Pela primeira vez em sete anos, Portugal teve saldo migratório positivo

SXC

Portugal teve um saldo migratório positivo em 2017, pela primeira vez em sete anos, com mais de 36 mil imigrantes a ultrapassarem as quase 32 mil pessoas que deixaram o país, revelou esta terça-feira o Observatório das Migrações.

De acordo com o relatório estatístico anual do Observatório das Migrações, no ano passado Portugal voltou a ter um saldo migratório positivo (+4.886), algo que não se verificava desde 2010. Em 2017 imigraram para Portugal 36.639 pessoas, um valor apenas comparável com valores registados na década passada, como, por exemplo, em 2006, quando se registaram 38.800 entradas no país.

Por outro lado, o número de pessoas que deixaram o país também diminuiu, passando de 38.273 em 2016, para 31.753 em 2017, o que subtraído ao número de pessoas que imigraram para Portugal, dá o saldo positivo de 4.886 pessoas.

No entanto, Portugal continua a ser um país demograficamente envelhecido, sendo o quarto país da União Europeia a 28 com maior proporção de pessoas com mais de 65 anos (21,1%), apenas ultrapassado pela Itália (22,3%), Grécia (21,5%) e Alemanha (21,2%).

Também por isso, nos últimos anos, Portugal tem tido saldos naturais e saldos migratórios negativos, “o que induziu a saldos naturais totais negativos e a um efetivo decréscimo da população residente no país”.

“A recuperação do saldo migratório no último ano não chegou para compensar o valor negativo do saldo natural (-23.432 pessoas), pelo que Portugal continua em 2017 a registar um saldo total negativo (-18.546 pessoas9)”, lê-se no relatório.

Tanto em 2016 como em 2017, “os estrangeiros continuaram a contribuir de forma expressiva para os nascimentos em Portugal”, com as mulheres estrangeiras a serem responsáveis por 10% do total de nados-vivos.

Um facto com “importância significativa” já que a população estrangeira representa 4,1% da população residente no país, com 421.711 pessoas, um número que, aliás, representa um aumento de 6% face a 2016.

Apesar de 82,2% do total de casamentos ser entre cidadãos portugueses, “tem aumentado a importância relativa dos casamentos mistos e dos casamentos entre estrangeiros”, ao mesmo tempo que “os [cidadãos] nacionais portugueses mostram maior prevalência de divórcio que os estrangeiros”.

De acordo com o Observatório, a “população estrangeira residente não se distribui de forma equilibrada pelo país”, concentrando-se, sobretudo, nas zonas urbanas do litoral, com maior impacto nos municípios do Algarve, oriundos de países da União Europeia, como a Itália ou a França, e da Ásia.

Na dimensão trabalho, os estrangeiros, por comparação com os cidadãos nacionais, estão mais representados nos grupos profissionais de base e globalmente têm remunerações médias mais baixas, sendo que a sua inserção no mercado de trabalho “continua a não refletir necessariamente as suas qualificações”.

Foram responsáveis por 514,3 milhões de euros em 2017 em contribuições para a segurança social, sendo que só beneficiaram de 89,6 milhões de euros, o que se traduz num “saldo financeiro bastante positivo”.

Por outro lado, e à semelhança do que se passa nos restantes países europeus, os estrangeiros que vivem em Portugal apresentam maior risco de pobreza e vivem com maior privação material, apesar de registar-se “uma melhoria no risco de pobreza tanto nos nacionais como nos estrangeiros” nos anos de 2016 e 2017.

Na educação, o relatório aponta que são os imigrantes aqueles que apresentam maiores dificuldades em obter bons resultados escolares, mas destaca que tem havido uma evolução positiva no desempenho escolar e que Portugal foi o país da OCDE que mais melhorou a performance dos alunos imigrantes na última década.

O relatório aponta igualmente que o perfil do estrangeiro que vem para Portugal tem vindo a mudar desde 2008, havendo um aumento nos fluxos de estudantes, investigadores, cidadãos altamente qualificados, trabalhadores independentes, investidores e reformados, com prevalência de vistos de residência atribuídos em 2016 e 2017 por motivos de estudo e reagrupamento familiar.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Parker Solar Probe lança nova luz sobre o Sol

Em agosto de 2018, a Parker Solar Probe da NASA foi lançada para o espaço, tornando-se pouco tempo depois a sonda mais próxima do Sol. Com instrumentos científicos de ponta para medir o ambiente em …

Encontrado no mar das Malvinas navio alemão da I Guerra Mundial 105 anos depois de naufragar

O naufrágio de um cruzador alemão da I Guerra Mundial foi identificado nas Ilhas Malvinas, onde foi afundado pela Marinha britânica há 105 anos. O SMS Scharnhorst foi o principal ativo da esquadra alemã na Ásia …

Boavista 1-4 Benfica | Águia goleia no xadrez do Bessa

O Benfica deu o pontapé de saída da 13ª jornada com uma vitória competente na visita ao Boavista, por 4-1. Num jogo potencialmente perigoso para as aspirações “encarnadas”, frente a um adversário com somente uma derrota …

Cientistas desenvolvem técnica para determinar o humor através da caligrafia

Uma equipa de cientistas estudou a biomecânica dos movimentos das mãos a escrever e a desenhar, e desenvolveu um método para avaliar as propriedades individuais da velocidade de escrita e da pressão do lápis no …

Quase seis mil denúncias de agressões sexuais em viagens da Uber nos EUA

A plataforma de transporte de passageiros Uber divulgou na quinta-feira um relatório, revelando quase seis mil denúncias de agressões sexuais a utilizadores, motoristas e terceiros nos Estados Unidos (EUA), em 2017 e 2018. No relatório de …

Polícia de Los Angeles vai usar dispositivo "ao estilo Batman" para prender suspeitos

A polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos, vai adotar, no início do próximo ano, um novo dispositivo, conhecido como BolaWrap 100, que dispara um cinto de fibra sintética a uma velocidade de 200 metros …

Corriere dello Sport defende-se das acusações e garante ser "inimigo do racismo"

O jornal desportivo italiano Corriere dello Sport afirmou esta sexta-feira ser “inimigo do racismo”, defendendo-se das críticas motivadas pela manchete de quinta-feira, com o título “Black Friday” e ilustrada com os futebolistas negros Romelu Lukaku …

Alisadores e tintas para cabelo podem aumentar o risco de cancro da mama

Alisadores e tintas para cabelo são dois produtos comummente utilizados por mulheres. Um novo estudo sugere que estes podem aumentar o risco de cancro da mama, especialmente em mulheres negras. Muitos produtos capilares contêm compostos que …

Black Friday. Marca de cosméticos oferece por engano desconto de 96% e perde 10 milhões em duas horas

Uma falha no site oficial da marca de produtos cosméticos Foreo fez com que o seu artigo mais caro fosse vendido com um desconto de 96%, fazendo com que a empresa sueca perdesse 10 milhões …

Camisola usada por Pelé no seu último jogo foi vendida por 30 mil euros em leilão

Uma camisola usada por Pelé no seu último jogo com a seleção brasileira foi vendida por 30 mil euros num prestigiado leilão de objetos desportivos, realizado na quinta-feira em Turim, Itália. A camisola com o número …