Reduzidas penas pela morte do jornalista Jamal Khashoggi. Noiva fala em “farsa”

pomed / Flickr

O Jornalista saudita Jamal Khashoggi

A noiva turca do jornalista de origem saudita assassinado Jamal Khashoggi descreveu na segunda-feira como uma “farsa” o veredicto final dos tribunais que reduziram a pena dos acusados pelo crime.

As sentenças dos acusados pelo assassínio do jornalista Jamal Khashoggi, em 2018, foram reduzidas para entre sete e 20 anos de prisão, depois de terem sido condenados à morte em primeira instância, anunciaram na segunda-feira as autoridades da Arábia Saudita, citadas pela agência Lusa.

Um tribunal saudita condenou esta segunda-feira cinco dos acusados a 20 anos de cadeia e três outros a penas que vão de sete a 10 anos de prisão, diminuindo a pena a todos, segundo as autoridades, que não revelaram a identidade dos réus.

“As autoridades sauditas encerraram este processo sem que o mundo soubesse a verdade sobre quem foi o responsável pelo assassinato de Jamal”, acrescentou Hatice Cengiz. “O veredicto final na Arábia Saudita é uma completa paródia da justiça”, concluiu, dizendo que está “mais determinada do que nunca para lutar para que a justiça seja reposta”.

Também Agnès Callamard, a especialista nomeada pela ONU para realizar uma investigação independente sobre o assassínio do jornalista norte-americano de origem saudita disse na segunda-feira que a sentença anunciada não tem “legitimidade ou moral”, embora tenha saudado o cancelamento das penas de morte.

“O procurador saudita teve um novo gesto nesta paródia de justiça”, escreveu Callamard na sua conta de Twitter, cujo parecer não vincula as Nações Unidas. “Estas sentenças não têm legitimidade ou moral. Elas foram emitidas no fim de um processo que não foi justo nem transparente”, conclui a especialista.

O jornalista norte-americano de origem saudita Jamal Khashoggi foi assassinado no consulado da Arábia Saudita em Istambul, em outubro de 2018, depois de ter escrito duras críticas sobre o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, em colunas para o jornal norte-americano Washington Post.

Khashoggi vivia no exílio nos Estados Unidos há um ano, denunciando as ações de repressão do príncipe herdeiro saudita contra ativistas de direitos humanos, escritores e intelectuais opositores do regime.

Entre os alegados envolvidos no crime estão um médico forense, oficiais de inteligência e de segurança e membros do gabinete de Mohammed bin Salman, embora este tenha negado sempre qualquer conhecimento da operação que assassinou o jornalista.

Em dezembro de 2019, um tribunal de primeira instância tinha sentenciado à morte os oito acusados, mas a procuradoria-geral da Arábia Saudita disse hoje que um tribunal de recurso tinha diminuído as suas penas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pandemia "roubou" habitantes a Nova Iorque, mas a cidade está a renascer novamente

A pandemia de covid-19 "esvaziou" cidades norte-americanas, que mostram agora possíveis sinais de renascimento, de acordo com uma análise que sugere que os deslocamentos do ano passado terão sido temporários. Os dados da Unacast, uma empresa …

"100% confirmado". Naufrágio perto de Malta é do submarino HMS Urge

Mergulhadores confirmaram a identidade de um submarino britânico que foi afundado por uma mina alemã perto de Malta, em 1942, pondo fim às especulações de que tinha naufragado por culpa de aviões de guerra italianos, …

Confrontos entre polícia e adeptos do Sporting junto ao estádio

Na noite da festa leonina, viveram-se momentos de grande tensão. Polícia e adeptos envolveram-se em confrontos junto ao Estádio de Alvalade, esta terça-feira. Adeptos do Sporting e elementos das forças de segurança entraram em confronto nas …

Tribunal não encontra credores do Banif no estrangeiro

Alguns credores do Banif que estão no estrangeiro ainda não foram notificados, segundo o anúncio de citação de credores residentes no estrangeiro, datado de 06 de maio. Caso não seja possível encontrá-los, em breve todos …

Novas reações nucleares nas ruínas de Chernobyl. São como "brasas numa churrasqueira"

Nas profundezas das ruínas da Central Nuclear de Chernobyl, 35 anos após o pior acidente nuclear da História, as reações de fissão nuclear começaram a surgir novamente. Uma equipa de cientistas do Safety Problems of Nuclear …

A moeda digital da China pode ser o futuro do dinheiro, mas levanta preocupações

A moeda digital da China pode ser o modelo do futuro do dinheiro, mas levante preocupações relativamente à estabilidade da economia mundial. A China está a registar um progresso promissor com os testes do yuan digital. …

O assassinato de Vincent Chin foi uma batalha legal perdida. Mas incentivou a luta pelos direitos dos ásio-americanos

Vincent Chin faleceu aos 27 anos depois de ter sido espancado por dois homens brancos que o culpavam por terem sido despedidos. Nenhum dos assassinos passou um dia na prisão, mas o incidente estimulou o …

Messi e Barcelona tratam da renovação

Saída do argentino pode ser adiada (novamente). Contrato termina no próximo mês mas a ligação entre as duas partes deve ser prolongada. A saída de Lionel Messi do Barcelona parecia certa no verão passado mas o …

Nacional 1-3 Benfica | Créditos no banco com Darwin e Ramos

OBenfica venceu na tarde desta terça-feira o Nacional por 3-1, numa partida a contar para a 32ª jornada da Liga NOS. As “águias” estiveram em desvantagem desde o minuto 8, quando Pedrão inaugurou a contenda, e …

Empresa ofereceu bónus covid aos funcionários. Mas era apenas um teste de phishing

Cerca de 2.500 funcionários de uma empresa ferroviária receberam um email a anunciar um "bónus covid", pelo seu esforço e trabalho árduo numa altura tão complicada como a que o mundo enfrenta com a pandemia. …