PSD vence regionais na Madeira mas perde maioria absoluta

Gregório Cunha / Lusa

O cabeça de lista às próximas eleições regionais da Madeira pelo Partido Social Democrata (PSD), Miguel Albuquerque

O PSD venceu hoje as eleições legislativas regionais na Madeira, com 37% a 41% dos votos, o que lhe retira a maioria absoluta no parlamento, segundo a projeção da RTP/Católica.

O Partido Social Democrata venceu as eleições legislativas regionais na Madeira, com com 37% a 41% dos votos. Com este resultado, o PSD elege entre 19 e 23 dos 47 deputados da assembleia regional.

De acordo com a projeção, o PS alcança 34% a 38% dos votos (17 a 21 deputados), o CDS-PP 5% a 7% (dois a três) e o JPP 3% a 5% (um a dois). Segue-se a CDU (PCP/PEV), com 1% a 3% (zero a um deputado), o BE, também com 1% a 3% (zero a um), e o PAN, com 1% a 2% (sem deputados). A projeção aponta para uma taxa de abstenção entre 41% e 46%.

Em 2015, os resultados das legislativas regionais permitiram ao PSD manter, por um deputado, a maioria absoluta – com que sempre governaram a região -, ocupando 24 lugares na assembleia legislativa.

O atual parlamento é ainda composto por CDS (sete deputados), PS (cinco), JPP (cinco), CDU (dois), BE (dois), PTP (um) e um deputado independente/não inscrito.

Há quatro anos, nas eleições antecipadas, devido à demissão do então presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, a abstenção foi 50,42%.

Ao fim de 43 anos “acabou o poder absoluto”

A secretária-geral adjunta do PS considerou hoje que, ao fim de 43 anos, acabou o poder absoluto do PSD na Madeira e que os socialistas obtiveram nestas eleições regionais o seu melhor resultado de sempre.

“A confirmarem-se as projeções, ao fim de 43 anos, acabou o poder absoluto na Madeira” e “o PSD não voltará a ter maioria absoluta”, declarou Ana Catarina Mendes na reação da direção nacional do PS às projeções sobre os resultados das eleições para a Assembleia Legislativa Regional da Madeira.

Ana Catarina Mendes salientou que, nestas eleições, o PS “obterá o seu melhor resultado de sempre na Madeira”, prevendo-se que “mais do que triplique” o seu número de mandatos na Assembleia Legislativa Regional.

O secretário-geral do CDS-PP/Madeira, Gonçalo Pimenta, destacou também o fim da maioria absoluta na região e a diminuição da abstenção, num primeiro comentário à projeção dos resultados das eleições legislativas madeirenses, que se realizaram hoje.

“Destaco o decréscimo da abstenção e o fim do ciclo das maiorias absolutas, que é positivo no nosso entender”, disse o secretário geral, lembrando que o CDS-PP “sempre disse que se devia quebrar este ciclo das maiorias absolutas”.

Questionado sobre os resultados que as projeções apontam para o CDS, o secretário geral remeteu comentários para quando forem conhecidos os resultados finais. “O CDS não vai comentar projeções, apenas resultados eleitorais na noite eleitoral. Vamos aguardar com muitas expectativas, calma e serenidade”, afirmou.

Quanto a um possível entendimento com outra força política, o secretário-geral dos centristas lembrou que o partido “sempre disse que está disponível para colaborar com o futuro da região”.

“É esta a postura que vamos ter os próximos quatro anos. Depois determinaremos o que iremos fazer relativamente a cooperar com quem ganhou ou quem com ganhar”, afirmou.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Líder do CDS/Madeira omitiu empréstimo ao TC

Rui Barreto, líder do CDS Madeira, não declarou o empréstimo feito por César do Paço, a título individual, nas vésperas da campanha eleitoral para as legislativas regionais de 2019. O líder do CDS Madeira não declarou …

Washington D.C. pode estar prestes a tornar-se o 51.º estado dos EUA

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos votou mais uma vez um projeto de lei para conceder a Washington D.C. o estatuto de estado. A cidade pode vir a ser 51.º estado do país. De acordo …

Vai nascer um megacentro de dados em Sines. Investimento pode gerar até 1.200 empregos

O projeto de um novo data centre em Sines prevê um investimento de até 3,5 mil milhões de euros, que criará até 1.200 postos de trabalho diretos altamente qualificados. "Tem o potencial de ser o maior …

Oposição unida aborrece o senhor das contas. Aprovações podem pôr em causa estabilidade financeira

No Parlamento, o Governo continua a ser surpreendido com aprovações de medidas pela oposição. Nas Finanças, fazem-se contas e deixam-se avisos. "A repetição sistemática deste tipo de aprovações pela Assembleia da República poderá vir a colocar …

“Está tudo em aberto”. Capitães de Abril admitem abandonar celebrações (e desfile pode ser cancelado)

Após a polémica levantada pela exclusão da Iniciativa Liberal do cortejo, o presidente da Associação 25 de Abril (A25A), Vasco Lourenço, convocou uma reunião da comissão promotora do tradicional desfile comemorativo do 25 de Abril, …

Governo vai usar empréstimos para capitalizar empresas a fundo perdido. Estradas terão financiamento nacional

O Governo pode vir a usar os 2,3 mil milhões adicionais do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para reforçar os capitais próprios das empresas e este dinheiro pode ser canalizado via subvenções a fundo …

Clubes que desistiram da Superliga vão ter de pagar multa (que pode ser de 300 milhões)

Os clubes que desistiram da ideia de formar uma Superliga Europeia vão ter de pagar uma multa. Apenas Real Madrid e Barcelona ainda não anunciaram a sua saída. Os relatos relativamente ao valor da coima variam …

Antiga moradia do Gerês de CR7 não vai ser demolida. O crime prescreveu

Apesar da IGAMAOT considerar que a construção foi executada à revelia do projeto aprovado, o Ministério Público diz que o caso tem de ser arquivado porque o crime prescreveu. De acordo com o que noticia o …

"Passaporte dourado". Férias, doações ou investimentos: o esquema de Malta para vender a sua nacionalidade

Malta, membro da União Europeia e do espaço Schengen, começou a vender a nacionalidade maltesa há mais de oito anos. Contudo, e-mails da empresa facilitadora, a Henley & Partners, mostram que a "ligação genuína" ao …

Aprovadas alterações à lei eleitoral autárquica. Eleitores em confinamento podem votar em casa e em lares

A Assembleia da República aprovou esta quinta-feira, por maioria, as alterações à lei eleitoral autárquica, que dá resposta às reivindicações dos movimentos de autarcas independentes que se queixavam de dificultar as candidaturas. Votaram a favor PS, …