Rendeiro só regressa a Portugal se for ilibado ou com indulto presidencial (e vai pedir indemnização de 30 milhões)

13

Tiago Petinga / Lusa

O ex-presidente do BPP, João Rendeiro

O ex-presidente do Banco Privado Português (BPP) disse, esta segunda-feira, que só regressa a Portugal se for ilibado ou com um indulto do Presidente da República.

Numa entrevista à CNN Portugal, canal que se estreou esta segunda-feira e que substitui a TVI24, João Rendeiro garantiu que só volta a Portugal se for ilibado ou se tiver um indulto presidencial, mesmo admitindo que tal coisa “é quase impossível”.

Na entrevista, que foi feita em colaboração com o jornal Tal e Qual, o antigo presidente do BPP, que se encontra fugido à justiça, considerou-se injustiçado e comparou o seu caso com o do antigo presidente do Banco Espírito Santo (BES), Ricardo Salgado, que disse estar “protegido pelo sistema”.

“Como nunca paguei nada a ninguém e não tenho segredos de Estado, sou um poderoso fraco“, afirmou, enquanto Salgado “segue com a sua vida tranquila em Lisboa”.

No seu site oficial, a recém-chegada CNN Portugal refere não conhecer o paradeiro de Rendeiro, condenado em setembro a três anos e seis meses de prisão efetiva num processo por burla qualificada, e explicou que o ex-banqueiro “deu esta entrevista à distância e através de tecnologias que escolheu para proteger rastos de localização”.

Questionado sobre o seu paradeiro, Rendeiro não quis responder abertamente, mas revelou não estar no Belize, ao contrário do que chegou a ser noticiado, mas sim num sítio onde se fala português, perto do mar.

“Faço uma vida perfeitamente normal, como em Lisboa ou em Cascais. Saio à rua, vou à praia, ao ginásio, não uso peruca, nem nunca andei de rabo de cavalo”, explicou, citado pelo Observador.

O ex-líder do BPP considera que “não houve um processo equitativo” no seu julgamento e que é isso que está a ser colocado em causa através de recursos em “tribunais internacionais”.

Como tal, Rendeiro disse ter a certeza de que vai ser ilibado e contou que, quando isso acontecer, vai pedir uma indemnização ao Estado de 30 milhões de euros, mas destacando que “se esta for concedida vai ser doada”.

O antigo presidente do Banco Privado Português abordou ainda a prisão domiciliária da sua mulher, Maria de Jesus Rendeiro, fazendo notar que se a ideia, ao atacá-la, era fazê-lo regressar a Portugal, esta “não terá qualquer êxito”.

Entretanto, precisamente na cerimónia de apresentação do novo canal, Marcelo Rebelo de Sousa reagiu às declarações de Rendeiro, dizendo que “já é tarde” para um indulto e que “há muitos outros que estão na fila e respeitaram o prazo”.

O colapso do BPP, banco vocacionado para a gestão de fortunas, aconteceu em 2010, já depois do caso BPN e antecedendo outros escândalos na banca portuguesa.

O BPP originou vários processos judiciais, envolvendo burla qualificada, falsificação de documentos e falsidade informática, bem como processos relacionados com multas aplicadas pelas autoridades de supervisão bancária.

  ZAP // Lusa

13 Comments

  1. É preciso uma cara de pau gigantesca para exigir ser ilibado!
    Pior do que isso só mesmo a justiça que talvez ainda o ilibe mesmo, em portugal não seria para admirar, afinal corruptos e criminosos protegem-se uns aos outros e em portugal na justiça não há um que se safa!

  2. Ele devia era ser internado numa cas de correção, preso no país onde estiver, e ter tratado igual aos criminosos, que é o que ele é, um criminoso. Se tem pena da mulher, que não acredito que não soubesse de nada, porque razão não a levou com ele de férias?
    Numa coisa ele tem razão, em Portugal, INFELIZMENTE; a justiça portuguesa tem 2 pesos e 2 medidas, pois, uma pessoa que não consiga pagar o seu crédito à habitação, fica sem ela, mas um ladrão (que toma posse de coisas que não lhe pertencem e que nem tentou pagar por elas) pode ficar com elas e “sofrer de alzaimer” esquecendo que rumo lhes deu.
    Além de não ter vergonha na cara, ter uma prepotência sem tamanho, deveria ser obrigado a falar e devolver tudo o que não lhe pertence, e ainda pagar ele uma indemnização ao estado pelas despesas caudadas com os trabalhos de investigação.

