A primeira bomba atómica da história revela detalhes sobre a formação da Lua

Wikimedia

A Experiência "Trinity" foi o primeiro teste nuclear da história, conduzido pelos Estados Unidos da América em 16 de Julho de 1945

A Experiência “Trinity” foi o primeiro teste nuclear da história, conduzido pelos Estados Unidos da América em 16 de Julho de 1945

Um grupo de cientistas descobriu, inesperadamente, que as condições criadas pela primeira bomba nuclear da humanidade são notavelmente semelhantes ao processo químico que formou a Lua.

A Lua é nosso companheiro mais próximo no Universo mas, após séculos de investigação, os especialistas ainda não sabem os pormenores da sua criação.

Uma das teorias mais fortes sobre a formação da Lua é a que de que esta foi produzida depois de um pequeno planeta, chamado Theia, colidir com a Terra, há cerca de 4,5 mil milhões de anos atrás. No entanto, nunca foram encontradas provas concretas da existência do Theia.

Na tentativa de esclarecer este mistério, os cientistas analisaram o deserto do Novo México, onde ocorreu a primeira experiência nuclear, a 16 de julho de 1945.

A “Trinity” foi um teste de uma bomba de plutónio de implosão, o mesmo tipo de arma usada posteriormente em Nagasaki (Japão). A detonação foi equivalente à explosão de cerca de 20 quilotons de TNT e aumentou as temperaturas locais para mais de 8000 °C.

“É o mais perto que conseguimos chegar das condições que devem existir num corpo planetário no início do sistema solar. As experiências de laboratório mal conseguem atingir tal temperatura” disse James Day, do Instituto de Oceanografia da Califórnia, à ABC.

Segundo os especialistas, a explosão fez com que a areia do deserto derretesse e se transformasse numa espécie de vidro verde, que ficou conhecido como “trinitita”.

Wikimedia

O resíduo vítreo deixado no piso desértico após o teste da bomba nuclear Trinity

Trinitita é o resíduo vítreo deixado no piso desértico após o teste da bomba nuclear Trinity

Após a análise da composição da trinitita, os cientistas mediram a presença de certos elementos específicos nos cristais criados e conseguiram reconstruir a formação dos materiais radioativos, no momento da explosão.

James Day e a sua equipa concluíram que os cristais de trinitita encontrados mais próximas do epicentro eram pobres em elementos como o zinco, que se vaporiza a temperaturas mais elevadas.

Além disso, entre os átomos de zinco existentes, descobriram que aqueles que estavam mais próximos do epicentro eram ricos em isótopos – átomos com a mesma propriedade do zinco mas com um número de neutrões diferente.

“Os resultados mostram que a evaporação a altas temperaturas, semelhante ao que ocorre durante as fases iniciais da formação de um planeta, leva à perda de elementos voláteis. Isto era algo que suspeitávamos, mas não tínhamos provas suficientes para o confirmar”, adiantou Day.

De acordo com o estudo publicado na Science Advances, o impacto colossal entre a Terra e o planeta Theia terá produzido uma destruição inimaginável que aumentou a temperatura para níveis semelhantes aos causados pela primeira bomba atómica da história.

Aliás, os especialistas encontraram várias semelhanças entre as trinititas e as rochas lunares, como o facto de ambas serem pobres em elementos voláteis e conterem pouca água.

“Temos a vantagem de poder usar informações de um evento que mudou a história para o benefício da ciência, para dados científicos importantes”, destacou Day.

Graças à experiência nuclear “Trinity”, que é considerada como o marco do início da chamada Era Atómica, os cientistas conseguiram provas mais fortes sobre o que até agora era uma mera teoria sobre a formação da Lua.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …

Poluição atmosférica "custa" a cada citadino europeu 1.276 euros por ano

A poluição atmosférica "custa" 1.276 euros por ano a cada cidadão europeu residente em cidades, de acordo com um estudo da Aliança Europeia de Saúde Pública (EPHA) divulgado esta quarta-feira. O estudo chegou ao valor médio …

"Emergência arqueológica". O degelo dos Alpes está a "libertar" artefactos escondidos há milhares de anos

As alterações climáticas podem estar a ajudar os arqueólogos a encontrar artefactos escondidos nos glaciares do Alpes há milhares de anos. O derretimento dos glaciares dos Alpes está a "liberta" objetos que permaneceram congelados no tempo …

Thermite RS3 é o primeiro robô de combate a incêndios dos EUA (e está pronto a entrar ao serviço)

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles, nos Estados Unidos, deu as boas-vindas ao mais recente membro da equipa: um bombeiro robótico. O Thermite RS3 é um rover de controlo remoto capaz de bombear milhares de …

Inventor dinamarquês que matou jornalista no seu submarino escapou da prisão (mas já foi apanhado)

O inventor dinamarquês Peter Madsen, condenado a prisão perpétua por torturar e assassinar a jornalista sueca Kim Wall, fugiu da prisão esta terça-feira.  As autoridades dinamarquesas capturaram-no minutos depois. Peter Madsen, o dinamarquês condenado a prisão …

Molécula descoberta por menina de 14 anos pode levar a uma cura para a covid-19

A jovem norte-americana de 14 anos, Anika Chebrolu, descobriu uma molécula que pode levar a uma potencial cura para a covid-19. Enquanto cientistas dos quatro cantos do mundo trabalham no desenvolvimento de uma vacina para a …

Cerca de 1.300 reclusos fogem de prisão no Congo após ataque do Estado Islâmico

Cerca de 1.300 reclusos escaparam de uma prisão na República Democrática do Congo na manhã de terça-feira, após um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, informou a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora as autoridades locais tenham …

Amesterdão vai usar flores para impedir que os ciclistas estacionem bicicletas nas pontes

A cidade conhecida pelo uso de bicicletas, vai agora tomar uma medida em relação ao estacionamento destas nas pontes. Tudo para proteger as vistas para os seus famosos canais. Amesterdão orgulha-se de ser uma das cidades …

Morreu voluntário envolvido no ensaio da vacina de Oxford. Tinha 28 anos e era médico recém-formado

As autoridades de saúde brasileiras divulgaram esta quarta-feira a morte de um voluntário dos testes da vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), …

Milo, o "comunicador de ação" que permite conversar em grupo durante atividades ao ar livre

Chegou o Milo, o novo aparelho que vai revolucionar as aventuras em grupo. Este pequeno dispositivo permite-lhe conversar com o seu grupo à distancia sem precisar de levar o smartphone para o meio da montanha, …