Reduzidas penas pela morte do jornalista Jamal Khashoggi. Noiva fala em “farsa”

pomed / Flickr

O Jornalista saudita Jamal Khashoggi

A noiva turca do jornalista de origem saudita assassinado Jamal Khashoggi descreveu na segunda-feira como uma “farsa” o veredicto final dos tribunais que reduziram a pena dos acusados pelo crime.

As sentenças dos acusados pelo assassínio do jornalista Jamal Khashoggi, em 2018, foram reduzidas para entre sete e 20 anos de prisão, depois de terem sido condenados à morte em primeira instância, anunciaram na segunda-feira as autoridades da Arábia Saudita, citadas pela agência Lusa.

Um tribunal saudita condenou esta segunda-feira cinco dos acusados a 20 anos de cadeia e três outros a penas que vão de sete a 10 anos de prisão, diminuindo a pena a todos, segundo as autoridades, que não revelaram a identidade dos réus.

“As autoridades sauditas encerraram este processo sem que o mundo soubesse a verdade sobre quem foi o responsável pelo assassinato de Jamal”, acrescentou Hatice Cengiz. “O veredicto final na Arábia Saudita é uma completa paródia da justiça”, concluiu, dizendo que está “mais determinada do que nunca para lutar para que a justiça seja reposta”.

Também Agnès Callamard, a especialista nomeada pela ONU para realizar uma investigação independente sobre o assassínio do jornalista norte-americano de origem saudita disse na segunda-feira que a sentença anunciada não tem “legitimidade ou moral”, embora tenha saudado o cancelamento das penas de morte.

“O procurador saudita teve um novo gesto nesta paródia de justiça”, escreveu Callamard na sua conta de Twitter, cujo parecer não vincula as Nações Unidas. “Estas sentenças não têm legitimidade ou moral. Elas foram emitidas no fim de um processo que não foi justo nem transparente”, conclui a especialista.

O jornalista norte-americano de origem saudita Jamal Khashoggi foi assassinado no consulado da Arábia Saudita em Istambul, em outubro de 2018, depois de ter escrito duras críticas sobre o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, em colunas para o jornal norte-americano Washington Post.

Khashoggi vivia no exílio nos Estados Unidos há um ano, denunciando as ações de repressão do príncipe herdeiro saudita contra ativistas de direitos humanos, escritores e intelectuais opositores do regime.

Entre os alegados envolvidos no crime estão um médico forense, oficiais de inteligência e de segurança e membros do gabinete de Mohammed bin Salman, embora este tenha negado sempre qualquer conhecimento da operação que assassinou o jornalista.

Em dezembro de 2019, um tribunal de primeira instância tinha sentenciado à morte os oito acusados, mas a procuradoria-geral da Arábia Saudita disse hoje que um tribunal de recurso tinha diminuído as suas penas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pessoas que enfrentam bem a manhã são mais saudáveis (e trabalham melhor)

Vários estudos têm demonstrado que algumas pessoas enfrentam as manhãs de forma naturalmente melhor, o que faz com que tenham um conjunto de diferenças cerebrais que as tornam mais felizes quando acordam. Por outro lado, as …

Cavalos, elefantes e peixes. Circo alemão substitui animais por hologramas gigantes

Após muitas críticas e polémicas à volta do uso de animais em circos, o Circo Roncalli decidiu substituí-los por hologramas, tornando-se o pioneiro nesta abordagem futurista. Os circos têm uma história polémica devido ao facto de …

FC Porto 2-3 SC Braga | Vitória no Dragão leva Braga à final da Taça

O Sporting de Braga venceu hoje o FC Porto por 3-2, em jogo da segunda mão da meia-final da Taça da Portugal de futebol, e garantiu um lugar na final da competição. Depois do empate (1-1) …

Mona Lisa: a cadeira escondida que transforma o significado da obra de Da Vinci

O quadro da autoria de Leonardo Da Vinci é a obra de arte mais famosa do mundo. Contudo, há um detalhe que tem passado despercebido: a cadeira onde a misteriosa mulher está sentada. Escondida, mas …

"Projeto Xueliang". O plano chinês para fiscalizar 100% do espaço público

O "Projeto Xueliang" da China tem como objetivo fiscalizar a totalidade do espaço público, transformando vizinhos em agentes de vigilância do Estado. Em 2016, o município de Pingyi, localizado sete horas a norte de Shangai, tinha …

Há quem tome medicamento para cavalos para tratar covid-19, podendo envenenar-se acidentalmente

A pandemia de covid-19 gerou uma série de desinformações, algumas levando as pessoas a tomar medicamentos não prescritos para tratamento da doença, colocando em risco a sua saúde. Quando a cloroquina, medicamento para tratar a malária, …

Parece o "Batmóvel", é movido a energia solar e pode ser produzido em massa

A Aptera Motors está a preparar-se para lançar o primeiro automóvel movido a energia solar a ser produzido em massa até ao final do ano. A Aptera Motors, uma empresa norte-americana, apresentou recentemente o primeiro carro …

George Floyd. Minneapolis ia contratar influencers para combater desinformação durante julgamento de Derek Chauvin

A cidade de Minneapolis, nos Estados Unidos, planeava contratar seis influencers para ajudar a partilhar informações durante o julgamento de Derek Chauvin, o ex-polícia acusado de assassinar George Floyd. De acordo com a CNN, o plano …

Imagens revelam que a Coreia do Norte oculta local onde armazena armas nucleares. EUA planeiam agir

As imagens de satélite mostram que a Coreia do Norte tomou medidas para ocultar uma instalação, que as agências de inteligência dos EUA acreditam estar a ser usada para armazenar armas nucleares. A situação fez …

Antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi recebeu envelope com duas balas

O antigo chefe do governo italiano Matteo Renzi recebeu, esta quarta-feira, um envelope com duas balas no interior, uma ameaça imediatamente denunciada por toda a classe política. O envelope foi entregue diretamente na sede do Senado, …