Polícia encerra escritório do canal de televisão Al-Jazeera na Tunísia

Kate Nevens / Flickr

Estúdios do canal Al-Jazeera

A polícia encerrou esta segunda-feira o escritório em Tunes do Catar Al-Jazeera, depois de expulsar todos os jornalistas das suas instalações, disse o diretor do canal televisivo, Lotfi Hajji, à agência de notícias France-Presse (AFP).

“Cerca de quinze polícias, alguns com fardas e outros à paisana, entraram no nosso escritório e pediram-nos para o abandonar”, disse Hajji, referindo que nenhuma explicação ou decisão judicial foi fornecida.

De acordo com os jornalistas, que tiveram de abandonar a sede da Al-Jazeera, as autoridades argumentaram que estavam “a aplicar as instruções” recebidas.

“O que está a acontecer é muito perigoso, é a prova de que a liberdade de imprensa está ameaçada. Hoje é a Al-Jazeera, noutro dia outro meio de comunicação!”, alertou o diretor do canal de televisão, explicando que as chaves do escritório foram confiscadas.

Segundo a mesma fonte, vários polícias terão permanecido no corredor do escritório da Al-Jazeera, enquanto outros controlavam os arredores do prédio.

O encerramento do canal de televisão ocorreu um dia após Kaïs Saïed anunciar a suspensão das atividades do Parlamento por 30 dias e a demissão de Hichem Mechichi.

Ministros da Defesa e da Justiça são exonerados

Entretanto, horas após destituir o primeiro-ministro Hichem Mechichi e suspender o parlamento por um período de 30 dias, o Presidente tunisino, Kais Said, decretou a exoneração dos ministros interinos da Defesa e Justiça, Ibrahim Bartaji e Hasna Ben Slimane.

Após esta decisão — que se seguiu ao encerramento do parlamento justificado pela necessidade “de recuperar a paz social e salvar o Estado e a sociedade” –, as duas pastas serão dirigidas por secretários-gerais ou por responsáveis de assuntos administrativos e financeiros dos respetivos departamentos até à designação de um novo primeiro-ministro e a formação de um novo executivo, revelou a Presidência em comunicado.

A mesa do parlamento reuniu-se esta segunda-feira pela primeira vez após a dissolução de Assembleia e definiu a iniciativa de Said de “odioso golpe de Estado”, exortando o Exército e as forças de segurança a “respeitar o seu juramento e proteger a Constituição e preservar o Estado e as instituições”.

Rached Ghannouchi, presidente do hemiciclo e líder do partido islamita conservador Ennahda, desmentiu ter sido consultado e fornecido a sua aprovação à dissolução, como referiu Said, que assegura ter recorrido ao artigo 80.º da Constituição que lhe concede o poder de adotar “medidas excecionais” perante um “perigo iminente” após consultas ao chefe de Governo e presidente do parlamento.

No domingo, Said anunciou que assumirá a chefia do executivo com a ajuda de um novo primeiro-ministro que deverá designar em breve, a par da retirada imediata da imunidade parlamentar a todos os deputados.

Diversas sedes do partido Ennahda foram assaltadas e incendiadas no domingo no decurso de manifestações que decorreram no país magrebino para exigir a demissão do Governo e a dissolução do parlamento devido à sua gestão da crise sanitária provocada pela pandemia do coronavírus e a deterioração das condições de vida.

A Tunísia iniciou a sua transição democrática em 2011 com a designada “Revolução do jasmim” que derrubou a ditadura de de Zine El Abidine Ben Ali, no poder há duas décadas, e que originou um total de dez governos, incapazes de solucionar a grave crise económica e social do país.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O Hawaii quer remover a sua "escadaria para o paraíso" - e a culpa é dos turistas

Em causa estão preocupações com a segurança e vandalismo, que têm aumentado com a explosão de popularidade da escadaria Ha‘ikū nas redes sociais. É caso para dizer que a Stairway to Heaven vai para o inferno …

Inventou o ZX Spectrum e mudou o mundo. Morreu Clive Sinclair

O empresário britânico e inventor do computador doméstico ZX Spectrum, Clive Sinclair, morreu hoje aos 81 anos na sua casa, em Londres (Reino Unido), devido a doença prolongada, informou a filha ao jornal “The Guardian”. Morreu …

Esta torre construída na Suécia não é gigante em altura, mas em sustentabilidade

Para além de ser feito de um material sustentável — fornecido por florestas locais com gestão consciente e transformado por uma serração nas proximidades, o Centro Cultural dispõe de múltiplas tecnologias que fazem dele mais …

Empresa canadiana debaixo de fogo por publicar anúncios de emprego destinados a não vacinados

Uma empresa de canoagem, sediada no Canadá, está debaixo de fogo depois de ter colocado anúncios de emprego destinados, exclusivamente, a pessoas não vacinadas contra a covid-19. "Por favor, NÃO se candidate se tiver tomado quaisquer …

Disparam ataques a jornalistas. Bruxelas insta países da UE a aumentar proteção

Os países da União Europeia (UE) foram instados por Bruxelas a tomar medidas para proteger os jornalistas, após um aumento no número de ataques a membros da imprensa. A Comissão Europeia exortou os governos a criarem …

Facebook e Google criticados por anúncios de "reversão do aborto"

O Facebook já veiculou anúncios de "reversão do aborto" 18,4 milhões de vezes desde janeiro de 2020, de acordo com um relatório do Center for Countering Digital Hate (CCDH), promovendo um procedimento "não comprovado, antiético" …

Líder militar dos EUA temeu que Trump iniciasse guerra nuclear com a China - e chegou a ligar aos chineses

As revelações aparecem em Peril, o novo livro de Bob Woodward e Robert Costa sobre os bastidores da Casa Branca. Trump já respondeu. O General Mark Milley, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA, …

França suspende 3.000 profissionais de saúde que recusaram vacina contra covid-19

A França suspendeu 3.000 profissionais de saúde sem remuneração por se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19, revelou o ministro responsável pela pasta, Olivier Véran. Segundo Véran, citado esta quinta-feira pelo Guardian, "várias dezenas" …

Austrália, Reino Unido e EUA assinam pacto de defesa para conter China

A Austrália, os Estados Unidos (EUA) e o Reino Unido anunciaram o "Pacto de Aukus", que visa frente às pretensões territoriais da China no Indo-Pacífico e envolverá a construção de uma frota de submarinos com …

Governo tem margem de 1600 milhões de euros nas negociações do Orçamento

Os dados são de um relatório do Conselho das Finanças Públicas, que deixa alertas para que o executivo não se estique muito no aumento da despesa e no corte à receita. Segundo escreve o Público, o …