Um quinto das vagas para estágios na Função Pública por preencher em 2021

António Cotrim / Lusa

As 500 vagas disponibilizadas no programa EstágiAP XXI, em 2021, não foram totalmente preenchidas. Pelo menos 110 lugares transitam para 2022.

O Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública já tinha anunciado que as vagas que não foram ocupadas em 2021 passariam para este ano.

Agora, ao Público, fonte oficial confirmou que o número de vagas por preencher foi de 110, podendo até ser um pouco mais. Estas vão somar-se às 1.000 previstas para a nova edição do programa, destinado a jovens licenciados.

Na primeira edição, que disponibilizava 500 vagas, houve 440 candidatos a conseguirem colocação nos serviços e organismos públicos. Destes, só 260 celebraram contrato de estágio, “não tendo o mesmo acontecido com os restantes candidatos que obtiveram colocação, devido a perda de interesse por parte destes”.

Os 240 lugares por preencher foram novamente disponibilizados e, de acordo com as listas de colocação publicadas na Bolsa de Emprego Público na semana passada, “obtiveram colocação cerca de 130 candidatos, seguindo-se a celebração dos contratos de estágios com os serviços”.

“Assim, transitam para a segunda edição do programa de estágios na Administração Pública, pelo menos, cerca de 100 vagas [110, concretamente], podendo este número vir a sofrer alterações caso os candidatos agora colocados optem por não assinar os contratos de estágios com as respetivas entidades”, salienta o Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública.

Além de admitir que a “perda de interesse” pode ser um dos motivos para as vagas estarem ficarem por ocupar, o Governo também aponta para desajustamentos entre licenciaturas pretendidas pelos serviços e a formação dos próprios candidatos.

Na edição de 2021 do EstágiAP XXI, 25% das 500 vagas disponíveis eram para organismos dos Ministérios da Saúde e da Administração Interna, seguindo-se o Ambiente, a Economia, a Cultura, a Coesão, a Agricultura e a Educação.

Os ministérios com menos vagas foram os do Planeamento, das Infraestruturas e da Defesa.

Para já, e até 21 de fevereiro, decorre o período para os organismos públicos se candidatarem à edição de 2022, indicando o número de estagiários e a área da sua formação académica.

O programa destina-se a licenciados até aos 30 anos (ou até aos 35 anos se tiverem deficiência ou incapacidade) que estejam à procura do primeiro emprego ou de novo emprego correspondente à sua área de formação e nível de qualificação. No final do estágio, não há possibilidade de estes jovens serem contratados definitivamente.

A segunda edição do EstágiAP XXI será financiada pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) com 12,3 milhões de euros.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE