novo regime de lay-off, que entrou em vigor em agosto, poderá só ser pago pela Segurança Social …

Trump abandona conferência de imprensa após ser confrontado por jornalista com mentira que disse 150 vezes

O Presidente norte-americano abandonou uma conferência de imprensa, este sábado, depois de ter sido confrontado por uma jornalista com uma mentira que já terá dito mais de 150 vezes sobre cuidados de saúde para os …