PS sob fogo num debate onde o “legado trágico” de Sócrates foi tema

(cv) SIC

A “nacionalização” ou não das europeias, os “legados trágicos” do PS e de José Sócrates e os riscos do crescimento da extrema-direita marcaram o primeiro debate televisivo para as europeias de 26 de maio, na quarta-feira.

O debate de uma hora e 50 minutos, na SIC e na SIC-Notícias, moderado por Bento Rodrigues, opôs os cabeças de lista dos seis partidos com representação no Parlamento Europeu: Pedro Marques (PS), Paulo Rangel (PSD), João Ferreira (PCP), Marisa Matias (BE) e Marinho e Pinto (Partido Democrático Republicano — PDR).

O candidato do CDS, Nuno Melo, tentou “colar” Pedro Marques a José Sócrates, e usou “tweets” e fotografias em que o ex-primeiro-ministro aparece ao lado do candidato socialista e do atual chefe do Governo, António Costa. O “legado trágico” de Sócrates, afirmou Nuno Melo, “mede-se pelo peso da dívida e pelo sacrifício de muitas pessoas” ao longo dos anos, e valeu um sorriso de Pedro Marques.

Pelo PSD, Paulo Rangel contestou a ideia de António Costa de “nacionalizar” estas eleições, e recusou a ideia de tornar estas europeias uma espécie de “plebiscito cesarista ou bonapartista”. Estas são eleições que Rangel qualificou de muito importantes para a Europa, tendo em conta problemas como o “Brexit”, a saída do Reino Unido, os populismos, a imigração ou o terrorismo e, a nível nacional, o baixo nível de investimento público, “a maior carga fiscal de sempre” e baixa execução de fundos comunitários.

Num debate muito ritmado, com perguntas e respostas curtas dos seis candidatos, que Marinho e Pinto qualificou de “telegráfico”, os temas sucederam-se, como o crescimento da extrema-direita. À esquerda, os candidatos do PCP, BE e do PS admitiram que a explicação do crescimento da extrema-direita e do populismo na Europa se deve, também, a erros dos partidos do “bloco central” que governaram na União e não deram respostas cabais a problemas como a imigração.

Nuno Melo mantém o que disse à Lusa sobre o partido Vox, de Espanha, não ser de extrema-direita, acrescentou estar preocupado com a dualidade de critérios. E confessou a sua preocupação com a extrema-esquerda, no caso o BE, que anda “na rua a cantar”, a pedir a morte de Jair Bolsonaro, “presidente eleito do Brasil”, como aconteceu no desfile do 25 de Abril, em Lisboa.

À esquerda, entre João Ferreira e Marisa Matias chegou a existir um momento de tensão, depois de o eurodeputado comunista reivindicar para o PCP um papel importante na “reversão” da retirada de direitos, por ter alvitrado um acordo à esquerda na noite das legislativas de 2015. A candidata do BE anotou “esta obsessão” de João Ferreira quanto a si, e comentou que os bloquistas não se enganam “no opositor”.

PS sob fogo por causa dos fundos comunitários

O eventual corte de 7% no próximo quadro financeiro plurianual foi um dos temas centrais do primeiro debate televisivo com os candidatos às eleições europeias, em que o PS esteve sob ataque do PSD e do CDS.

À pergunta do jornalista sobre o corte que poderá significar 1.600 milhões de euros no quadro comunitário até 2027, o ex-ministro Pedro Marques socorreu-se da opinião do comissário europeu e militante do PSD Carlos Moedas para dizer que é um “bom resultado para Portugal e um bom princípio de negociação” com a comissão.

Pedro Marques até fez uma comparação com o Governo anterior PSD/CDS, argumentando que “perdeu 20 milhões” no Proder, de fundos comunitários.

Do outro lado do cenário, Paulo Rangel, do PSD, atacou para sublinhar que Pedro Marques não contestara a perda de 1.600 milhões de euros, e, lembrando que foi o ministro que negociou os fundos em Bruxelas, pôs em causa a sua credibilidade e acusou-o de aceitar aumentos nas verbas comunitárias para Espanha, Itália ou Finlândia, “países ricos”, e aceitar uma perda para Portugal. “Mas há corte ou não há corte?”, perguntou Rangel a meio da discussão, acesa, sobre os fundos.

Pedro Marques, referindo-se até ao acordo entre o Governo e o PSD para uma posição comum para a negociação dos fundos, deu a resposta, em tom baixo, dizendo que “não há perda de fundos a preços correntes”.

À esquerda, tanto João Ferreira, como Marisa Matias disseram que este é um dossier que não está fechado, prometendo, ambos, votar um orçamento comunitário que preveja perdas de fundos para Portugal. A eurodeputada do BE aconselhou até o Governo português a “vetar”, e João Ferreira lembrou que um “corte nas verbas só passará se Portugal deixar”.

PS desvaloriza empate técnico nas sondagens

Paulo Rangel apresentou-se como um candidato europeu de “um partido moderado”, e Nuno Melo reclamou para o CDS “a única escolha possível para quem é de direita”.

