“Portugueses da Venezuela não estão esquecidos”

Miguel Gutierrez / EPA

Venezuelanos protestam contra a falta de alimentos e produtos básicos em Catia, Caracas

Os portugueses radicados na Venezuela estão no centro das preocupações do Governo, disse em Caracas o secretário de Estado das Comunidades.

“Eu tinha intenção de visitar a Venezuela, mas naturalmente quando as condições de vida social, económica e também política se deterioraram, a urgência desse encontro, dessa presença, ganhou outro destaque, porque a presença do Governo é sempre uma demonstração de que os portugueses da Venezuela não estão esquecidos, estão no centro das nossas preocupações e de todas as estruturas do Estado português”, disse José Luís Carneiro.

O secretário de Estado falava à Agência Lusa e à Antena 1 no âmbito de uma visita de quatro dias à Venezuela, que iniciou na terça-feira, conjuntamente com o secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus da Madeira, Sérgio Marques.

A visita, disse, tem como objetivo “manter os canais de comunicação em bom funcionamento, no que diz respeito nomeadamente à relação com as autoridades venezuelanas, que são absolutamente indispensáveis para garantir e promover as condições de segurança e de bem estar dos portugueses“.

Carneiro salientou também “a relação de boa cooperação” com dezenas de associações luso-venezuelanas que estão muito ativas na vida coletiva da comunidade, nomeadamente de caráter social e que desenvolvem um trabalho muito importante de identificação de casos de necessidade mas também de mobilização de recursos para apoiar essas famílias”.

O Governo quer ainda “verificar o modo como os serviços consulares estão a procurar corresponder às necessidades que são colocadas por aqueles que querem requerer documentação dos serviços consulares (…) e, por outro lado, encontrar-se com empresários, porque na Venezuela há centenas de empresas portuguesas, desde as pequenas empresas de comércio à distribuição, até grandes empresas dos setores agroalimentar e nas infraestruturas essenciais do país (transporte e comércio internacional)”, disse.

À chegada à Venezuela, o secretário de Estado das Comunidades visitou as obras de expansão do Porto de La Guaira, o principal do país, que foi ampliado pela empresa Teixeira Duarte, contando com mais de cinco mil trabalhadores na construção. “Trata-se de um porto (marítimo) que está numa região que representa 10% do comércio mundial e será uma empresa portuguesa a operar a gestão e administração do Porto de La Guaira”.

Por outro lado, explicou que a grande maioria dos portugueses que se encontra na Venezuela “pretende fazer da Venezuela o seu país de futuro”. “Para muitos deles é a sua pátria, naturalmente com um sentimento hereditário muito forte a Portugal”, disse.

A visita à Venezuela serve para lhes dizer que Portugal está com eles num momento especialmente difícil do ponto de vista social e económico, com condições graves do ponto de vista da segurança, salientou. “A proximidade do secretário de Estado com as pessoas é uma proximidade do Governo, de Portugal, do seu primeiro-ministro, do ministro dos Negócios Estrangeiros, e é de todo o país, também do senhor Presidente da República”.

José Luís Carneiro indicou que, há cerca de três semanas recebeu a informação de que 600 pessoas se tinham inscrito na Segurança Social da Madeira, e que teve conhecimento da chegada de cerca de 190 madeirenses, ainda que muitos tenham manifestado intenção de regressar à Venezuela. “Muitos pretendem, depois de uma relativa estabilização social, regressar de novo, porque têm aqui os seus investimentos, muito do seu património, em muitos casos têm aqui os seus filhos”, concluiu.

Cristian Hernandez / EPA

Protestos de 6 de Abril de 2017 em Caracas, Venezuela

Protestos em Caracas, Venezuela

Quase 3 mil pessoas detidas em 60 dias de protestos

Um total de 2.977 pessoas foram detidas durante manifestações na Venezuela, das quais 1.351 continuam privadas de liberdade, revelou a organização não governamental Foro Penal Venezuelano. Segundo a FPV, do total de pessoas detidas, 373 estão sob a alçada da justiça militar.

