Quase um terço da população chinesa terá mais de 65 anos em 2050

Trinta por cento da população chinesa terá mais de 65 anos, dentro de três décadas, informou hoje um jornal chinês, ilustrando o rápido envelhecimento do país, apesar de ter abolido a política de filho único.

“O rápido envelhecimento da população aumentará a pressão sobre os fundos de pensão e o trabalho, e as famílias enfrentarão dificuldades sem precedentes para cuidar dos mais velhos”, afirmou Wang Guangzhou, especialista em economia populacional, na Academia Chinesa de Ciências Sociais (CASS), citado pelo jornal oficial China Daily.

Segundo dados oficiais, 166,6 milhões de pessoas na China, o equivalente a 11,9% da população total, têm mais de 65 anos, mas devido à queda na taxa de natalidade, a proporção de idosos “aumentará rapidamente” ao longo das próximas décadas.

A China, nação mais populosa do mundo, com cerca de 1.400 milhões de habitantes, aboliu a 1 de janeiro de 2016 a política de “um casal, um filho”, pondo fim a um rígido controlo da natalidade que durava desde 1980. Pelas contas do Governo, sem aquela política, a China teria hoje quase 1.700 milhões.

Mas, devido à redução no número de mulheres em idade fértil, um grupo que perde entre cinco e seis milhões de pessoas por ano, e aos altos custos e falta de tempo para criar uma criança, a taxa de natalidade continuou a cair nos últimos anos.

Em 2018, o número de nascimentos fixou-se em 15,23 milhões, o mais baixo desde 2000, e um abrandamento de 3,81%, face ao ano anterior.

Citado pelo China Daily, Yuan Xin, professor na Nankai University, norte do país, estimou que o declínio da população, juntamente com o envelhecimento, fará com que o número total de pessoas em idade ativa caia 22%, para 700 milhões, em 2050. O número de chineses em idade ativa está atualmente fixado em 897,3 milhões.

No entanto, Yuan recusou que o país vá sofrer escassez de mão-de-obra e propôs um aumento da idade de reforma dos 60 anos – 55 para as mulheres em trabalhos intelectuais e 50 para as mulheres em trabalhos manuais – para os 65 anos, o que aumentaria a força de trabalho em cerca de cem milhões de pessoas.

“Com o desaparecimento de uma força de trabalho barata e massiva, a China não deve continuar a depender de indústrias que exigem mão-de-obra intensiva”, disse Yuan. “Devemos concentrar-nos na pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico, e continuar a melhorar a qualidade da força de trabalho, para compensar o declínio populacional”, acrescentou.

Segundo o “Livro Verde da População e do Trabalho”, publicado pelo CASS em janeiro passado, a população chinesa atingirá o pico de 1,442 milhões, em 2029, e entrará em declínio no ano seguinte. A projeção é de que, em 2025, a população do país asiático atinja os 1.364 milhões e, em 2065, 1.248 milhões – o mesmo número do que em 1996.

A atual restrição de dois filhos pode assim vir a ser também abolida, permitindo que as famílias tenham vários filhos, pela primeira vez em décadas.

Mas, apesar das projeções de declínio no país mais populoso do mundo, as Nações Unidas estimam que a população global continue a crescer. Um relatório de 2017 estima que, em 2030, chegue aos 8,6 mil milhões, e que, até ao final do século, alcance os 11,2 mil milhões. A Índia deve superar a China como o país mais populoso até 2024.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

PS e BE afastados "porque dá jeito" (e os riscos de andar para trás)

O líder do PSD alertou este domingo para o distanciamento do PS em relação ao BE, porque “dá jeito para as eleições”, notando ser uma tentativa de “limpar” a proximidade dos últimos quatro anos e …

A KLM vai passar a "voar" de comboio

A KLM, que já tinha sugerido que se voasse menos e se viajasse mais de comboio, confirmou que vai retirar um dos voos Bruxelas-Amesterdão, passando os passageiros a efetuar a rota sobre carris, num comboio …

Cientistas fazem reconstrução facial de um guerreiro escocês do séc XV

Cientistas reconstruiram digitalmente o rosto daquele que terá sido um membro poderoso de um clã do século XV da Escócia, que terá morrido num violento conflito com um clã vizinho. Corria o ano de 1957 quando …

Estudo mostra que os golfinhos também já são resistentes aos antibióticos

Um novo estudo realizado nos Estados Unidos mostra que os golfinhos Tursiops truncatus também já mostram resistência aos antibióticos. Não é segredo que os seres humanos usam demasiados antibióticos, tanto que estamos a desenvolver uma resistência …

Indígenas famosos pela sua saúde cardíaca começaram a usar óleo de cozinha (e a engordar)

O povo Tsimane, que vive na Bolívia, tem permanecido relativamente afastado do mundo exterior durante várias gerações, prosperando da terra e praticando formas tradicionais de caça, pesca, agricultura e recolha de alimentos. Durante vários anos, sabe-se …

Mais de 150 detidos em protestos violentos em Paris. Desta vez, sem coletes amarelos

As autoridades francesas detiveram este sábado mais de 150 pessoas numa nova jornada de protestos em Paris, onde coincidiram uma manifestação dos coletes "amarelos" com outras dois em defesa do clima e contra a reforma …

UE deteta 50 a 80 casos de desinformação e fake news russas por semana

O grupo de trabalho do Serviço Europeu de Ação Externa contra a desinformação russa deteta, semanalmente, entre 50 e 80 casos, num total de mais de 6.300 situações identificadas desde 2015, que têm vindo a …

Moreirense 1-2 Benfica | Rafa abre caminho à reviravolta

O Benfica sofreu a bom sofrer para levar de vencida o Moreirense, em casa deste, por 2-1. Os homens da casa marcaram primeiro, por Luther Singh, logo no arranque do segundo tempo, e estiveram na …

Bernardo Silva faz o primeiro 'hat-trick' da carreira na maior goleada de sempre do City

O avançado português Bernardo Silva fez este sábado o primeiro ‘hat-trick’ da carreira na vitória por 8-0 do Manchester City frente ao Watford, em jogo da sexta jornada da Liga inglesa de futebol. David Silva abriu …

Centenas foram à baixa de Lisboa protestar contra exploração do lítio

Cerca de quatro centenas de manifestantes de diferentes movimentos independentes de defesa do ambiente e de proteção do património rural protestaram hoje em Lisboa, contra a concessão e exploração a céu aberto do lítio em …