Reino Unido quer travar entrada de imigrantes europeus pouco qualificados

Londres vai suspender a liberdade de circulação de cidadãos europeus após o Brexit e introduzir restrições à entrada de todos os trabalhadores da UE que não sejam altamente qualificados.

Segundo um documento publicado hoje pelo The Guardian, o projeto revela planos para tornar muito mais difícil aos trabalhadores europeus pouco qualificados estabelecer-se no Reino Unido, consagra a prioridade aos trabalhadores britânicos nas contratações e propõe que a imigração deve ser avaliada do ponto de vista não do benefício para os imigrantes, mas em que medida melhora a situação dos residentes no país.

O documento de 82 páginas do Ministério do Interior, marcado como “sensível” e datado de agosto de 2017, não está finalizado e não foi aprovado pelo Conselho de Ministros. Se vier a ser adotado, tem ainda de ser discutido no Parlamento e nas negociações com a UE, o que pode implicar alterações.

Não obstante, assinala o jornal, o documento revela pela primeira vez a posição do Governo da primeira-ministra Theresa May sobre imigração, central para muitos dos que apoiaram a saída do Reino Unido da União Europeia no referendo de 2016.

May disse hoje no Parlamento que é importante manter a imigração num nível “sustentável”, alegando que uma imigração descontrolada provoca uma redução dos salários mais baixos, mas assegurou que o Reino Unido “vai continuar a acolher os melhores e os mais inteligentes”.

O projeto prevê que os candidatos a imigrantes tenham de se registar no Ministério do Interior para obter uma autorização de residência de até dois anos. Essa autorização só pode ser prolongada, por 3 a 5 anos, para os trabalhadores altamente qualificados.

O documento defende também que a definição legal de família alargada deve ser restringida, para reduzir o número de familiares que podem juntar-se ao imigrante aos parceiros, filhos menores e familiares adultos dependentes.

Entre outras medidas, o projeto prevê que, ao chegar ao Reino Unido, os cidadãos europeus tenham de apresentar o passaporte, e não o cartão de identidade, como até agora.

O texto sugere que as novas restrições entrem em vigor assim que o Reino Unido saia formalmente da UE, o que tem sido previsto para os primeiros meses de 2019.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O RU devia era travar a saída dos britânicos pouco civilizados/educados que andam a fazer cenas um pouco por toda a Europa, principalmente nas zonas balneares!!

RESPONDER

Governo dá tolerância de ponto nos dias 9 e 13 de abril

O primeiro-ministro assinou um despacho a conceder tolerância de ponto nos próximos dias 9 e 13, no período da Páscoa, a todos os trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado. “É …

Depois do papel higiénico, vendas de snacks e bebidas alcoólicas disparam

A Associação Espanhola de Supermercados fez um estudo sobre as alterações de consumo desde que foi decretado o estado de emergência. A procura por papel higiénico disparou meados de março, mas os produtos mais procurados …

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal. DGS vai fazer testes de imunidade à população

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …

Costa "chocado" com caso da morte no aeroporto. Enfermeira, médico e polícias também investigados

Além dos três inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que são suspeitos de terem agredido um cidadão ucraniano, que acabou por morrer, também há outros elementos do SEF, um médicos e uma enfermeira, …

Reino Unido ultrapassa número de óbitos da China. Itália ainda não conseguiu inverter a curva

O Reino Unido regista agora um número de óbitos superior ao número registado na China. Em Itália, embora o pico já possa ter sido ultrapassado, o país ainda não conseguiu inverter a curva epidemiológica. Nas últimas …

Keir Starmer substitui Jeremy Corbyn e é o novo líder do Labour

Keir Starmer, de 57 anos, que tem feito parte da equipa de topo de Jeremy Corbyn nos últimos três anos, no papel de secretário sombra do Brexit, é o novo líder do Partido Trabalhista. De acordo …