Pedro Marques reclamou para o PS louros dos resultados da governação, com o apoio dos partidos de esquerda, como a quebra no desemprego ou a devolução de rendimentos aos portugueses, “mantendo contas [públicas] saudáveis”.

Marinho e Pinto apresentou, logo no seu minuto inicial, duas propostas, a fixação de um salário mínimo europeu e de uma pensão mínima, que não quantificou nem explicou. O advogado também criticou PCP e BE por terem apoiado o Governo, “estes três anos e meio”, e de, em Estrasburgo, terem uma “retórica completamente diferente”.

De objetivos eleitorais, os dois candidatos, do PS e do PSD, não se comprometeram com fasquias, mas ambos querem ganhar. Pedro Marques relativizou as sondagens que dão ao PS um empate técnico com o PSD, dizendo que estão à frente nas intenções de voto, e Paulo Rangel admite que ganhar “não é fácil”, “mas possível”, sendo mais taxativo ao dizer: “Vamos subir substancialmente”.

As eleições europeias em Portugal estão marcadas para 26 de maio. Nas últimas eleições europeias, 66% do eleitorado não foi às urnas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Apesar da de não negar méritos e competência a estas personagens, está na altura de mudar os ares.
    Os debates sucedem-se e ao longo dos anos e o discurso é sempre o mesmo.
    É lamentável não serem dadas oportunidades aos recém-chegados Iniciativa Liberal, Aliança e Chega.
    Seria interessante conhecer os seus programa e opiniões.

  2. Teve música de Fandando e Bolero.
    Que miséria Triste. Mas estes personagens sabem do que falam? Coitados…
    Gostava que o entrevistador os questionasse sobre as suas experiências de trabalho, por onde andaram e como iriam defender Portugal. Provavelmente alguns são desertores sem qualquer formação…
    Só vale gritos para que ninguém os perceba…

Pais deixaram aluno com covid-19 na escola. Denúncia já chegou à PSP

Um aluno de uma escola de Leiria que está infectado com o coronavírus foi à apresentação do ano lectivo, nesta quarta-feira, quando já havia suspeitas de que teria covid-19, uma vez que o pai também …

A segunda vaga já chegou a Portugal (e há "uma diferença muito importante")

Os especialistas não duvidam que a segunda vaga de covid-19 já chegou a Portugal, mas apontam que há diferenças significativas relativamente ao início da pandemia, em Março. "Há uma diferença muito importante nesta segunda vaga que …

Governo tinha 90 milhões para apoiar criação de emprego (mas pedidos superaram os 487 milhões)

O programa do Governo para apoiar a criação de emprego, lançado em julho, tinha uma verba de 90 milhões de euros. Dois meses depois, a procura excedeu os 487,5 milhões. O jornal Público adiantou esta quinta-feira …

Metade dos portugueses acredita que Portugal está preparado para inverno (mas defende novo confinamento)

Uma sondagem da Aximage para o Jornal de Notícias e TSF revela que 47% dos portugueses defendem um novo confinamento, apesar de 50% acreditar que o país está melhor preparado para o inverno. De acordo …

Corona o melhor, Pizzi a perder bolas: as curiosidades da Liga

A I Liga 2020/2021 começa nesta sexta-feira, ainda com muitas incertezas. Entretanto, voltámos a espreitar o relatório 'Futebol em números', publicado no final de agosto pela própria Liga Portugal. Desta vez deixámos aqui algumas curiosidades …

Investigadores escrevem carta na Science para pressionar o Governo a desistir do aeroporto do Montijo

Investigadores portugueses acusam o governo português de ir contra os objetivos do Pacto Ecológico Europeu ao persistir na construção do aeroporto no Montijo, apontando sobretudo o efeito destrutivo em centenas de milhares de aves no …

Aos 20 anos, Duplantis bate mítico recorde do mundo de salto com vara

O saltador com vara sueco Armand Duplantis continua a fazer história e esta quinta-feira, no decorrer do 'meeting' de Roma, da Liga Diamante, conseguiu o melhor salto de sempre ao ar livre, com 6,15 metros. O …

PSD vai votar contra propostas para legalizar o lobbying

O PSD vai votar contra a legalização do lobbying. Os sociais-democratas defendem que as regras criam um maior afastamento entre cidadãos e entidades públicas e políticas. CDS, PAN e PS querem discutir propostas para legalizar o …

Feitiço vira-se contra o feiticeiro. Flamengo é humilhado na Libertadores

O Flamengo sofreu a mais pesada derrota do clube na Taça Libertadores, após ter sido goleado por 5-0 pelos equatorianos do Independiente del Valle. Depois da eliminação do SL Benfica da Liga dos Campeões, às mãos …

Governo sabia do amianto em carruagens compradas à Renfe. É de fácil remoção, diz ministro

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, disse esta quinta-feira que o Governo sabia que carruagens compradas à espanhola Renfe contêm amianto, mas que é de fácil remoção e voltou a considerar …