É menos provável fazerem reanimação cardiorrespiratória em público a uma mulher

As mulheres que têm paragens cardiorrespiratórias em público tem menos hipóteses de receberam reanimação cardiorrespiratória, de acordo com um novo estudo.

Uma nova investigação descobriu que as mulheres têm menos probabilidade de receber reanimação cardiorrespiratória em público. Além disso, são também mais propensas a morrer na sequência de eventos cardíacos, em comparação com os seus colegas do sexo masculino.

A investigação, levada a cabo por cientistas da Universidade da Pensilvânia, analisou 19.331 eventos cardíacos que ocorreram nos Estados Unidos e no Canadá. Depois de consultarem os dados do Resuscitation Outcomes Consortium, a equipa concentrou-se em analisar detalhadamente eventos cardíacos que aconteceram em locais públicos.

Segundo o estudo, os homens tinham 1,23 vezes mais probabilidade de receber reanimação de uma pessoa na rua do que as mulheres. O sexo masculino recebeu reanimação cardiorrespiratória em 45% das situações, enquanto que as mulheres receberam em apenas 39% das vexes.

Além disso, avança o IFL Science, os cientistas concluíram que os homens tinham duas vezes mais probabilidade de sobreviver a um evento cardíaco do que as mulheres. O artigo científico foi publicado recentemente no Journal of the American College of Cardiology.

No entanto, quando analisaram eventos cardíacos que ocorreram em casa, os cientistas não encontraram diferenças significativas entre homens e mulheres: 35% das mulheres receberam reanimação, em comparação com 36% dos homens.

Mas o que acontece para a diferença ser tão discrepante em público? Os investigadores explicam que o motivo pode ser tão simples quanto as pessoas que auxiliam não se sentirem confortáveis a auxiliar uma mulher quando não a conhece – ou seja, no que diz respeito à reanimação cardiorrespiratória em mulheres, o cidadão comum pode ser mais “sensível“.

Os autores do estudo apresentaram as suas conclusões na conferência da American Heart Association, onde adiantaram que a discrepância pode também estar associada à relutância dos socorristas em remover a roupa de uma mulher para conseguir um melhor acesso ao seu peito, ou até à falta de vontade de tocar nos seus seios para realizar a reanimação.

Na conferência, os investigadores advertiram ainda para o facto de os manequins de treino de reanimação cardiorrespiratória terem o formato de dorsos masculinos. Como resultado, as pessoas podem sentir-se menos preparadas a realizar uma ação médica deste tipo em mulheres, devido às diferenças na anatomia do corpo humano.

Ainda assim, o investigador Benjamin Abella foi tenaz: “Não é hora de se ser delicado, porque se trata de uma situação de vida ou de morte”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O titanossauro mais antigo do mundo foi descoberto na Patagónia

Ninjatitan zapatai viveu há aproximadamente 140 milhões de anos, no início do Cretáceo, na atual Patagónia, na Argentina. Segundo os cientistas, o novo espécime fóssil de tiranossauro pode ser o mais antigo do mundo. Com cerca …

Volvo prepara mudança estratégica e apresenta o seu novo modelo 100% elétrico: o C40 Recharge

A marca de automóveis sueca apresentou o seu novo modelo 100% elétrico: o C40 Recharge. O modelo representa mais um passo no caminho para a eletrificação total da Volvo, já que esta semana a marca …

Benfica 2-0 Estoril | Águia carimba presença na final

O Benfica venceu o Estoril Praia por 2-0, no Estádio da Luz, e apurou-se para a final da Taça de Portugal, a segunda consecutiva do emblema “encarnado”. Os comandados de Jorge Jesus confirmaram a superioridade …

Um reator nuclear pode ajudar a resolver o mistério do desaparecimento de Amelia Earhart

Uma equipa de investigadores da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos, vai submeter uma folha de alumínio velha e gasta a um feixe de partículas do coração de um reator nuclear na esperança de …

Musk quer criar uma nova cidade no local de lançamento da SpaceX. Vai chamar-se Starbase

O empresário norte-americano Elon Musk está a tentar criar uma nova cidade chamada Starbase nas instalações de lançamento da SpaceX no Texas, nos Estados Unidos. As instalações da SpaceX no Texas estão localizadas em Boca Chica …

Chatbots: A tecnologia que "ressuscita" os mortos é cada vez mais uma realidade

Foi recentemente revelado que em 2017 a Microsoft patenteou um chatbot que, se construído, ressuscitaria digitalmente os mortos. Usando Inteligência Artificial e machine learning, o chatbot proposto traria o nosso ente querido de volta à …

Casal acertou no jackpot de 210 milhões de euros do Euromilhões (mas não registou o boletim)

Dois jovens britânicos pensaram que tinham ganho 182 milhões de libras (cerca de 210 milhões de euros), mas afinal o boletim não tinha sido registado por falta de dinheiro na conta online. Rachel Kennedy, de 19 …

A Islândia foi atingida por 17 mil terramotos na semana passada (e uma erupção pode estar iminente)

Mesmo para uma ilha vulcânica acostumada a tremores ocasionais, esta foi uma semana incomum para a Islândia. De acordo com o Escritório Meteorológico da Islândia, cerca de 17 mil terramotos atingiram a região sudoeste de …

Mulheres portuguesas trabalham mais uma hora e 13 minutos que os homens

As mulheres portuguesas trabalham em cada dia útil mais uma hora e 13 minutos do que os homens, entre trabalho pago e não pago, continuando a ter maior dificuldade em conciliar a profissão com a …

Três sismos acima de 7 na escala de Richter abalam a Nova Zelândia. Autoridades alertam para tsunami

A costa nordeste da Nova Zelândia foi esta quinta feira atingida por três sismos de magnitude acima de 7 na escala de Richter. A proteção civil emitiu um alerta de tsunami após o primeiro terramoto, …