PS sob fogo num debate onde o “legado trágico” de Sócrates foi tema

(cv) SIC

A “nacionalização” ou não das europeias, os “legados trágicos” do PS e de José Sócrates e os riscos do crescimento da extrema-direita marcaram o primeiro debate televisivo para as europeias de 26 de maio, na quarta-feira.

O debate de uma hora e 50 minutos, na SIC e na SIC-Notícias, moderado por Bento Rodrigues, opôs os cabeças de lista dos seis partidos com representação no Parlamento Europeu: Pedro Marques (PS), Paulo Rangel (PSD), João Ferreira (PCP), Marisa Matias (BE) e Marinho e Pinto (Partido Democrático Republicano — PDR).

O candidato do CDS, Nuno Melo, tentou “colar” Pedro Marques a José Sócrates, e usou “tweets” e fotografias em que o ex-primeiro-ministro aparece ao lado do candidato socialista e do atual chefe do Governo, António Costa. O “legado trágico” de Sócrates, afirmou Nuno Melo, “mede-se pelo peso da dívida e pelo sacrifício de muitas pessoas” ao longo dos anos, e valeu um sorriso de Pedro Marques.

Pelo PSD, Paulo Rangel contestou a ideia de António Costa de “nacionalizar” estas eleições, e recusou a ideia de tornar estas europeias uma espécie de “plebiscito cesarista ou bonapartista”. Estas são eleições que Rangel qualificou de muito importantes para a Europa, tendo em conta problemas como o “Brexit”, a saída do Reino Unido, os populismos, a imigração ou o terrorismo e, a nível nacional, o baixo nível de investimento público, “a maior carga fiscal de sempre” e baixa execução de fundos comunitários.

Num debate muito ritmado, com perguntas e respostas curtas dos seis candidatos, que Marinho e Pinto qualificou de “telegráfico”, os temas sucederam-se, como o crescimento da extrema-direita. À esquerda, os candidatos do PCP, BE e do PS admitiram que a explicação do crescimento da extrema-direita e do populismo na Europa se deve, também, a erros dos partidos do “bloco central” que governaram na União e não deram respostas cabais a problemas como a imigração.

Nuno Melo mantém o que disse à Lusa sobre o partido Vox, de Espanha, não ser de extrema-direita, acrescentou estar preocupado com a dualidade de critérios. E confessou a sua preocupação com a extrema-esquerda, no caso o BE, que anda “na rua a cantar”, a pedir a morte de Jair Bolsonaro, “presidente eleito do Brasil”, como aconteceu no desfile do 25 de Abril, em Lisboa.

À esquerda, entre João Ferreira e Marisa Matias chegou a existir um momento de tensão, depois de o eurodeputado comunista reivindicar para o PCP um papel importante na “reversão” da retirada de direitos, por ter alvitrado um acordo à esquerda na noite das legislativas de 2015. A candidata do BE anotou “esta obsessão” de João Ferreira quanto a si, e comentou que os bloquistas não se enganam “no opositor”.

PS sob fogo por causa dos fundos comunitários

O eventual corte de 7% no próximo quadro financeiro plurianual foi um dos temas centrais do primeiro debate televisivo com os candidatos às eleições europeias, em que o PS esteve sob ataque do PSD e do CDS.

À pergunta do jornalista sobre o corte que poderá significar 1.600 milhões de euros no quadro comunitário até 2027, o ex-ministro Pedro Marques socorreu-se da opinião do comissário europeu e militante do PSD Carlos Moedas para dizer que é um “bom resultado para Portugal e um bom princípio de negociação” com a comissão.

Pedro Marques até fez uma comparação com o Governo anterior PSD/CDS, argumentando que “perdeu 20 milhões” no Proder, de fundos comunitários.

Do outro lado do cenário, Paulo Rangel, do PSD, atacou para sublinhar que Pedro Marques não contestara a perda de 1.600 milhões de euros, e, lembrando que foi o ministro que negociou os fundos em Bruxelas, pôs em causa a sua credibilidade e acusou-o de aceitar aumentos nas verbas comunitárias para Espanha, Itália ou Finlândia, “países ricos”, e aceitar uma perda para Portugal. “Mas há corte ou não há corte?”, perguntou Rangel a meio da discussão, acesa, sobre os fundos.

Pedro Marques, referindo-se até ao acordo entre o Governo e o PSD para uma posição comum para a negociação dos fundos, deu a resposta, em tom baixo, dizendo que “não há perda de fundos a preços correntes”.

À esquerda, tanto João Ferreira, como Marisa Matias disseram que este é um dossier que não está fechado, prometendo, ambos, votar um orçamento comunitário que preveja perdas de fundos para Portugal. A eurodeputada do BE aconselhou até o Governo português a “vetar”, e João Ferreira lembrou que um “corte nas verbas só passará se Portugal deixar”.

PS desvaloriza empate técnico nas sondagens

Paulo Rangel apresentou-se como um candidato europeu de “um partido moderado”, e Nuno Melo reclamou para o CDS “a única escolha possível para quem é de direita”.

