PSP propôs festa dos adeptos dentro de Alvalade, mas “não foi aceite”

Miguel A. Lopes / Lusa

A PSP avança que sugeriu, na reunião de preparação da festa do título, que os festejos ocorressem dentro do Estádio de Alvalade, mas que a proposta não foi aceite.

Esta quinta-feira, o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, recusou assumir a responsabilidade pela concentração de milhares de adeptos junto ao Estádio de Alvalade e garantiu que desconhecia o parecer negativo da PSP.

Em causa estão as declarações do comissário Bruno Pereira, vice-presidente do Sindicato Nacional de Oficiais da Polícia, que revelou que a PSP deu parecer negativo à instalação de uma “fan zone” da claque Juve Leo junto ao estádio e que propôs à autarquia um plano alternativo, que envolvia o controlo de segurança dos adeptos no estádio e no Marquês.



Segundo o Jornal de Notícias, a polícia queria que os festejos decorressem dentro de Alvalade, com controlo e revista de segurança à entrada. A proposta foi feita a todos os intervenientes envolvidos no plano de segurança, elaborado dias antes, mas não foi aceite.

“Uma das alternativas era organizar a festa dentro do estádio, com controlo das entradas. Assim, era mais fácil coordenar a segurança física e sanitária. Também se previa um cordão externo à volta do estádio para impedir ajuntamentos. Soube que não foi aceite, mas não sei qual dos intervenientes se opôs”, disse o comissário Bruno Pereira ao jornal.

Sobre o parecer negativo, o comissário explicou ainda ao JN que foi “enviado, por e-mail, na segunda-feira, para a Câmara” e que “não houve resposta”.

De acordo com o jornal Público, a proposta defendida pela PSP foi defendida, na última sexta-feira, na reunião que ocorreu no Ministério da Administração Interna (MAI). O encontro contou com a presença de três chefes de gabinete de dois ministros (da Administração Interna e da Saúde) e do secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, de dois superintendentes da PSP, do subdiretor-geral de Saúde, de um vereador da Câmara e dois representantes do Sporting.

O diário avança que os representantes do Governo e a autarquia defenderam que restringir demasiado os festejos poderia levar ao caos e que, estando o país em situação de calamidade, não seria legítimo restringir a liberdade das pessoas.

Depois da ‘nega’ para realizar a festa dentro do estádio, foi então que o próprio diretor nacional da PSP tomou a iniciativa de enviar um ofício ao MAI a solicitar uma intervenção política. Este alerta terá ficado sem resposta, acrescenta o diário.

“Um ofício com o parecer do diretor nacional ao ministro da Administração Interna significa que as reuniões preparatórias para preparar a segurança dos festejos ficaram aquém do esperado pela PSP”, defendeu uma fonte da PSP ao semanário Expresso.

Esta quinta-feira, numa entrevista à RTP, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assumiu que houve uma “leveza excessiva” na preparação da festa. Mas disse também que lhe foi explicado que, “por muita prevenção que pudesse haver, os diques iam romper naquele tipo de fenómeno”.

“Há um somatório de fatores e há também o comportamento das pessoas: são 20 anos de espera, mas que diabo. Eu percebo isso, mas houve ali um efeito que não é positivo e que não pode ser replicado num futuro próximo”, alertou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Paquistão. Quem não se vacinar pode ficar sem acesso ao telemóvel

O governo regional de Punjab, no Paquistão, decidiu que os cidadãos que não se vacinarem contra a covid-19 "ao fim de um certo tempo" podem ver o cartão SIM do seu telemóvel bloqueado. "Estamos a fazer …

Seleção Nacional testa negativo na véspera da estreia no Europeu

Depois do susto de João Cancelo, que testou positivo ao novo coronavírus, a seleção nacional respira de alívio na véspera da estreia no Europeu, depois de ter testado negativo à covid-19. Esta segunda-feira de manhã, a …

Associação quer que os testes em eventos culturais sejam gratuitos

A Associação Espetáculo - Agentes e Produtores Portugueses defendeu que os testes de diagnóstico à covid-19 devem ser gratuitos em eventos culturais. A Associação Espetáculo – Agentes e Produtores Portugueses defendeu, este domingo, que os testes …

Advogados repudiam declarações de Cabrita sobre agendamentos do SEF

Um grupo de advogados repudiou as declarações do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que atribuem a um escritório de advogados a responsabilidade pelo mau funcionamento do sistema de agendamentos para atribuição de vistos de …

Fundo Azul só aplicou um quarto do orçamento desde 2016

O Fundo Azul tem tido um orçamento anual de 13 milhões de euros nos últimos cinco anos, mas não tem gasto três quartos desde 2016. Em cinco anos, o Fundo Azul entregou apenas 17 milhões de …

Polónia 1-2 Eslováquia | Paulo Sousa surpreendido no arranque

A Polónia, comandada pelo treinador português Paulo Sousa, entrou hoje da pior forma no Euro2020, ao perder por 2-1 com a Eslováquia, em encontro do Grupo E, disputado em São Petersburgo, na Rússia. O guarda-redes Wojciech …

Agostinho Branquinho nega tráfico de influências na construção de hospital em Valongo

O antigo deputado Agostinho Branquinho negou esta segunda-feira qualquer envolvimento ou tráfico de influências junto da Câmara de Valongo, no processo de licenciamento e construção do Hospital de São Martinho, naquele concelho do distrito do …

Estádio Sp. Braga

17 anos depois, Câmaras ainda devem 55 milhões dos estádios do Euro 2004 (só 2 já pagaram tudo)

Apenas duas Câmaras municipais já não têm dívidas no âmbito da construção de estádios para o Euro 2004. Ao cabo de 17 anos, as autarquias ainda têm cerca de 55 milhões de euros para pagar …

PSD quer aumentar penas para corrupção por políticos em funções e evitar megaprocessos

O PSD quer agravar as penas de prisão para crimes de corrupção, sobretudo quando cometidas por políticos, mas admite a dispensa ou atenuação da pena em caso de colaboração, e apresenta propostas para evitar os …

Petição por manuais gratuitos para todos os alunos entregue esta segunda-feira no Parlamento

Uma petição pública pelo alargamento da gratuitidade dos manuais escolares a todos os alunos do ensino obrigatório, passando a incluir o setor privado, é entregue esta segunda-feira no parlamento para ser discutida em plenário. Dezenas de …