Portugueses trabalham cada vez mais (e muito mais do que os alemães)

ABr

Os portugueses trabalham, em média, mais do que os seus conterrâneos da União Europeia, e ainda têm menos dias de férias, de acordo com um novo estudo sobre o mercado de trabalho. Só ficam a ganhar nos feriados, mas pouco.

O estudo “O mercado de trabalho em Portugal e nos países europeus”, do Observatório das Desigualdades do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, vai ser oficialmente apresentado na quarta-feira, mas é antecipado pela TSF.

De acordo com as conclusões retiradas por esta análise, os portugueses têm vindo a trabalhar cada vez mais horas. Os trabalhadores com um contrato de trabalho a tempo inteiro passaram de uma média de 40,2 horas por semana em 2008, para 41,1 horas de trabalho semanais em 2016.

A média europeia situa-se nas 40,3 horas de trabalho por semana, com Portugal a surgir com o quinto tempo mais elevado em 28 países da União Europeia (UE).

No final do ano, um português terá acumulado 1.797 horas de trabalho, isto é, mais 77 horas do que a média da UE. Estamos a falar de quase duas semanas a mais de trabalho, constata a TSF, e de um valor bem superior ao de alemães e holandeses, por exemplo, que acumulam menos de 1.700 horas de trabalho por ano.

No capítulo das férias, os portugueses têm, em média, 22 dias – a média europeia situa-se nos 24,6 dias por ano. Mas na Alemanha, os trabalhadores chegam a ter direito a 30 dias de férias por ano e na Holanda, a 25,6 dias.

Só nos feriados é que os portugueses saem a ganhar, com 10 dias anuais contra 9,2 da média europeia.

Estes números são especialmente interessantes à luz das ideias pré-concebidas que os países do Norte e do Centro da Europa têm relativamente a Portugal, e aos restantes países do Sul do Velho Continente.

Basta lembrar as críticas da Chanceler alemã Angela Merkel à falta de produtividade dos portugueses, com a defesa de que deviam ter menos dias de férias, e as declarações do ex-presidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijsselbloem, que disse que os países do Sul gastam o dinheiro em “copos e mulheres“.

O investigador Frederico Cantante, envolvido no estudo do Observatório das Desigualdades do ISCTE, lembra isso mesmo e conclui que “o principal desafio da economia portuguesa é trabalharmos com mais qualidade e não mais tempo“.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Os Trabalhadores, claro! Por exemplo, esses que a fotografia retrata. Esses como outros como esses, sustentam a engrenagem que os burocratas exploram, fazendo greves e mais greves enquanto esses trabalham sem direito sequer a reivindicações.

RESPONDER

Em apenas três anos, a Austrália perdeu um terço dos seus coalas

A seca, os incêndios florestais e a desflorestação na Austrália levaram o país a perder um terço dos seus coalas nos últimos três anos. A Austrália perdeu cerca de 30% dos seus coalas nos últimos …

Há modelos matemáticos que preveem se uma música vai ser viral — os mesmos utilizados com a covid-19

O uso de modelos matemáticos para antecipar o nível de sucesso de uma música pode começar a ser usado, a partir da publicação do presente estudo, por artistas e editoras para melhorar o desempenho dos …

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …