Ciência explica como se espalham as ideologias religiosas

JMJ Rio 2013 / Flickr

Um estudo internacional, sobre a história do Cristianismo, concluiu que a forma mais rápida de expandir uma religião é através de líderes poderosos. O segredo para disseminar uma crença passa por atrair as figuras-chave da comunidade.

A descoberta revela que o alcance de uma religião não está tão associado ao facto de todos os fiéis passarem a palavra. Está, na verdade muito mais ligado a líderes poderosos que exercem controlo sob pequenos grupos.

O estudo, publicado na semana passada na Nature Human Behaviour, reuniu uma equipa interdisciplinar de investigadores de todo o mundo, que discutiu se o Cristianismo cresceu como resultado de forças culturais de cima para baixo ou de baixo para cima.

Conduzido por Joseph Watts, do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana, a pesquisa analisou vários séculos de registos históricos bem detalhados de um banco de dados de culturas austronésias.

Estas comunidades do sudeste asiático eram compostas por diversos aglomerados de pessoas distantes, descendentes de uma população de Taiwan, espalhando-se até ao oeste de Madagáscar e ao leste de Rapa Nui.

Durante o século XVI e XIX, o Cristianismo foi adotado como fé central por estas culturas diferentes que se encontravam sob a influência de missionários europeus itinerantes. A maioria das populações acabou por se converter em apenas três décadas.

A diversidade de culturas austronésias conjugada com o facto de serem recentes e bem documentas, forneceram uma oportunidade perfeita para estudar as várias hipóteses associadas à disseminação de um conjunto de crenças.

O Cristianismo – que surgiu há mais de 2 mil anos como uma ramificação do judaísmo – tornou-se a religião mais popular do mundo, com mais de 2 mil milhões de fiéis.

O que este novo estudo procurou compreender foi como se deu o crescimento do Cristianismo e que fatores potenciaram a sua disseminação por todo o mundo. Os cientistas recorreram à estatística para comparar a taxa de adoção do Cristianismo com as várias características socioculturais.

Segredo está nas “figuras-chave” da comunidade

O Cristianismo parece ter-se espalhado mais rapidamente sob a influência de líderes fortes, que dominavam pequenos grupos compostos por súbditos leais.

“Notámos que as duas culturas que demoraram mais tempo a converter-se, eram as mesmas que viviam sem qualquer forma de organização política“, aponta o estudo.

Segundo os investigadores, os missionários aprenderam a atrair figuras-chave das comunidades, oferecendo-lhe bens materiais e oportunidades de comércio. Esta também era uma estratégia sólida de sobrevivência: os missionários eram novos na região e, por isso, queriam dar-se com as pessoas mais influentes.

No entanto, foram estas estruturas políticas sólidas que ajudaram a levar o Cristianismo mais longe e de forma mais rápida.

O estudo aponta ainda que os grupos mais pequenos eram mais propensos a notar as mudanças dos grupos vizinhos – característica descrita como transmissão cultural dependente da frequência.

Os autores consideram um povo ou comunidade “convertida”, quando mais de metade da sua população adota uma nova doutrina.

O estudo está longe de ser a palavra final sobre a forma como os grandes sistemas culturais, como as religiões, competem e convertem uma comunidade em detrimento de uma outra. No entanto, esta pesquisa fornece mais evidências que descrevem fatores importantes para o tema.

“Conhecer apenas algumas características de cada população, como o seu tamanho e a sua organização política, melhora drasticamente a nossa capacidade de prever corretamente se uma ideia se vai espalhar ou não na sociedade”, concluiu Nicole Creanza, especialista em evolução cultural e genética da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, que não participou na pesquisa.

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Realmente tem lógica – as pessoas influentes e governantes, estão interessados que o povo esteja acorrentado à religião, isto é, que se agrupem ao rebanho e vivem amedrontados…

  2. As religiões espalham-se principalmente por falta de cultura/educação/ciência, além claro do obscurantismo/”manhas” típico das religiões!
    E, o Cristianismo não tem mais de 2000 anos – senão era mais antigo do que o próprio Cristo!!

  3. O medo, a ignorância e a fragilidade de muitas pessoas leva outros mais oportunistas a aproveitarem-se da fragilidade de cada um para atingirem os seus fins, por essa razão se vão inventando religiões ao gosto de cada um e cada qual com um fim específico sobretudo o de uma vida fácil para os cabecilhas das mesmas.

    • Claro e como dizia o Edir Macedo da IURD: se um crente não tem dinherio para contribuir para a igreja, Deus vai ajudar outra pessoa!!

Responder a Eu! Cancelar resposta

Há uma nova teoria para explicar a onda de sismos silenciosos que fez a Terra tremer em 2018

Em maio de 2018, milhares de terramotos sacudiram a pequena ilha francesa de Mayotte, no arquipélago das Comoras, situado entre o continente africano e Madagáscar. A maioria foram tremores leve mas, um deles, a 15 …

Os futuros colonos de Marte poderão ter miopia, ossos mais densos e até outra cor de pele

https://vimeo.com/338334578 Caso os seres humanos consigam colonizar Marte, os novos colonos do Planeta Vermelho vão sofrer uma série de mutações que os distanciará dos humanos da Terra. Estas alterações serão tão drásticas que os habitantes de …

Adolescente italiana libertada depois de matar pai abusivo. Autoridades alegaram legítima defesa

Uma adolescente italiana que matou o seu pai abusivo foi libertada da prisão domiciliária que as autoridades lhe tinham imposto depois de os promotores considerarem que a jovem agiu em legítima defesa. De acordo com …

Asteróide gigante com lua própria vai passar muito próximo da Terra este sábado

Um asteróide com sua própria "lua" potencialmente perigoso passará este sábado no ponto mais próximo em relação ao nosso planeta pela primeira vez desde que foi descoberto em 1999. Segundo o portal Cnet, trata-se de um …

Adolescente encontra (por acaso) mandíbula de um mastodonte com 34 mil anos

Enquanto procurava relíquias do período neolítico, uma estudante fez uma descoberta surpreendente: encontrou uma mandíbula de um mastodonte com 34 mil anos. Uma adolescente do estado norte-americano de Iowa encontrou uma mandíbula de um mastodonte com …

Encontrado o navio que transportou os últimos escravos africanos para os EUA. Estava num rio

Afundado há 160 anos, um navio emergiu do fundo das águas de um rio do Alabama para contar a história dos últimos escravos africanos nos Estados Unidos. O Clotilda terá sido o último navio de sempre …

Banca. Aumento das comissões é "inevitável"

A diretora-geral da Associação Portuguesa de Bancos disse esta sexta-feira ser "inevitável" que se verifique um aumento do peso relativo das comissões no produto bancário, assinalando que o próprio Banco Central Europeu tem reconhecido …

Presidente do PSG indiciado por corrupção ativa

O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaïfi, foi indiciado por corrupção ativa num âmbito de um processo judicial que investiga suspeitas relativas à atribuição da organização dos Mundiais de Atletismo a Doha, no Qatar. De acordo com …

Incêndios: Governo decreta Situação de Alerta até 30 de maio

O território continental está desde as 20:00 desta sexta-feira e até às 23:59 de 30 de maio, quinta-feira, em Situação de Alerta, devido às previsões meteorológicas que “apontam para um significativo agravamento do risco de …

Vivia numa habitação social. De repente, herdou uma propriedade de 50 milhões

Um teste de ADN mudou a vida de Jordan Rogers para sempre. O britânico, de 31 anos, promete tentar ajudar outras pessoas que vivem na situação que ele próprio sentiu na pele. Jordan Rogers trabalhava como …