Portugal já paga juros mais baixos que Itália e Espanha, diz Costa

Manuel De Almeida / LUSA

“Todos em Portugal estão hoje a viver melhor do que viviam há quatro anos”, afirmou António Costa, durante uma ação de campanha do PS.

António Costa disse, este domingo, que Portugal já está a pagar a dívida com juros mais baixos que Itália e Espanha, porque demonstrou ser “um país que paga o que deve“.

“Este ano vamos gastar da dívida pública menos dois mil milhões de euros do que pagávamos há quatro anos. Começámos por ficar com os juros abaixo de Itália e, desde há poucas semanas, já temos os nossos juros abaixo de Espanha”, disse o secretário-geral do PS.

“Conseguimos estes resultados porque recuperámos a credibilidade internacional do país, conseguimos estabilidade política, devolvemos confiança a quem nos emprestou dinheiro, de que nós somos um país de gente de bem, que paga o que deve, que merece respeito e que pode merecer a confiança de toda a gente”, continuou Costa, num jantar-comício realizado em Castelo de Paiva, município do norte do distrito de Aveiro.

À chegada da escola secundária da vila, onde se realizou a atividade partidária, o secretário-geral socialista tinha à espera um pequeno grupo de lesados do BES que protestava pela situação em que se encontra, mas cujas palavras de ordem foram atenuadas pelas dos jovens da JS.

No discurso perante algumas centenas de apoiantes, o líder socialista sublinhou que após vários anos [de gestão PS] com o país a crescer acima da média europeia as previsões, “mesmo as mais pessimistas”, apontam para que a situação “se mantenha nos próximos dois anos”.

“Aqui chegados podemos dizer que a taxa de desemprego está praticamente a metade daquilo que estava há quatro anos. São mais 350 mil novos postos de trabalho criados em termos líquidos no nosso país, a esmagadora maioria dos quais não são contratos a prazo, são contratos sem termo, que dão segurança e perspetivas de futuro a quem arranjou esse posto de trabalho. Conseguimos aumentar o salário mínimo nacional 20%, o rendimento médio das famílias aumentou 9,2%, hoje as famílias vivem melhor e, mesmo assim, as empresas estão a investir e a criar postos de trabalho”, disse.

Por isso, concluiu, “todos em Portugal estão hoje a viver melhor do que viviam há quatro anos”. Num discurso marcado por muitos números, em jeito de balanço da legislatura na ótica da governação socialista, António Costa acentuou que “nestes quatro anos houve 180 mil famílias que já saíram da situação de pobreza e 280 mil famílias que deixaram de estar numa situação de privação material severa”.

“Com o crescimento económico, com a criação de emprego, com a melhoria do rendimento, com as políticas sociais que desenvolvemos, nós estamos a diminuir a pobreza e a reduzir a desigualdade”, afirmou.

Na intervenção houve ainda tempo para lembrar o investimento no Serviço Nacional de Saúde, sinalizando que se está a investir, no presente, mais 1.600 milhões de euros do que em 2015. No rol das promessas, destacou a intenção de ser alargado a todo o país, na próxima legislatura, o modelo das Unidades de Saúde Familiares.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …

Brexit: Hoje era o Dia D (mas afinal, fica tudo na mesma)

Devia ter sido o dia decisivo para o Brexit no Parlamento do Reino Unido, mas o processo foi mais uma vez adiado.  Foi aprovada uma emenda que obriga o primeiro-ministro Boris Johnson a pedir um novo …