Polónia 2-0 A. Saudita | Eficácia e Lewandowski decidem

FIFA / Twitter

O avançando polaco Robert Lewandowski.

Eficácia e Lewandowski. Estas as duas palavras que definem o triunfo da Polónia, o primeiro neste Mundial 2022, sobre a grande sensação da primeira jornada a Arábia Saudita, por 2-0.

A formação europeia jogou a maior parte do tempo na expectativa, sem pressionar muito e permitindo que o seu adversário criasse muitas ocasiões, incluindo desperdiçando uma grande penalidade.

Na resposta, os polacos foram eficazes, marcando por duas vezes em muito menos remates, um dos tentos por Robert Lewandowski, que se estreou, finalmente, a marcar em campeonatos do Mundo. Porém, a grande figura foi outra.

Desperdício saudita foi total

Jogo fraco na sua generalidade, que só animou verdadeiramente perto do apito para o descanso. A Arábia Saudita começou por ser a equipa maus acutilante no ataque, com os polacos mais na expectativa, mas quando estes apertaram um pouco mais, marcaram, aos 39 minutos, numa jogada de insistência de Lewandowski que assistiu Piotr Zieliński para o 1-0.

Os sauditas reagiram e, nos descontos, usufruíram de uma grande penalidade, por falta de Krystian Bielik sobre Saleh Al-Shehri, mas Wojciech Szczęsny defendeu a cobrança de Salem Al-Dawsari (o herói ante a Argentina) e a recarga de Mohammed Al-Burayk. Por esse motivo, o guardião polaco era o melhor em campo ao intervalo, com um GoalPoint Rating de 7.2, com um registo de três defesas, todas a remates na sua grande área.

Na segunda metade o domínio da Arábia Saudita foi total, com a posse de bola a rondar quase sempre os 70% e muitos mais remates, acompanhados por boas ocasiões que Szczęsny ia travando, perante a apatia mais ou menos generalizada da restante selecção polaca. Ainda assim, Robert Lewandowski esteve perto de fazer o sei primeiro golo em Mundiais aos 66 minutos, acertando no poste.

Só que aos 82, e perante a inoperância ofensiva dos sauditas e aproveitando um erro crasso de Abdulelah Al-Malki, o craque do Barcelona marcou mesmo – nos festejos ficou patente a importância do tento para o ponta-de-lança. Estava decidida a partida, na qual os polacos souberam ser eficazes e os sauditas desperdiçaram muito futebol ofensivo.

MVP GoalPoint: Wojciech Szczęsny

Os sauditas atacaram mais, criaram lances de perigo, usufruíram, inclusive, de uma grande penalidade, mas a falta de competência na finalização e a inspiração do guardião da Polónia ditaram que a equipa que espantou todos na primeira jornada, ao bater a Argentina, iria ficar em branco nesta partida.

Szczęsny fez uma tremenda “performance” e foi o MVP da partida, com um GoalPoint Rating de 8.3. O jogador da Juventus fez cinco defesas, quatro a remates na sua grande área, uma a travar um penálti e a respectiva recarga, e evitou 2,5 golos (defesas – xSaves).

Outros Ratings

Polónia

Lewandowski 7.2

Robert Lewandowski marcou finalmente num mundial e a forma como festejou, revelando o alívio de ter facturado, mostra bem o peso que a sua ineficácia estava a ter nos ombros do ponta-de-lança. O jogador do Barça fez cinco remates, máximo do jogo, dois enquadrados, um no ferro, fez uma assistência, recebeu 12 passes progressivos (máximo), somou dez acções com bola na área contrária (também valor mais alto), completou quatro de sete tentativas de drible e ganhou três de sete duelos aéreos ofensivos. As duas flagrantes falhadas cortam-se a nota.

Frankowski 6.2

O médio-direito criou uma ocasião flagrante e ajudou com cinco recuperações de posse e três desarmes.

Arábia Saudita

Mohamed Kanno 6.1

O médio foi um dos mais rematadores da partida, com quatro disparos, somou o máximo de passes certos (63) e tentados (75), assinou o máximo de acções com bola (95), completou as três tentativas de drible e ganhou cinco de sete duelos aéreos defensivos.

Saud Abdulhamid 5.8

O lateral-direito esteve muito envolvidos nos momentos atacantes, registando dois passes para finalização e oito progressivos.

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.