“Tenha vergonha e demita-se”. Polícias indignados com Cabrita ameaçam parar o país

Tiago Petinga / Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

O Movimento Zero que junta mais de 14 mil polícias e que foi criado após a condenação de oito agentes por agressões a jovens negros da Cova da Moura, está indignado com o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e promete “parar o país” caso o governante não se demita.

A posição do Movimento Zero surge num manifesto a que o Correio da Manhã (CM) teve acesso e surge como reacção a declarações do ministro da Administração Interna (MAI) durante a inauguração do quartel dos Bombeiros Voluntários de Vialonga, neste domingo.

Eduardo Cabrita negou a ideia de que haja “cada vez mais” polícias agredidos. Uma afirmação que é mentira, segundo o Movimento Zero que enumera no manifesto divulgado pelo CM os polícias feridos e as mortes de agentes que ocorreram desde que o presente MAI tomou posse, em 2017.

“No dia 16 de Junho de 2019, na sua entrevista à comunicação social, durante a inauguração do quartel dos Bombeiros Voluntários de Vialonga, o senhor mentiu aos portugueses quando negou que ‘haja cada vez mais elementos das forças de segurança feridos em serviço'”, aponta o movimento de polícias.

Tenha vergonha e demita-se ou, em sua honra, os cerca de 15 mil homens e mulheres da PSP e GNR vão parar o país”, ameaçam os agentes deste movimento.

Estes polícias contestam ainda as estatísticas recentemente divulgadas e que apontam Portugal como o terceiro país mais seguro do mundo, “fruto do claro aumento da pro-actividade dos profissionais das forças de segurança”.

O Movimento Zero lembra a “greve” de zelo que iniciou a 21 de Maio passado no seguimento da condenação de oito agentes da PSP por agressões a jovens negros da Cova da Moura. Os polícias têm-se recusado a passar multas e só fazem intervenções em bairros problemáticos em casos graves.

“Desde essa data que já é possível atestar o decréscimo da actividade operacional da PSP e da GNR, nomeadamente em estatísticas da justiça (detenções) e os números resultantes das contra-ordenações, assim como o impacto financeiro que estas vão causar nos cofres do estado”, aponta o movimento.

“Estes números só não são públicos, porque quer o gabinete de S. Exª, quer a Direcção Nacional da PSP e o Comando Geral da GNR têm inundado a comunicação social com notícias sobre operações e dados estatísticos que muito bem sabem não corresponder à verdade”, frisa ainda o movimento.

  ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Que o ministro se retrate e peça desculpa pelo erro que cometeu até concordo, agora ameaçar parar o País se o ministro não se demitir roça mais uma ameaça terrorista dentro do Movimento Zero, como se com a demissão do ministro seja este ou outro qualquer de um qualquer governo as coisas ficassem resolvidas e não houvesse mais agentes mortos ou feridos, isso resulta não dos governantes volto a dizer que qualquer força política no governo, nenhum político pode garantir que com ele no governo as coisas mudavam, resulta da falta de civismo de alguns cidadãos nós cidadãos também deviríamos pedir aos elementos das forças de segurança que não são dignos de usar a farda que usam de se demitirem, e são muitos que não são dignos da farda que vestem, e não sou simpatizante do partido no governo nem de nenhum partido com assento na A.R.

    • Concordo plenamente com o seu comentário. Alguns que tenham vergonha e que se demitam pois não protegem os cidadãos nem honram o uniforme que vestem. Isto só demonstra a prepotência desses senhores

  2. o mais engraçado é que quando ouve os incidentes no bairro da jamaica, no mesmo dia viraram-se contra a policia e todos foram visitar os agredidos.
    neste caso foram as autoridades agredidas e ainda ninguem se manifestou a favor doas autoridades e so quase uma semana depois dos incidentes é que o ministro se resolveu ir visitar o que ainda está no hospital.
    ainda nao se viu o PR ir tirar umas selfies com as vitimas dos tiros
    o que dá a impressao é que neste caso sao so 2 votos e no bairro da jamaica sao centenas de votos

  3. Para mim podiam sair todos! O MAI, porque é um prepotente sem noção da realidade, perdeu uma excelente oportunidade para estar calado. E o movimento zero, pelas ameaças, e por achar que as autoridades estão acima da lei.
    Ó Sr. Ministro toda a gente sabe que as autoridades estão mal equipadas, e não é só isso. Também são mal formadas (pelo menos no que diz respeito a civismo e entendimento da missão das mesmas). E diria mais, também são muito mal frequentadas, visto que recrutam qualquer burgesso… daí a vergonha de autoridades que se vê pelas ruas, uma cambada de arruaceiros, que não cumprem nem as leis nem as suas obrigações, abusam da autoridade que têm, e saem quase sempre impunes, porque se encobrem-se uns aos outros, Actuando de forma semelhante às organizações de crime organizado. Onde a cumplicidade, é disfarçada de camaradagem! Já para não falar de doutrinação ideológica. É claro que não são todos, há muito bom polícia/guarda, que dignifica a farda, e o seu juramento. Vai para esses o meu louvor, homens que apesar de mal pagos, e mal equipados, cumprem com diligência as suas obrigações.

RESPONDER

Cientistas estão a plantar mesas de xadrez de corais para restaurar recifes - e contam com a ajuda de garrafas de Coca-Cola

Nas últimas três décadas, os recifes de coral têm sofrido uma grande tensão e consequente destruição, devido ao impacto das alterações climáticas. Agora, os cientistas querem minimizar os danos e já encontraram uma solução. O objetivo …

Belenenses 0-4 Sporting | Melhor o resultado que a lesão

O Sporting, da I Liga, venceu hoje o Belenenses, do Campeonato de Portugal, por 4-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, garantindo o apuramento para a próxima fase da competição. No …

Sintrense 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto, da I Liga, venceu hoje o Sintrense, do Campeonato de Portugal, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue em frente na competição. A jogar em …

Nova tecnologia usa calor dos estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos

A startup Enerdrape, que funciona dentro da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, desenvolveu uma tecnologia que aproveita o calor emanado pelo solo no aquecimento de apartamentos. Quase 60% do aquecimento utilizado nos edifícios residenciais …

Pela primeira vez, um drone transportou os pulmões de um dador em segurança. Voo demorou seis minutos

Pela primeira vez na história da medicina, um drone aéreo transportou os pulmões de um dador com rapidez e segurança entre dois hospitais. O voo, que durou apenas seis minutos, ocorreu no passado dia 25 de …

Grupo de hackers clonou a voz de empresário para roubar 35 milhões de dólares do banco

Um grupo de hackers clonou a voz do diretor de uma empresa, conseguindo assim roubar mais de 35 milhões de dólares de um banco nos Emirados Árabes Unidos. No início do ano passado, o gerente de …

Portugueses comem duas vezes mais do que o recomendando

Os portugueses consumiram, em média, duas vezes mais calorias do que o recomendando para um adulto entre 2016 e 2020, ano em que a pandemia provocou uma redução do consumo de alimentos diário, mas ainda …

Aos 95 anos, a rainha Isabel II terá de abdicar da sua bebida favorita

A monarca foi aconselhada pelos médicos a abdicar do seu habitual martini de fim de dia, em antecipação a uma fase de agenda especialmente preenchida. Com 95 anos, a rainha Isabel II tem tido uma semana …

Médicos vão avaliar estado mental do atacante da Noruega

A investigação ao ataque com arco e flecha que na quarta-feira fez cinco mortos na Noruega reforçou, até agora, a tese de um ato devido a doença, anunciou hoje a polícia norueguesa. “A hipótese que foi …

Há mais de 100 anos, o Hawai teve uma monarquia - mas a força da princesa Ka'iulani não chegou para a preservar

Antes de morrer, com apenas 23 anos, a princesa Victoria Ka'iulani foi a última herdeira da coroa havaiana. A jovem era uma das últimas esperanças em manter a monarquia viva, mas nem a sua determinação …