Descoberta revolucionária. Relógio atómico portátil pode vir a substituir o GPS

Cientistas britânicos ficaram mais perto de criar um relógio atómico portátil que pode vir a substituir os sistemas de navegação por satélite GPS e Galileo, com uma eficiência de rastreamento melhorada em 80%, e que pode “revolucionar a forma como contamos o tempo no futuro”.

Há muitas tecnologias que usam o posicionamento de satélite como factor de localização, mas a perda do sinal no telemóvel, por exemplo, pode ser uma grande chatice quando não se sabe onde se está ou se pretende seguir um itinerário desconhecido.

Esse problema pode ser ultrapassado com um relógio atómico portátil que funciona com base na frequência de oscilação da energia do átomo, graças a uma tecnologia de ponta à base de feixes de laser descoberta por investigadores da Universidade de Sussex, no Reino Unido.

“Com um relógio atómico portátil, uma ambulância, por exemplo, continuará a ter acesso ao seu mapeamento enquanto estiver num túnel, e um passageiro poderá planear a sua rota enquanto estiver no subsolo ou sem sinal de telemóvel no meio do campo”, explica a investigadora Alessia Pasquazi do Laboratório de Fotónica Emergente (EPic Lab) da Escola de Matemática e Ciências Físicas da Universidade britânica.

A cientista constata num comunicado divulgado pela entidade e publicado no site Phys.org que a descoberta revolucionária “melhora a eficiência da parte do relógio responsável pela contagem em 80%”. Isto deixa-nos “mais perto de ver os relógios atómicos portáteis a substituírem o mapeamento por satélite, como o GPS”, desenvolvido nos EUA, o Galileu, criado na Europa, o GLONASS da Rússia e o Compass da China.

Este passo poderá tornar-se realidade “dentro de 20 anos”, aponta Alessia Pasquazi, considerando que “esta tecnologia vai mudar as vidas quotidianas das pessoas“, com potencial para ser aplicada “em carros sem motoristas, em drones e na indústria aeroespacial”.

Tecnologia baseada em laser de fibra óptica

Os relógios atómicos constituem o auge em termos de dispositivos de medição de tempo, sendo extremamente precisos, uma vez que perdem menos de um segundo a cada 10 mil milhões de anos. Mas pesam centenas de quilos.

Foi com este desafio em mente que os investigadores se dedicaram a reduzir a sua dimensão e peso extraordinários, visando criar um dispositivo prático e funcional que possa ser utilizado por qualquer pessoa, enquanto mantém as suas características de precisão.

Num relógio atómico, o ponto de referência – o pêndulo num relógio tradicional – deriva das propriedades quânticas de um único átomo confinado numa câmara, sendo “o campo electromagnético de um feixe de luz que oscila centenas de três mil milhões de vezes por segundo”, como explica a Universidade em comunicado. Para funcionar nesta velocidade, o elemento de contagem é “um laser altamente especializado que emite, simultaneamente, muitas cores precisas, uniformemente espaçadas em frequência”.

“Micro-pentes diminuem a dimensão dos pentes de frequência, explorando pequenos dispositivos chamados micro-ressonadores” que são muito complexos e que tornam os relógios atómicos pouco práticos.

Na investigação publicada no jornal Nature Photonics, os cientistas explicam como conseguiram resolver o dilema através de um “micro-pente excepcionalmente eficiente e robusto baseado num tipo único de onda chamado ‘solitão da cavidade do laser’“.

“Os solitões são ondas especiais que são particularmente robustas à perturbação. Os tsunamis, por exemplo, são solitões de água. Podem viajar sem serem perturbados por distâncias incríveis; depois do terramoto no Japão em 2011, alguns chegaram até à costa da Califórnia”, refere Alessia Pasquazi.

