/

Qatar 2022. Inspirado no Médio Oriente, novo estádio não deixa que os jogadores sintam as altas temperaturas

2

Supreme Committee for Delivery & Legacy

Estádio Al Thumama, Qatar

Tem capacidade para 40.000 pessoas e localiza-se no sul de Doha. Este é o sexto estádio a ser inaugurado antes do mundial de 2022, que está programado para o próximo ano no Qatar.

O mundial de futebol de 2022 está cada vez mais perto e o Qatar – país anfitrião do evento – tem realizado múltiplos investimentos em infraestruturas que tenham capacidade para receber as equipas e os adeptos.

Uma das obras realizadas foi a construção do estádio Al Thumama, sendo que toda a sua arquitetura foi pensada ao pormenor. O design do estádio foi inspirado no gahfiya, um boné tradicional usado pelos homens em todo o Médio Oriente.

Mas mais importante do que isso: a infraestrutura foi pensada para manter os espetadores e jogadores a uma temperatura confortável, já que o o evento da FIFA se vai realizar num país conhecido pelas temperaturas elevadas.

De acordo com Ibrahim M Jaidah, arquiteto responsável pela grandiosa obra, da mesma forma que o gahfiya protege a cabeça dos homens do sol quente que se faz sentir no Médio Oriente, o estádio também terá capacidade para manter uma boa temperatura ambiente que ajudará os jogadores na sua exibição e tornará o local mais agradável para os visitantes. Isto só será possível com a ajuda de um complexo sistema de refrigeração que conta com jatos de água, ar-condicionado e ventiladores.

“Os jogadores precisam de ar mais fresco – mais do que os espetadores, pois estão a correr”, referiu Saud Abdulaziz Abdul Ghani, responsável pela execução do projeto de refrigeração.

“Em cada local, o nosso desafio foi fornecer a tecnologia e a temperatura adequadas para as diferentes zona do estádio. Na zona dos espetadores, o ar é arrefecido sob os assentos”, explica Ghani. Por outro lado “o facto de o estádio ser todo branco no exterior também ajuda a manter uma boa temperatura”, acrescenta.

O estádio foi construído perto do deserto e embora não haja nada particularmente “sustentável” na construção de infraestruturas nestes locais, o Al Thumama conta com um design ecológico que reduz a pegada de carbono.

Segundo o New Atlas, a água será reutilizada para irrigar a vegetação e as árvores que cobrem a maior parte da área imediata. O estádio é também parcialmente alimentado por um enorme painel solar instalado nas proximidades. Um outro painel alimenta os sistemas de ar condicionado do edifício.

Além das instalações desportivas, o novo estádio possui ainda uma mesquita, um hotel e áreas comerciais.

A preparação para o mundial de 2022 tem sido uma tarefa grandiosa para o país e resultou em projetos notáveis como o Diamond in the Desert e o Estádio Al Wakrah. No entanto, este último projeto também gerou alguma controvérsia, pois houve vários relatos de maus tratos condições aos trabalhadores da obra.

O mundial de 2022 realiza-se no Qatar de 21 de novembro a 18 de dezembro e promete maravilhar os espetadores com os seus estádios. São oito projetos no total.

  Ana Isabel Moura, ZAP //

 

 

2 Comments

  1. Realizar o “mundial da bola” em ditaduras como o Qatar é uma vergonha para todos aos países civilizados que nele participam (e não só)!

  2. Os luxos do petróleo! Se a humanidade ainda tiver a oportunidade de existir até este esgotar, terão também a oportunidade de ver a qualidade de vida daí para diante neste países desérticos!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE