/

Quase três meses depois, PJ encontra suspeito de homicídio de Alvalade

PJ / Facebook

A Polícia Judiciária (PJ) identificou o presumível autor de um homicídio qualificado de um homem de 78 anos ocorrido em fevereiro deste ano em Lisboa. O suspeito tem 26 anos e encontra-se preso preventivamente devido a uma agressão.

A PJ descobriu que o homem estava preso desde 8 de março pela prática de outro crime: ofensas à integridade física qualificada, também contra um homem, numa outra cidade da área metropolitana de Lisboa, informa o órgão de investigação criminal em comunicado emitido esta terça-feira.

A investigação da PJ apurou que a vítima passeava ao fim da tarde no parque José Gomes Ferreira – também conhecido como Mata de Alvalade – quando foi abordada pelo suspeito.

O homem de 26 anos “sem razão aparente” e com “extrema violência e força física”, agrediu a vítima na zona craniana “com auxílio de objeto contundente”, o que lhe causou múltiplas fraturas que acabaram por provocar a sua morte.

De acordo com a TVI, a Polícia Judiciária recorreu ao ADN presente nas calças da vítima para o comparar com um crime sem motivo aparente na Amadora. A correspondência levou as autoridades ao suspeito que foi esta terça-feira encontrado.

No comunicado, as autoridades consideram ainda que a identificação do suspeito é “cabal e inequívoca” e permite assim “tranquilizar a comunidade, atendendo à gravidade dos factos e ao enorme alarme social suscitado, especialmente naquela zona da cidade de Lisboa”.

O cadáver foi encontrado na Rua Professor Veiga Beirão por volta das 10h50 de dia 15 de fevereiro, por uma cidadão que de imediato ligou à PSP.

Como recorda o Observador, quando a PSP chegou ao local percebeu que o cadáver apresentava marcas de agressão, aparentemente tinha “ferimentos provocados com um objeto perfurante”.

Contudo, dada a suspeita de um homicídio o caso foi depressa entregue à PJ.

  Ana Isabel Moura, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.