De acordo com o diretor executivo da Foro Penal, Alfredo Romero, “mais de 80%” das pessoas detidas “são jovens” e estão a ser usados tribunais militares ultrapassando a justiça civil, instância que tem libertado alguns dos detidos por participarem nas manifestações. “Os tribunais (militares), pelo contrário, exigem a privação da liberdade violando o Estado de direito”, disse.

O diretor da FPV, Alonso Medina, explicou por seu turno que os delitos imputados pela justiça militar são “na sua maioria de traição à pátria e rebelião” assim como outros “poucos” delitos “contra a ordem e a segurança da nação” e das forças armadas.

Sobre o delito de “rebelião militar”, Medina assinalou que “em nenhuma circunstância” se pode equiparar uma manifestação com uma rebelião militar.

Há 60 dias que a Venezuela vive uma onda de manifestações a favor e contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro, algumas das quais geraram confrontos violentos que provocaram a morte de 59 pessoas e um milhar de feridos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Abono extra e complemento de estabilização. Governo cria dois novos apoios cumulativos para quem perdeu rendimentos

O Programa de Estabilização Económica e Social (PEES) do Governo vai incluir dois novos apoios para trabalhadores e famílias que perderam parte dos seus salários nos últimos três meses devido à pandemia de covid-19. A notícia …

Bolsonaro veta transferência de 1,5 mil milhões de euros para estados e municípios

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, vetou na quarta-feira a transferência de 8,6 mil milhões de reais (1,5 mil milhões de euros) do Fundo de Reservas Monetárias (FRM) para estados e municípios combaterem a covid-19. A decisão …

O núcleo da Terra pode esconder mais de cinco oceanos no seu interior

Um novo estudo sugere que o núcleo da Terra pode abrigar uma grande quantidade de água no seu interior. Segundo os investigadores, a quantidade pode chegar ao equivalente a cinco oceanos. Muitos estudos comprovam que, sob …

Descoberto novo tipo de matéria exótica no "coração" das estrelas de neutrões

Uma investigação levada a cabo por um grupo de cientistas da Finlândia encontrou fortes evidências da existência de matéria exótica de quarks no interior dos núcleos das maiores estrelas de neutrões. Em comunicado, os cientistas …

Os asteróides Ryugu e Bennu podem ser "filhos" de um mesmo pai

Os asteróides Ryugu e Bennu podem ter sido formados a partir de um outro asteróide de grandes dimensões, sugere uma investigação internacional. Simulações numéricas de grandes ruturas de asteróides, como as que ocorrem no cinturão de …

Diário de oficial nazi revela localização de tesouro escondido na Polónia durante a 2.ª Guerra Mundial

Um diário que esteve na posse de uma sociedade secreta durante décadas contém um mapa que descreve a localização de mais de 30 toneladas de ouro escondidas pelos nazis durante a Segunda Guerra Mundial. Escrito há …

"Pés de café" ajudam robôs a andar mais rápido (e sem tropeçar)

Uma das principais aplicações para robôs com pernas é a exploração de locais de desastre. No entanto, para atravessar os escombros, estas máquinas precisam de ter "pés" firmes. Uma equipa de investigadores da Universidade da Califórnia, …

Famalicão 2-1 FC Porto | Dragões falham reentrada

O FC Porto ficou hoje com a liderança da I Liga portuguesa de futebol em risco, ao perder em casa do Famalicão, por 2-1, na 25.ª jornada, que marca o regresso após a paragem devido …

Empresas chinesas compram soja dos EUA apesar de suspensão imposta pelo Governo

Empresas estatais chinesas terão comprado pelo menos três carregamentos de soja aos Estados Unidos (EUA), mesmo após o Governo ter levantado uma suspensão. Esta surgiu depois de Washington afirmar que terminaria com o acordo comercial …

Musk quer bombardear Marte. Pode ser só um "pretexto" para enviar armas nucleares para o Espaço

O plano de Elon Musk de bombardear Marte é apenas um pretexto para o lançamento de armas nucleares para o Espaço, disse o diretor da agência espacial russa Roscosmos, Dmitry Rogozin. Bombardear Marte para tornar o …