Ciência explica como se espalham as ideologias religiosas

JMJ Rio 2013 / Flickr

Um estudo internacional, sobre a história do Cristianismo, concluiu que a forma mais rápida de expandir uma religião é através de líderes poderosos. O segredo para disseminar uma crença passa por atrair as figuras-chave da comunidade.

A descoberta revela que o alcance de uma religião não está tão associado ao facto de todos os fiéis passarem a palavra. Está, na verdade muito mais ligado a líderes poderosos que exercem controlo sob pequenos grupos.

O estudo, publicado na semana passada na Nature Human Behaviour, reuniu uma equipa interdisciplinar de investigadores de todo o mundo, que discutiu se o Cristianismo cresceu como resultado de forças culturais de cima para baixo ou de baixo para cima.

Conduzido por Joseph Watts, do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana, a pesquisa analisou vários séculos de registos históricos bem detalhados de um banco de dados de culturas austronésias.

Estas comunidades do sudeste asiático eram compostas por diversos aglomerados de pessoas distantes, descendentes de uma população de Taiwan, espalhando-se até ao oeste de Madagáscar e ao leste de Rapa Nui.

Durante o século XVI e XIX, o Cristianismo foi adotado como fé central por estas culturas diferentes que se encontravam sob a influência de missionários europeus itinerantes. A maioria das populações acabou por se converter em apenas três décadas.

A diversidade de culturas austronésias conjugada com o facto de serem recentes e bem documentas, forneceram uma oportunidade perfeita para estudar as várias hipóteses associadas à disseminação de um conjunto de crenças.

O Cristianismo – que surgiu há mais de 2 mil anos como uma ramificação do judaísmo – tornou-se a religião mais popular do mundo, com mais de 2 mil milhões de fiéis.

O que este novo estudo procurou compreender foi como se deu o crescimento do Cristianismo e que fatores potenciaram a sua disseminação por todo o mundo. Os cientistas recorreram à estatística para comparar a taxa de adoção do Cristianismo com as várias características socioculturais.

Segredo está nas “figuras-chave” da comunidade

O Cristianismo parece ter-se espalhado mais rapidamente sob a influência de líderes fortes, que dominavam pequenos grupos compostos por súbditos leais.

“Notámos que as duas culturas que demoraram mais tempo a converter-se, eram as mesmas que viviam sem qualquer forma de organização política“, aponta o estudo.

Segundo os investigadores, os missionários aprenderam a atrair figuras-chave das comunidades, oferecendo-lhe bens materiais e oportunidades de comércio. Esta também era uma estratégia sólida de sobrevivência: os missionários eram novos na região e, por isso, queriam dar-se com as pessoas mais influentes.

No entanto, foram estas estruturas políticas sólidas que ajudaram a levar o Cristianismo mais longe e de forma mais rápida.

O estudo aponta ainda que os grupos mais pequenos eram mais propensos a notar as mudanças dos grupos vizinhos – característica descrita como transmissão cultural dependente da frequência.

Os autores consideram um povo ou comunidade “convertida”, quando mais de metade da sua população adota uma nova doutrina.

O estudo está longe de ser a palavra final sobre a forma como os grandes sistemas culturais, como as religiões, competem e convertem uma comunidade em detrimento de uma outra. No entanto, esta pesquisa fornece mais evidências que descrevem fatores importantes para o tema.

“Conhecer apenas algumas características de cada população, como o seu tamanho e a sua organização política, melhora drasticamente a nossa capacidade de prever corretamente se uma ideia se vai espalhar ou não na sociedade”, concluiu Nicole Creanza, especialista em evolução cultural e genética da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, que não participou na pesquisa.

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Realmente tem lógica – as pessoas influentes e governantes, estão interessados que o povo esteja acorrentado à religião, isto é, que se agrupem ao rebanho e vivem amedrontados…

  2. As religiões espalham-se principalmente por falta de cultura/educação/ciência, além claro do obscurantismo/”manhas” típico das religiões!
    E, o Cristianismo não tem mais de 2000 anos – senão era mais antigo do que o próprio Cristo!!

  3. O medo, a ignorância e a fragilidade de muitas pessoas leva outros mais oportunistas a aproveitarem-se da fragilidade de cada um para atingirem os seus fins, por essa razão se vão inventando religiões ao gosto de cada um e cada qual com um fim específico sobretudo o de uma vida fácil para os cabecilhas das mesmas.

    • Claro e como dizia o Edir Macedo da IURD: se um crente não tem dinherio para contribuir para a igreja, Deus vai ajudar outra pessoa!!

Navio australiano filma meteoro a desintegrar-se no céu da Tasmânia

O navio de pesquisa científica da CSIRO capturou imagens surpreendentes de um meteoro a desintegrar-se no oceano, muito perto da Tasmânia. Na quarta-feira, o navio de pesquisa científica da CSIRO capturou um meteoro a desintegrar-se no …

Afinal, o Espaço não é assim tão escuro. Há brilho de origem desconhecida

Uma equipa de cientistas usou a New Horizons para medir a luminosidade do Espaço profundo e os resultados surpreenderam-na. Há muito tempo que os cientistas tentam perceber qual a luminosidade do Espaço, se lhe retirarmos todas …

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …

Cientistas reconstruiram explosão de Beirute através das redes sociais

Cientistas forenses recorreram a imagens partilhadas nas redes sociais para reconstruirem a explosão de Beirute, em agosto, que matou 191 pessoas. A 4 de agosto, uma série de explosões causadas por 2.750 toneladas de nitrato de …

Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do …

Marselha 0-2 FC Porto | Dragão vence e abre porta dos "oitavos"

Basta apenas um ponto para que o FC Porto carimbe uma vaga nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Na noite desta quarta-feira, os “dragões” venceram o Marseille por 2-0 – com os contributos de Zaidu …

Mais de 100 mil crianças morreram com VIH e 320 mil ficaram infetadas. A pandemia pode piorar o cenário

De acordo com um relatório da UNICEF, a cada 100 segundos uma criança ou jovem com menos de 20 anos foi infetado pelo VIH no ano passado. Com os novos dados, o número total de …

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais. A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não …

Médicos sem Fronteiras deixam hospital da Venezuela devido a restrições

A Médicos sem Fronteiras (MSF) vai se retirar de uma colaboração com um hospital venezuelano que visa tratar pacientes com covid-19 devido a restrições na entrada de especialistas no país, informou a organização na terça-feira. A …