Portimonense 0-3 FC Porto | Dragão vence e convence no Algarve

Luís Forra / Lusa

Foi com distinção que o FC Porto passou o exame em Portimão, no confronto que abriu as contas da 13.ª jornada da Liga Bwin.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Na deslocação ao reduto de uma das sensações da prova, os comandados de Sérgio Conceição ainda sofreram na fase inicial quando Fabrício não conseguiu levar a melhor no “face to face” com Diogo Costa (6’).

Mas a partir daí assumiram as rédeas do duelo e construíram uma almofada de três golos assinados por Luis Díaz – a Liga deu a autoria do tento na própria baliza a Pedro Sá -, Vitinha e Otávio.

Este foi o 41.º encontro seguido da equipa de Sérgio Conceição sem perder no campeonato e o oitavo triunfo consecutivo na actual edição da prova. Por sua vez, o Portimonense, não conseguiu derrotar os “dragões”, algo que não alcança desde 1987.

Decorria o período de descontos quando, na sequência de um livre cobrado por Luis Díaz, Pedro Sá desviou a trajectória da bola de forma involuntária, que ainda tocou em Taremi antes de enganar Samuel Portugal. O nó algarvio estava desfeito e deixava os “dragões” em vantagem.

Num duelo intenso, os dois conjuntos não se limitaram a defender e foram criando diversas situações perigosas, mas ora por ineficácia, ora por mérito dos guardiões – Diogo Costa travou Fabrício (6′) que estava isolado -, o nulo ia perdurando, até que surgiu o suspeito do costume…

O colombiano, que esteve umbilicalmente ligado ao lance do golo, era o MVP ao intervalo com quatro remates (dois enquadrados), outros tantos valiosos, sete passes aproximativos recebidos, três acções com a bola na área adversária e rating de 6.6.

Fali Candé ainda ameaçou o empate, mas foi lesta a resposta dos forasteiros, que no espaço de cinco minutos – entre os 70’ e 75’ – dissiparam quaisquer dúvidas relativamente ao nome do vencedor desta partida. Vitinha (estreia a marcar) e Otávio deixaram os “azuis-e-brancos” a olhar para o dérbi alfacinha de cadeirinha…

Melhor em Campo

Noite de sonho para Vitinha, que foi titular, estreou-se a marcar na equipa principal do FC Porto e levou para casa o título de MVP da partida, com GoalPoint Rating de 8.0.

Com pés de veludo, o médio assumiu a batuta do meio-campo, esteve em todo o lado, orquestrou as manobras da equipa com dois remates, o já citado golo, três passes para finalização, três passes valiosos, apenas nove passes falhados em 69 (87% de eficácia), acertou sete dos nove passes longos que arriscou.

Foi o elemento em campo com mais acções com a bola: 87. Realce, ainda, para as sete recuperações de posse registadas e para as duas faltas sofridas.

Destaques do Portimonense

Samuel Portugal 5.6 – Sem culpas nos três golos sofridos, não conseguiu ser a muralha que foi diante do Benfica. Mesmo assim, realizou quatro defesas.

Pedro Sá 5.6 – Até ao período de descontos estava a ser um dos melhores elementos dos algarvios. Saiu ao intervalo com 23 acções com a bola, três intercepções e outros tantos alívios.

Willyan 5.4 – Venceu três dos cinco duelos aéreos defensivos em que interveio, tendo ainda feito três intercepções e bloqueado dois remates.

Destaques do Porto

Luis Díaz 7.6 – A Liga atribui o golo a Pedro Sá, mas os nossos dados consideram que o autor do 0-1 foi o colombiano. A atravessar um momento de forma cintilante, voltou a espalhar “veneno” pela defensiva contrária, amealhando quatro remates (metade enquadrados), três passes para finalização, seis passes valiosos, 11 passes aproximativos recebidos e oito acções com a bola na área contrária. Mais uma excelente exibição

Otávio 7.0 – Não marcava para o campeonato desde Fevereiro. Além da excelente finalização, esteve sempre ligado à corrente com cinco remates, três passes valiosos, dois passes super aproximativos, sete acções com a bola na área contrária, quatro desarmes e três acções defensivas no meio-campo adversário.

Taremi 6.7 – Não precisa marcar para ser influente nas acções da equipa. Sempre móvel, tentou a sorte por quase ocasiões, mas sem êxito. Ofereceu o 0-3 a Otávio e igualou Luis Díaz no número de passes valiosos (seis).

Diogo Costa 6.7 – Aos cinco minutos agigantou-se e negou a festa a Fabrício, na etapa final esticou-se e travou os intentos de Candé. Concluiu o encontro com quatro defesas.

Zaidu 6.6 – Bom desempenho no nigeriano, que esteve seguro a defender – oito recuperações da posse, três desarmes e três alívios – e no ataque mostrou-se com quatro cruzamentos e cinco passes aproximativos.

Manafá 6.5 – Regressou ao “onze” na ausência de João Mário. Fez três passes para finalização, cinco valiosos e três super aproximativos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Uribe 6.4 – O colombiano não sabe jogar mal. Criou perigo com um remate (39’) e chegou às 15 recuperações de bola (máximo na partida).

Mbemba 6.1 – Falhou uma intercepção e valeram os reflexos de Diogo Costa. Estabilizou, tendo feito quatro alívios e oito recuperações da posse.

Evanilson 6.0 – É dele a assistência para o 0-2 assinado por Vitinha.

Corona 6.0 – Nos 11 minutos em que actuou realizou um remate e dois passes para finalização.

Fábio Cardoso 6.0 – Tentou um golo num cabeceamento na etapa final. Em termos defensivos coleccionou sete recuperações de bola e quatro alívios.

Resumo

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.