Provas físicas deixam de ser obstáculo à recruta no Exército

(dr) Exército Português

As provas físicas de classificação e seleção exigidas aos candidatos a praças do Exército deixaram em meados de março de ter caráter eliminatório, o que permitiu ao ramo aumentar a base de recrutamento.

Num primeiro balanço da medida, em vigor desde o dia 17 de março, o Exército registou que 379 jovens dos cerca de 1.180 que foram chamados a prestar provas entre março e junho teriam sido liminarmente excluídos por inaptidão física no início do processo de seleção caso os critérios não tivessem sido alterados.

Questionado pela Lusa, o porta-voz do Exército, tenente-coronel Vicente Pereira, garantiu que a medida “tem caráter transitório e será reavaliada anualmente” e não prejudica a qualidade da formação, estando assegurado “o mesmo nível de exigência e rigor”.

“Estima-se sim um aumento de candidatos aptos que se aproxime das necessidades do Exército”, acrescentou.

Com esta medida, mesmo sem atingirem os mínimos físicos, os candidatos que forem considerados aptos nas restantes provas podem aceder à fase de recruta e os treinos diários “conseguem garantir ao soldado-recruta a aptidão física que não tinha quando se candidatou”, sublinhou.

Na categoria de praças, os candidatos têm de correr 12 minutos, fazer abdominais por um minuto, extensões de braços no solo e transpor um muro com 60 centímetros de altura.

Para além das provas físicas, os candidatos continuam a passar por provas de aptidão psicológica, provas médicas de seleção e entrevista.

Fonte militar ligada ao processo de recrutamento explicou que, por vezes, candidatos com boas pontuações nas provas de aptidão psicológica e nas provas médicas eram excluídos por terem falhado “um ou dois abdominais” ou “uma ou duas flexões”.

As novas regras não se dirigem a candidaturas às tropas especiais ou ao quadro permanente, que continuam a ter requisitos específicos mais apertados, esclareceu.

Segundo a mesma fonte, “o rigor está assegurado” e ninguém assina contrato com o Exército sem que tenha atingido no final do processo todos os requisitos físicos exigidos.

A medida foi a resposta encontrada pela chefia do Estado-Maior do Exército para enfrentar um dos fatores que contribuía para a diminuição da base de recrutamento sentida ao longo dos anos, em consequência da baixa progressiva da natalidade ou da quebra do número de voluntários.

A inaptidão nas provas físicas, que continuam a ser obrigatórias, era o principal motivo de exclusões, rondando “20% dos candidatos”, disse à Lusa fonte militar.

Já nas exclusões por razões médicas, cerca de 10% em média, surgem no topo os problemas de audição e visão.

O Exército regista também um elevado número de desistências nas várias fases do processo de seleção e recrutamento.

“Não há um padrão uniforme, varia conforme a época do ano, a região do país, talvez uma média de 20% de taxa de atrição” no global, disse a mesma fonte.

No início de julho, o plano de incorporações do Exército estava cumprido a 53% para oficiais (79), 100% para o primeiro de dois cursos de sargentos (175) e a 42% para praças (1.575), segundo dados fornecidos pelo ramo.

A próxima incorporação para a categoria de praças é em 20 de outubro.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Último aviso da Cassini: se for a Saturno, leve guarda-chuva

Se está a pensar fazer uma viagem até Saturno deixamos um conselho: não se esqueça do guarda-chuva. Cientistas norte-americanos descobriram recentemente que os anéis de Saturno podem produzir uma espécie de chuva. A sonda Cassini viveu …

A bebé que nasceu com o coração fora do corpo sobreviveu

Uma bebé que nasceu com o coração fora do peito superou as expectativas que lhe davam menos de 10% de possibilidades de sobrevivência, e ultrapassou três cirurgias para resolver esta rara condição cardíaca. Vanellope Hope Wilkins …

Vieira da Silva implicado no escândalo Raríssimas

Paula Brito e Costa quis criar uma fundação, com o intuito de reforçar os seus poderes na associação Raríssimas. O pedido teve um parecer negativo, mas isso não a impediu de assinar um protocolo como …

PS contraiu mais um empréstimo e já deve 9 milhões de euros à banca

O PS contraiu, há cerca de duas semanas, mais um empréstimo bancário para fazer face às dificuldades financeiras que vem atravessando. O partido tem uma dívida à banca que ronda os 9 milhões de euros. A …

Casa dos Marcos corre o risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias

Os trabalhadores da "Raríssimas" avisam que a associação está em risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias e apelam ao primeiro-ministro para que envie uma direção idónea para permitir o seu funcionamento. A …

Rui Rio recebe 21 mil euros por ano da Ordem dos Contabilistas

Desde 2013, Rui Rio recebeu 1500 euros brutos mensais como vice-presidente da Assembleia Geral da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC). Por ano, são 21 mil euros ilíquidos: é esse o valor que o candidato à presidência …

Médicos Sem Fronteiras falam em 9 mil rohingyas mortos em apenas um mês

Pelo menos nove mil rohingyas morreram no Estado de Rakhine, em Myanmar, entre 25 de agosto e 24 de setembro, segundo investigações dos Médicos Sem Fronteiras em acampamentos de refugiados no Bangladesh. "Como 71,7% das mortes …

MAI dá à PSP uma semana para avaliar riscos de segurança na noite

A PSP tem até ao próximo dia 20 para realizar uma avaliação dos incidentes registados nos últimos dois anos em estabelecimentos de diversão noturna. Segundo o Diário de Notícias, a ordem de Eduardo Cabrita terá sido …

Três semanas depois, ainda não há pedidos de indemnização por mortes em incêndios

Passaram quase três semanas desde a abertura do processo de entrega de requerimentos, mas a Provedoria da Justiça ainda não recebeu nenhum pedido. A presidente da Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (AVIPG) explica …

Mães querem processar Estado pelas adoções ilegais da IURD

As mães portuguesas de dez crianças que terão sido roubadas à família de um lar ilegal financiado pela Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e adotadas por bispos e pastores da igreja ponderam lutar …