Orbán quer criar novo grupo no Parlamento Europeu com italianos e polacos

europapont / Flickr

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán

O primeiro-ministro da Hungria, o ultranacionalista Viktor Orbán, está a negociar a criação de um novo grupo no Parlamento Europeu (PE) com formações de extrema-direita italianas e polacas, após ter abandonado o Partido Popular Europeu (PPE).

“Falámos com os polacos, com o grande amigo da Hungria, o senhor [Matteo] Salvini [do partido Liga], falamos com a presidência de outro partido italiano de direita, a senhora [Giorgia] Meloni [do partido Irmãos por Itália]”, disse esta sexta-feira o primeiro-ministro húngaro na rádio pública Kossuth, citada pela agência Lusa.

“O importante é que haja na Europa uma casa política para os que pensam como nós. É preciso trabalhar para isso e eu penso que uma corrente política como esta seria uma força política importante para a Europa”, opinou.

O primeiro-ministro não especificou se a formação polaca a que se referia é o partido governamental Lei e Justiça (PiS), que mantém boas relações com o Fidesz húngaro.

Tanto o PiS como o Irmãos por Itália fazem parte do grupo dos Conservadores e Reformistas Europeus – a que pertence o partido espanhol de extrema direita Vox -, e que quinta-feira demonstrou solidariedade com o Fidesz pela decisão “hostil” do PPE de modificar o regulamento interno para poder expulsar o partido de Orbán.

A Liga de Salvini pertence ao Identidade e Democracia, o grupo do PE onde estão também, entre outros, o partido de extrema-direita da francesa Marine Le Pen e os ultras do AfD da Alemanha e do FPO da Áustria.

O Fidesz, que governa a Hungria com maioria absoluta desde 2010, abandonou na quarta-feira o grupo PPE, pouco depois de a formação europeia aprovar uma mudança de estatutos para facilitar a expulsão do partido húngaro, suspenso há dois anos por violação aos seus valores.

Orbán afirmou na quinta-feira que os populares europeus são um “apêndice da esquerda” e anunciou a criação de um novo grupo político de direita para os eleitores europeus que rejeitam a emigração, o multiculturalismo e que “não submergiram na loucura LGBTQ”.

O ultranacionalista húngaro deixou entender esta sexta-feira que, após sair do grupo no PE, também vai abandonar o PPE. “Falei demoradamente com o novo presidente da CDU [Alemanha] nos últimos dias. Seguramente, vai decorrer outra negociação mas, até ao momento, devo dizer que os nossos caminhos se separaram”, acrescentou.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Novo ano letivo marcado pelo recorde de pedidos de bolsas de estudo no superior

Número crescente de alunos e perda de rendimentos das famílias são duas das razões apontadas para os pedidos recorde. O ano letivo 2021/22 ainda agora arrancou, mas já está a bater recordes no que respeita aos …

Urgências em Lisboa estão cheias. Situação pode piorar nas próximas semanas

As urgências do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, estão em situação crítica, com tempos de espera elevados. A situação de calamidade multiplica-se em vários hospitais do país, de …

Portugal já tem 86% da população totalmente vacinada contra a covid-19

A vacinação completa contra a covid-19 abrange já 86% da população portuguesa e são já mais de nove milhões de pessoas as que têm pelo menos uma dose da vacina, de acordo com os dados …

Direção do CDS desautoriza Telmo Correia e defende eleições "o mais brevemente possível"

A direção do CDS-PP não gostou de ouvir o líder parlamentar dizer que a melhor altura para realizar eleições legislativas seria no final de janeiro ou fevereiro. Depois de uma reunião com o presidente da Assembleia …

Órban e Le Pen apoiam a Polónia e criticam "imperialismo" da UE

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, e a líder da União Nacional (RN, na sigla em francês), Marine Le Pen, manifestaram esta terça-feira apoio à Polónia no conflito que mantém com a UE, a qual acusam …

Após goleada frente ao Bodø/Glimt, Mourinho põe de lado quatro jogadores

Em duas convocatórias consecutivas, José Mourinho deixou de fora quatro futebolistas que participaram na derrota por 6-1 frente ao Bodø/Glimt. Naquela que foi a maior derrota de sempre da carreira de José Mourinho, o Tottenham perdeu …

O que cai e o que fica: as medidas que o chumbo do OE deita por terra e as que permanecem

O grosso das medidas previstas na proposta de Orçamento do Estado para 2022 não deverá sair do papel. As aprovadas em Conselho de Ministros, por sua vez, manter-se-ão viáveis, já foram discutidas fora da sede …

Truque permite que o Orçamento não seja votado esta quarta-feira

Há um mecanismo que, se for acionado, permite que o Orçamento do Estado para 2022 sobreviva mesmo que não seja votado. O Orçamento do Estado para 2022 pode baixar à comissão sem votação. Este mecanismo, nunca …

Conceição reconhece supremacia do Santa Clara e admite culpa na derrota

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que o Santa Clara foi superior e diz-se culpado pela derrota pesada que deixa o clube fora da Taça da Liga. O FC Porto está fora da Taça …

"Vechtpartij", quadro de Jan Steen.

Antigos jogos de bebida acabavam em vinho derramado e esfaqueamentos

Hoje vistos como jogos de diversão para jovens, na antiguidade, os drinking games (jogos de bebida) eram comuns em toda a sociedade — e, por vezes, terminavam mal. O kottabos era um antigo jogo de bebida …