  3. É uma vergonha que este pseudo novo canal de informação comece deste modo. Então vai dar voz a quem fugiu da justiça? Se ele tem alguma coisa a dizer que o diga por cá. Quanto ao canal, já não via a tvi e por isso mesmo também não verei a cnn.

  4. A comunicação social tem responsabilidade em alimentar este fora da lei, este bandido. Até o Presidente da República perde tempo a falar sobre o pedido de indulto. Tenham respeito pelos portugueses honestos e que levam a vida a trabalhar. Este tipo está a rir-se dos portugueses e das instituições. Haverá quem o queira ver longe, pois foram coniventes com este fugitivo.

  5. A memória humana é um processo é uma atividade cerebral complexa. O Homem tem memória episódica e a memória semântica. E, a consciência humana é uma consciência de presença do ser. Depois da falência do BPN, do BES, da queda das ações do BCP, as alterações constantes das Instituições Financeiras a operar em Portugal no Sistema Financeiro estruturado por Lei, e agora o caso judicial do BPP, só a ignorância é que não consegue compreender a complexidade e Fraude da contabilidade bancária por causa da “Criação de Moeda” e do “ Multiplicador da ficção da expansão múltiplas de Moeda-escritural” na Economia total de Portugal. O Caso de João Rendeiro é uma gota no Oceano da Economia monetária não observada/registada ou distorcida dos factos e das funções económica. Há tanta falsificação documental e de contabilidade que até chateia. O João Rendeiro é o “ Bode Expiatório” da Economia monetária e Economia financeira de Portugal. A verdade ninguém gosta de ver!

  6. Ora, quanto à responsabilidade legal por Lei, …para quem estuda e faz I&D na área científica da Economia, em particular na sub-aérea científica da Macroeconomia, …a questão a saber é quem será o responsável legal pela Supervisão e Auditorias aos balanços das instituições financeiras do setor monetário? Será o Banco de Portugal e …e os revisores oficiais de contas de EIP! Quem é o responsável pela supervisão e fiscalização das instituições financeiras do setor não monetário e emitentes de valores mobiliários e de meios de pagamento em Portugal? Será a CMVM! Então em Portugal os banqueiros portugueses andam à solta… tudo aponta que exercem o poder financeiro arbitrariamente e favorecem os amigos e os políticos. Quantos Joões Rendeiros não deve ter Portugal em todas as atividades bancárias.

  7. Há quem considera que os homens de um país são o espelho e imagem da Sociedade que o estrutura. …Portugal precisa de Governação com transparência e prestação de contas periodicamente. A Honra, a Honestidade, a Verticalidade e Independência do Homem Laboral são Valores Humanos Superiores e Valores Raros…. As dinâmicas da sobrevivência humana, a concorrência desleal, a falsa competitividade sem regras, a supremacia e Abusos, a pressão por sucesso, a perfeição, a felicidade e o enriquecimento rápido e ilícito são coisas más na construção humana. Há pessoas boas e pessoas más, há pessoas criminosas e pessoas justas, há pessoas altruístas e há pessoas individualistas, há pessoas muito trabalhadoras e pessoas menos trabalhadoras, ainda há pessoas que acreditam no Pai Natal porque assim o desejam… e ainda há pessoas que não acreditam na matemática e o Sol gira à volta da Terra…

  8. E os rios nascem nos mares?! Eu suponho que, segundo as fases da atmosfera e do clima… evaporação, condensação, estado gasoso, liquidificação (chuvas/pluviosidade), e solidificação (neve, granizo), é possível mudar os cursos de água a partir da gravidade e montanhas rochosas . Sim, podemos ter rios de montanha que têm origem na evaporação de água do mar e que devido às pressões atmosféricas e das temperaturas provocam aas chuvas, Neves, granizo, geadas, etc, etc, etc.

  9. Em Portugal parece que não há liberdade de imprensa Democrática! A liberdade de expressão é só para alguns. A retórica e os julgamentos de pessoas são o “ópio do povo”. Cada um diz o que gosta e o que não gosta. E a verdade? Onde está a verdade e o juízo de Factos analisados e da I&D. E a Prova? Quantos são os Joões rendeiros em Portugal? “ Contabilidade bancárias falsas é uma coisa, e a Corrupção e Tráfico de influências é outra.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.