Pedro Marques reclamou para o PS louros dos resultados da governação, com o apoio dos partidos de esquerda, como a quebra no desemprego ou a devolução de rendimentos aos portugueses, “mantendo contas [públicas] saudáveis”.

Marinho e Pinto apresentou, logo no seu minuto inicial, duas propostas, a fixação de um salário mínimo europeu e de uma pensão mínima, que não quantificou nem explicou. O advogado também criticou PCP e BE por terem apoiado o Governo, “estes três anos e meio”, e de, em Estrasburgo, terem uma “retórica completamente diferente”.

De objetivos eleitorais, os dois candidatos, do PS e do PSD, não se comprometeram com fasquias, mas ambos querem ganhar. Pedro Marques relativizou as sondagens que dão ao PS um empate técnico com o PSD, dizendo que estão à frente nas intenções de voto, e Paulo Rangel admite que ganhar “não é fácil”, “mas possível”, sendo mais taxativo ao dizer: “Vamos subir substancialmente”.

As eleições europeias em Portugal estão marcadas para 26 de maio. Nas últimas eleições europeias, 66% do eleitorado não foi às urnas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Apesar da de não negar méritos e competência a estas personagens, está na altura de mudar os ares.
    Os debates sucedem-se e ao longo dos anos e o discurso é sempre o mesmo.
    É lamentável não serem dadas oportunidades aos recém-chegados Iniciativa Liberal, Aliança e Chega.
    Seria interessante conhecer os seus programa e opiniões.

  2. Teve música de Fandando e Bolero.
    Que miséria Triste. Mas estes personagens sabem do que falam? Coitados…
    Gostava que o entrevistador os questionasse sobre as suas experiências de trabalho, por onde andaram e como iriam defender Portugal. Provavelmente alguns são desertores sem qualquer formação…
    Só vale gritos para que ninguém os perceba…

RESPONDER

Viseiras de Leiria despertam cobiça. Bélgica e EUA queriam comprar toda a produção

Várias empresas de moldes e plásticos da região de Leiria estão a fabricar viseiras de protecção contra a Covid-19. Uma adaptação em tempos de pandemia que está a levantar atenção no estrangeiro, com EUA e …

Apple vai começar a produzir um milhão de máscaras por semana

O presidente da Apple, Tim Cook, anunciou que a empresa poderá produzir um milhão de máscaras por semana a partir do próximo fim de semana. Tim Cook explicou, na sua conta da rede social Twitter, que …

Robert Weighton é o homem mais velho do mundo. Tem 112 anos

Com 112 anos completados no dia 29 de março, o britânico Robert Weighton tornou-se o homem mais velho do mundo. Robert Weighton nasceu no dia 29 de março de 1908, em Kingston-Upon-Hull, no Yorkshire. Ao longo …

ISEG prevê queda do PIB entre 4% e 8% em 2020

O Grupo de Análise Económica do instituto da Universidade de Lisboa revelou o intervalo indicativo de variação do PIB usando duas evoluções diferenciadas da crise, com duração mínima de dois meses. A economia portuguesa deverá ter …

Boris Johnson nos cuidados intensivos

O primeiro-ministro britânico, que está infetado com covid-19, foi transferido esta segunda-feira para os cuidados intensivos. Boris Johnson, que está infetado com covid-19, foi transferido esta segunda-feira para a unidade de cuidados intensivos, depois de …

Estado de emergência impede lojistas de terminarem contratos de arrendamento

Os lojistas que fecharam os seus estabelecimentos por causa da pandemia não podem acabar com os contratos de arrendamento por causa da queda das receitas. De acordo com o Diário de Notícias, o decreto-lei do Governo …

Hi Fly quer usar A380 na Portela para transportar equipamento, mas ANA não autoriza

Um estudo da fabricante de aviões Airbus dá o A380 como compatível no aeroporto de Lisboa. No entanto, a ANA alega que teria de fazer "obras avultadas" para autorizar a operação do A380 na Portela. A …

Mortes em Itália voltam a subir. Em França morreram mais de 800 pessoas nas últimas 24 horas

Itália, um dos países mais afetados pela pandemia de covid-19, registou 525 mortes no domingo, mas o número ascendeu para 636 esta segunda-feira. Em França, morreram mais de 800 pessoas nas últimas 24 horas. Em Itália, …

Dois candidatos a estivadores para o Porto de Lisboa intimidados por encapuzados

 Dois candidatos a emprego numa empresa do setor da estiva foram abordados por cerca de 8 pessoas encapuzadas que se identificavam como antigos estivadores da AETPL. Na terça-feira passada, dois candidatos a emprego numa empresa do …

Russo mata a tiro cinco vizinhos por causa de barulho durante quarentena

A polícia deteve no sábado à noite um russo de 32 anos, por alegadamente atirar e matar cinco vizinhos que estavam a fazer barulho durante a quarentena. Segundo reportou no domingo o Moscow Times, o incidente …