Já sabemos como era o rosto de Hilda, uma das druidas mais antigas da Escócia

(dr) University of Dundee

Karen Fleming recriou o rosto de Hilda, um dos druidas mais antigos da Escócia

Uma estudante da Universidade de Dundee, na Escócia, revelou o rosto de um dos druidas mais antigos do país através de uma reconstrução 3D super detalhada.

Hilda foi uma mulher druida que viveu durante a Idade do Ferro na Escócia e que conseguiu a proeza impressionante de chegar aos 60 anos, quando a maioria das mulheres da época viviam apenas metade.

Tudo o que os investigadores tinham acerca desta mulher era o seu crânio sem dentes. Mas agora, conta o Live Science, têm algo mais: uma reconstituição em cera do seu rosto tão detalhado que tem até as suas rugas.

“Hilda era uma personagem fascinante para recriar. A expectativa de vida de uma mulher nessa época era de aproximadamente 31 anos, viver mais do que isso durante a Idade do Ferro é um indicador de um passado privilegiado”, explica Karen Fleming, estudante de mestrado em identificação forense e arte forense da Universidade de Dundee, na Escócia.

Além da recriação de cera, Fleming também criou uma imagem digital detalhada desta mulher a usar um xaile à volta da cabeça, lê-se no comunicado da Universidade escocesa.

Os investigadores não sabem muito sobre esta mulher. Acredita-se que os seus restos mortais tenha sido encontrados em Stornoway, na ilha de Lewis, na costa norte da Escócia. O seu crânio foi um dos seis “Druidas das Hébridas” apresentados à Sociedade Frenológica de Edimburgo, no ano de 1833. Desde então, o crânio permaneceu no Museu Anatómico da Universidade de Edimburgo.

“É impossível saber ao certo quando Hilda morreu, uma vez que não conseguimos fazer datação por radiocarbono do crânio. Mas, supondo que as informações de 1833 estão corretas, faleceu entre 55 A.C. e 400 D.C. e era de origem celta“, acrescenta Fleming.

Os druidas viviam no que hoje são os territórios do Reino Unido e da França, e serviram como “grandes pensadores”, principalmente filósofos, professores, juízes e até mediadores entre humanos e deuses. A menção mais antiga sobre este grupo remonta há 2.400 anos, que depois começou a desaparecer lentamente há cerca de 1.200 anos, quando o Cristianismo se espalhou.

Criar um rosto 3D desta druida teve desafios, sobretudo por causa da onda de calor que se abateu sobre a Europa nos últimos meses, que quase a fez derreter antes de estar pronta. Felizmente, a ideia de a colocar dentro de um frigorífico salvou o trabalho de Fleming que agora pode ser visto até 25 de agosto, juntamente com outras obras de arte de estudantes, no Masters Show da Universidade de Dundee.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. “…. viviam no território entre Reino Unido e França”

    Que território é esse? O Reino Unido sendo uma ilha, como já o era na idade do ferro, não existe território algum!
    Se assumem que esse território é a Bretanha, este está no continente e não entre o RU (uma ilha) e França.

    Queiram detalhar e confirmar, por favor.

Responder a ZAP Cancelar resposta

Há uma forma de reduzir erros na computação quântica (e já sabemos qual é)

Na computação quântica, assim como no trabalho em equipa, um pouco de diversidade pode ajudar a melhorar o resultado. Esta pode mesmo ser a chave para pôr fim aos erros na computação quântica. Ao contrário dos …

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …