“Grande radar” do hemisfério sul. Portugal de olhos postos na Austrália, onde o Inverno trouxe mais casos

António Cotrim / Lusa

A diretora-geral da Saúde disse que Portugal está a olhar para a situação epidemiológica da Austrália, o “grande radar” do hemisfério sul que está agora no seu inverno para prever o que possa acontecer nos meses frios na Europa.

 

“Tiveram uma primeira onda [de covid-19], conseguiram baixá-la e enfrentam agora uma segunda onda simétrica à primeira”, referiu Graça Freitas esta quarta-feira.

A evolução da doença na Austrália mostra que o cenário de uma segunda onda de covid-19 pode acontecer, mas a responsável máxima da DGS refere que ainda é cedo para tirar conclusões, tal como escreve o jornal Público.

Para já, continuou Graça Freitas, a estratégia epidemiológica portuguesa para combater o vírus no Inverno passa por observar “o hemisfério sul para prever o que vai acontecer no hemisfério norte e o grande país de observação no hemisfério sul é a Austrália”.

“O hemisfério Norte observa muito as doenças sazonais. Quando um vírus novo aparece, tem características sempre diferentes e pode não respeitar a sua preferência por uma estação do ano. É o que está a passar-se com este coronavírus — que, apesar de ser Verão, em Portugal, mesmo com altas temperaturas está presente”, afirmou Graça Freitas, sublinhando que a Austrália serve de exemplo por ser um país “altamente desenvolvido” em termos de sistema de saúde e vigilância epidemiológica.

“O que estamos a assistir na Austrália foi que tiveram uma primeira onda, conseguiram baixar bastante os números e tiveram um período com muitos poucos casos e, neste momento, está de facto a apresentar uma segunda onda que parece até ser simétrica à primeira. Digo parece porque ainda agora começou o Inverno na Austrália. O nosso grande observatório continua a ser este país”, explicou a diretora-geral da Saúde.

O jornal Público refere ainda na sua edição desta quinta-feira que o Inverno australiano arrancou a 1 de junho e foi a partir de meados deste mês que o número de novas infeções por covid-19 voltou a aumentar, levantando questões sobre a possibilidade de o país estar a passar por uma segunda vaga de covid-19 com a chegada do frio.

Governo já prepara inverno

Ao Expresso, fonte do Ministério da Saúde avançou no passado fim de semana que o Governo já está a preparar a estratégia de combate à covid-19 para o Inverno, que terá dois vírus a coexistir – o novo coronavírus e o da gripe – o que poderá sobrecarregar o Sistema Nacional de Saúde e fazer aumentar a procura por testes de despiste à covid-19, uma vez que ambas as patologias têm sintomas iniciais muito idênticos.

A vacinação da gripe sazonal vai ser antecipada logo para o início de outubro, com prioridade para os profissionais de saúde e funcionários de lares. Equaciona-se alargar o seu âmbito gratuito para grávidas e outros grupos de risco ainda não divulgados.

Além disso, o Governo pretende expandir a “rede de laboratórios para diagnóstico do SARS-CoV-2”, cujo investimento rondará os 8,4 milhões de euros, segundo o Ministério liderado por Marta Temida. Pretende-se também assegurar disponibilidade de kits e outros componentes necessários para levar os testes a cabo.

O Ministério quer ainda aumentar o número de camas disponíveis nos hospitais, através de obras de ampliação, e apostar em teleconsultas para doentes não-covid.

O primeiro-ministro, António Costa, e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, frisaram esta quarta-feira que Portugal deve evitar um segundo confinamento no inverno.

“Há uma coisa que sabemos: Não podemos voltar a repetir o confinamento que tivemos de impor durante o período do estado de emergência e nas semanas seguintes, porque a sociedade, as famílias e as pessoas não suportarão passar de novo pelo mesmo“, disse Costa, referindo o trabalho de adaptação da sociedade “tem de ser feito agora, porque ainda há algum tempo de distância para evitar o pior” no próximo outono e inverno.

“Nós ainda não acabámos de viver um surto pandémico. É verdade que já se fala no próximo surto, mas ainda não saímos do atual. É bom que isso fique claro, que isto às vezes também é muito português: estamos a falar no segundo surto e ainda estamos no primeiro, ainda estamos com mais de 300 contaminados por dia no primeiro”, disse o chefe de Estado, sublinhando que o país não pode descurar da primeira vaga.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não há ninguém que diga ao primeiro ministro que deveria dizer “não podemos repetir” em vez de “voltar a repetir”? Voltar a repetir só quando já houve uma repetição anterior. Ora, o confinamento só aconteceu uma vez.
    O importante mesmo é que ficámos a saber que não vai haver novo confinamento mesmo que as pessoas caiam mortas na rua. O dilema é que com confinamento não há economia e sem saúde também não.

  2. Isto é mesmo de quem não percebe nada de nada e não faz a mínima ideia do que deve ser feito. Querer olhar para a Austrália?!!! Conhecem por acaso os hábitos culturais dos australianos? Alguma vez viveram na Austrália? Enfim… Vivi em Melbourne 12 anos e acho que não existe qualquer comparação entre aquilo que é a dinâmica social e comportamental dos australianos e a dos portugueses.

RESPONDER

Abelhas bebé adoram hidratos de carbono. Descoberta pode ajudar a salvar a espécie

Uma equipa de investigadores percebeu que as abelhas bebé adoram hidratos de carbono. Esta descoberta pode ajudar a salvar a espécie. As abelhas selvagens são essenciais para sustentar as paisagens que amamos. Uma comunidade saudável de …

Restrições ao fim de semana podem acabar em maio

Políticos e especialistas voltam a reunir-se na sede do Infarmed, na próxima semana, para decidir como avança a última fase do desconfinamento, que começa a 3 de maio. Os dados da pandemia encorajam o Governo …

Crónica ZAP - Nota Artística por Nuno Miguel Teixeira

Nota artística: há Jardim na Boavista, há perfume Gaitán em Braga

https://soundcloud.com/nuno-teixeira-264830877/sp-braga-2-1-boavista-o-musical Não foi há muitos anos que Sporting de Braga e Boavista lutaram pelo título, pelo primeiro lugar. Agora o contexto é outro: os primeiros querem ficar no pódio da classificação correta e os segundos não …

De seis para 18 meses. Governo e Altice chegam a "consenso" para renovar SIRESP

A Altice Portugal vai enviar esta sexta-feira a proposta técnico operacional para a prorrogação por 18 meses do serviço da rede de comunicações de emergência SIRESP, disse esta quinta-feira fonte oficial da empresa à Lusa. Na …

Governo admite chamar Catarina Martins para negociar (mas acredita que BE e PSD têm uma aliança tácita)

A antiga geringonça já não volta a ser o que era, depois de o Bloco de Esquerda ter votado contra a proposta do Governo no último Orçamento do Estado. Ainda assim, António Costa vai voltar …

Nova técnica pode ajudar a prever erupções vulcânicas com anos de antecedência

Uma equipa de cientistas desenvolveu uma nova técnica de alerta precoce, baseada em dados de satélite, que poderia ser usada para prever erupções vulcânicas com anos de antecedência. Com a ajuda de dados de satélite, cientistas …

Governo quer aumentar salário mínimo em 40 euros em 2022

No próximo ano, o salário mínimo nacional deverá subir cerca de 40 euros - um aumento de 6% face aos atuais 665 euros. Este aumento elevaria o montante para 705 euros por mês. De acordo com …

Três mísseis atingem aeroporto de Bagdad onde estão tropas dos Estados Unidos. Não há feridos

Três mísseis atingiram esta quinta-feira o aeroporto de Bagdad, onde se situa uma base militar onde estão estacionados soldados norte-americanos, tendo provocado um ferido iraquiano, revelaram fontes da segurança citadas pela AFP. Os projéteis atingiram a …

História no Planeta Vermelho. Perseverance conseguiu transformar dióxido de carbono em oxigénio

O rover Perseverance, da NASA, conseguiu converter dióxido de carbono em oxigénio. Este grande passo abre caminho à exploração humana do Planeta Vermelho. O MOXIE (Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment), um instrumento a bordo do …

Radiotelescópio encontrou a sua primeira estrela morta giratória. É um "farol cósmico gigante"

Com a ajuda de um radiotelescópio de baixa frequência na Austrália, uma equipa de astrónomos descobriu um pulsar - uma estrela de neutrões densa que gira rapidamente, enviando ondas de rádio para o cosmos. Pela primeira, …