Afinal, políticos esforçam-se para cumprir promessas quando são eleitos

Will Oliver / EPA

O senso comum diz-nos que não se pode confiar nos políticos para manter as suas promessas, mas décadas de investigação em várias democracias avançadas mostram o contrário. Na verdade, os partidos políticos cumprem a maior parte das suas promessas de campanha.

Numa época de cinismo político, qualquer um é perdoado por duvidar desta afirmação. A ideia de que os políticos não são sinceros sobre as suas promessas de campanha reflete-se nas crenças públicas sobre o cumprimento das promessas eleitorais.

Investigadores britânicos perguntaram aos entrevistados se concordavam que “as pessoas que elegemos como deputados tentam cumprir as promessas que fizeram durante a campanha eleitoral”.

Fraser McMillan / John Smith Centre

Os políticos tentam manter as suas promessas?

Dos 1.435 voluntários que opinaram, menos de um em cada três concordou, enquanto mais de metade discordou. Os cidadãos parecem ter pouca fé em que as políticas que aprovam nas urnas serão concretizadas, mas a verdade é realmente bastante diferente.

Promessas feitas, promessas cumpridas

A constatação de que os partidos políticos cumprem as suas promessas resistiu a repetidos estudos internacionais. Investigadores estudaram os programas dos partidos em busca de compromissos mensuráveis de políticas e verificaram as ações do governo e a legislação para obter evidências do seu progresso.

O estudo mais abrangente do vínculo entre programa político e legislação foi publicado em 2017. Reuniu 20 mil promessas de campanha específicas de 57 eleições de 12 países. O vínculo mais forte é encontrado no Reino Unido, com mais de 85% das promessas dos partidos governantes, pelo menos parcialmente promulgadas nos anos estudados.

Também sabemos que as promessas são cumpridas com maior frequência quando um partido não precisa de compartilhar o poder com outros, como num governo de coligação. Em sistemas políticos onde os governos de coligação são a norma, menos promessas eleitorais tornam-se políticas do governo. Aqui, os partidos governantes normalmente cumprem apenas metade das suas promessas.

O cumprimento da promessa também é afetado por fatores como o crescimento económico, negociações de coligação e a experiência anterior de governação dos partidos.

O paradoxo da promessa

A mensagem principal é que os políticos parecem tentar manter as suas promessas. O mecanismo central pelo qual as escolhas de voto se devem traduzir em políticas funciona mais suavemente do que os eleitores supõem. Esta desconexão entre crenças públicas e o consenso académico até tem um nome: o paradoxo da promessa.

Um estudo recente mostra que o viés da negatividade – a tendência das pessoas reagirem mais fortemente a informações negativas – é a razão pela qual os eleitores lembram-se de promessas não cumpridas melhor do que as cumpridas.

Enquanto isso, um novo artigo publicado na revista Public Opinion and Voting Behavior sugere que os eleitores reagem apenas ao cumprimento ou quebra de promessas em questões com que se preocupam.

Tanto os partidos políticos como os investigadores precisam de enfrentar questões sobre a importância das promessas promulgadas pelos partidos. Um estudo recente mostra que as promessas consideradas mais importantes pelos eleitores tinham uma menor probabilidade de serem cumpridas.

Por exemplo, no Reino Unido, foi mantida a promessa de disponibilizar planos dos edifícios escolares para os pais, enquanto o compromisso de reduzir a migração líquida para menos de 100.000 foi novamente quebrado. Uma impressionante taxa de cumprimento de 69% caiu para 48% quando as promessas foram ponderadas pela prioridade do eleitor.

Embora o cumprimento das promessas eleitorais não seja o todo e o fim de todos os processos democráticos, é justo dizer que os estudos contrariam o senso comum de que as promessas de campanha são inúteis. Pelo contrário, os partidos políticos levam-nas muito a sério.

PARTILHAR

RESPONDER

Rio alerta para "claro divórcio entre a sociedade portuguesa e os partidos políticos"

O presidente do PSD, Rui Rio, disse ontem, em Paredes, no distrito do Porto, haver "um divórcio entre a sociedade e os partidos", defendendo que só uma maior "abertura" das estruturas às "pessoas" pode inverter …

Megaoperação de combate à pedofilia detém mais de 30 pessoas

Mais de 30 pessoas foram detidas em onze países no âmbito de uma megaoperação de combate à pornografia infantil realizada pela Europol e pela polícia nacional de Espanha, país onde foram presos mais de metade …

Grandes hotéis acusados de ignorar tráfico sexual. Queixa em grupo relata casos de 13 mulheres

Uma ação judicial deu entrada segunda-feira em Columbus, Ohio, nos Estados Unidos (EUA), com vários grandes grupos hoteleiros a serem acusados de lucrar com o tráfico sexual, ignorando os crimes e os danos nas vítimas. Segundo …

Líder da Birmânia, Suu Kyi, vai a Haia defender o país de acusação de genocídio

A líder birmanesa Aung San Suu Kyi decidiu comparecer perante o Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) para defender o seu país da acusação de genocídio contra a minoria muçulmana rohingya, durante uma audiência de três …

Impeachment. Democratas preparam-se para avançar com duas acusações formais contra Trump

Os democratas estarão a planear apresentar esta terça-feira dois artigos de impeachment que acusam Donald Trump de abuso de poder e obstrução do Congresso. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, o Comité …

Esquema de venda de droga na darkweb. Fortuna em bitcoins fica nas mãos do Estado

Pedro e Rita vendiam droga para todo o mundo na darkweb. Agora, a fortuna em bitcoins acabou por ficar nas mãos do Estado. Pedro, um engenheiro informático, e Rita, uma web designer, montaram um esquema para …

CDS e PAN querem regime protetor do denunciante no combate à corrupção

CDS e PAN vão apresentar propostas no combate à corrupção que tem sido discutido desde segunda-feira. Os partidos querem um regime protetor do denunciante. Numa iniciativa de combate à corrupção, o CDS e o PAN vão …

Morreu Marie Fredriksson, vocalista dos Roxette

A cantora sueca Marie Fredriksson, dos Roxette, morreu segunda-feira aos 61 anos, anunciou esta terça-feira a sua manager em comunicado. Marie Fredriksson, vocalista e co-fundadora da banda Roxette, faleceu esta segunda-feira, aos 61 anos. A morte …

Taxa de sucesso no ensino profissional atinge os 63%. É o valor mais alto de sempre

No ano letivo de 2017/2018, 63% dos alunos inscritos no ensino profissional concluíram os seus cursos no tempo previsto, mais dez pontos percentuais do que quatro anos antes, avança o jornal Público. De acordo com um …

Regra para filhos de pais separados em casas alternadas divide partidos

A lei já prevê que os filhos de pais separados possam ficar em residência alternada se o tribunal assim o decidir. Porém, as regras não são claras e vai ser discutida a melhor forma de …