Nas experiências dos cientistas de Sussex, em vez de se usar água, recorreu-se a “pulsões de luz, confinadas numa pequena cavidade num chip”. “A nossa abordagem distintiva é inserir o chip num laser baseado em fibras ópticas, o mesmo que é usado para fornecer a Internet nas nossas casas”, esclarece Alessia Pasquazi.

“O solitão que viaja nesta combinação tem o benefício de explorar plenamente as capacidades das micro-cavidades de gerarem muitas cores, enquanto vai oferecendo a robustez e versatilidade de controlo dos lasers pulsados”, acrescenta a investigadora.

“O próximo passo é transferir esta tecnologia baseada em chip” para uma nova tecnologia de fibra que os cientistas esperam poder criar na Universidade de Sussex.

O plano é criar “um relógio atómico portátil que pode revolucionar a forma como contamos o tempo no futuro”, salienta o professor Marco Peccianti que também esteve envolvido na pesquisa.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Era marketing. Fortnite voltou (e está diferente)

Depois de 10 temporadas, um buraco negro engoliu a ilha na qual diariamente milhões de jogadores tentavam sobreviver, matando-se uns aos outros. Durante um dia e meio, ninguém podia jogar. O susto acabou esta terça-feira, …

Cientistas determinam o que diminui a fertilidade das mulheres com o avanço da idade

Investigadores da Universidade de Copenhaga mapearam alguns dos mecanismos que podem afetar a fertilidade das mulheres desde a adolescência até a menopausa. A fertilidade natural das mulheres flutua entre altos e baixos na forma de uma …

Dono do Paris Saint-Germain quer comprar o Leeds (e torná-lo no novo Manchester City)

A Qatar Sports Investments (QSI), empresa que é detida por Nasser Al Khelaifi, quer dar o salto para o mercado inglês e adquirir o Leeds United, emblema que milita atualmente no segundo escalão. Na semana em …

Município italiano proíbe Google Maps. App faz com que muitas pessoas se "percam"

O autarca do município italiano de Baunei, na Sardenha, proibiu o uso do Google Maps na região, argumentando que "muitas" pessoas se perderam por causa de "sugestões enganosas" do serviço de localização. A informação é …

Pedalar mais dá direito a prémios. Tecnologia portuguesa desperta interesse de Copenhaga

Depois de se ter estreado em Matosinhos e de ter despertado interesse em Nova Iorque, um programa português que premeia comportamentos de mobilidade ambientalmente sustentáveis chamou a atenção em Copenhaga. O AYR, desenvolvido pela empresa CEiiA …

Associação de Armas americana editou artigos da Wikipédia para desacreditar o Holocausto

A National Rifle Association (Associação Nacional de Armas) dos Estados Unidos tem estado a editar artigos da Wikipédia de forma a desacreditar o Holocausto. Um trabalho de investigação da Splinter identificou pelo menos 150 edições em …

Bebé recém-nascida encontrada enterrada viva numa sepultura na Índia

Uma bebé recém-nascida enterrada viva foi encontrada na Índia por um pai que estava a enterrar a filha, que morreu após o parto, revelou o chefe da polícia local, Abhinandan Singh. A menina foi encontrada dentro …

Reutilização é a verdadeira alternativa a plástico descartável

A alternativa aos produtos de plástico descartáveis tem sido outros produtos também descartáveis, mas a melhor solução passa pela reutilização, indica um relatório divulgado esta terça-feira, que dá exemplos de sucesso. O documento, “The Reusable solutions: …

Booking abandona a criptomoeda do Facebook

  Booking junta-se ao Mastercard, eBay, Visa, PayPal, Stripe e Mercado Pago e desiste do projeto da Associação Libra, promovida por Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, para a desenvolver a infraestrutura financeira que está na base …

Michael Jackson era "doente mental" e uma pessoa "perturbadora", diz Elton John

Elton John defende na sua autobiografia que Michael Jackson era "verdadeiramente doente mental" e uma pessoa "perturbadora", recordando os encontros que teve com o rei da pop, falecido em junho de 2009. O músico britânico escreveu …