Esta ave mostra que não é preciso ter um grande cérebro para formar uma sociedade complexa

Crisco 1492 / Wikimedia

Pintada-vulturina (Acryllium vulturinum)

A pintada-vulturina, uma ave proveniente de África, sugere agora que cérebros grandes não são necessariamente um requisito para viver entre sociedades complexas.

De acordo com o Science Alert, investigadores do Instituto Max Planck e da Universidade de Konstanz, na Alemanha, acompanharam as interações sociais de uma população de mais de 440 espécimes da ave pintada-vulturina, no Quénia, durante vários anos.

Mesmo no meio da multidão, o Acryllium vulturinum pode encontrar os seus amigos, e acompanhar o seu status social com centenas de outros indivíduos, um feito anteriormente conhecido apenas em mamíferos.



Estes animais são frequentemente observados em grupos, o que por si só não é incomum entre os pássaros. No entanto, o que é diferente neste caso é que esses grupos também têm associações consistentes com outros grupos.

Entre a população analisada, os cientistas descobriram que era composta por 18 grupos sociais, com 13 a 65 indivíduos em cada um, que consistiam em vários machos e fêmeas, incluindo pares reprodutores e não reprodutores.

Estas aves misturam-se com outros grupos durante o empoleiramento comunitário à noite e durante as atividades diurnas. Por exemplo, determinados grupos optam por juntar-se uns aos outros à noite, mesmo que não partilhem o mesmo território ou que não se relacionem durante o dia.

Depois de socializarem, determinados pássaros dividem-se de forma consistente dos seus grupos originais, o que significa que entendem quem faz parte do grupo e quem não faz. Os investigadores até suspeitam que estas aves tenham algo semelhante com grupos menores de amigos dentro desses grupos.

“Do que sabemos, é a primeira vez que uma estrutura social como esta é descrita no universo das aves”, disse o etólogo Danai Papageorgiou num comunicado do instituto.

Como tal, parece que esta espécie mantém círculos sociais complexos e de vários níveis, apesar de possuir um cérebro bastante pequeno.

“Esta descoberta levanta muitas questões sobre os mecanismos subjacentes às sociedades complexas e abre possibilidades interessantes de explorar o que é que fez essa ave evoluir um sistema social que é, em muitos aspetos, mais comparável a um primata do que a outras aves”, afirma também o etólogo Damien Farine.

Os investigadores observam ainda, no estudo publicado, este mês, na revista científica Current Biology, que as condições ecológicas moldam as interações entre os diferentes grupos desta ave, com maiores reuniões entre grupos observadas durante a abundante estação chuvosa.

“O nosso estudo não afirma que viver numa sociedade complexa não favorece um cérebro grande, antes sugere que podem haver maneiras alternativas e mais simples de alcançar os mesmos resultados sociais”, explicou Farine à Cosmos Magazine.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tweet de Elon Musk afunda Bitcoins (e dá força à criptomoeda que nasceu como meme)

A Tesla vai deixar de aceitar Bitcoins como forma de pagamento. A revelação foi feita por Elon Musk numa publicação no Twitter e levou à queda do valor da criptomoeda no mercado. A par disso, …

Investigadores criam nova solução para óculos de realidade virtual e aumentada

Uma equipa de investigadores criou uma nova tecnologia para fornecer óculos de realidade virtual que não parecem "olhos de inseto". Num novo artigo publicado na Science Advances, os especialistas descrevem a impressão de ótica de forma …

Genética da população portuguesa pode explicar deficiência de vitamina D

Investigadores portugueses concluíram que a população portuguesa tem uma prevalência superior à média europeia de algumas alterações genéticas que levam a uma predisposição para o défice de vitamina D. Este estudo, coordenado pelo Centro Cardiovascular da …

Polónia quer comprar casa de campo francesa (para recuperar o legado de Marie Curie)

A Polónia quer comprar e renovar a casa de campo francesa de Marie Curie e transformá-la num museu, naquele que é um esforço para reivindicá-la como génio científico e pioneira polaca. Embora tenha nascido na Polónia, …

Min Nyo é jornalista, cobriu os protestos em Myanmar e foi condenado a 3 anos de prisão

Min Nyo, um jornalista birmanês de 51 anos, foi condenado a três anos de prisão pela sua cobertura dos protestos na sequência do golpe de Estado em Myanmar. Min Nyo, que trabalhava para a DVB (Voz …

McDonald's e Casa Branca unem-se para sensibilizar população a ser vacinada

Numa parceria com a Casa Branca, a cadeia de fast food norte-americana também está a dar o seu contributo para sensibilizar a população para a vacinação contra a covid-19. A ideia é promover informações relevantes sobre …

Voo "para lado nenhum" esgota em tempo recorde. Bastaram 2,5 minutos

A companhia aérea australiana Qantas vendeu os bilhetes para o próximo "voo para lugar nenhum" em tempo recorde: 2,5 minutos. A Qantas está a promover um novo "voo para lugar nenhum" que dará aos famintos por …

Todos queriam "O Senhor dos Anéis". Mas cinemas chineses foram obrigados a exibir filmes de propaganda

Pequim ordenou que os cinemas chineses divulgassem propaganda em homenagem ao Partido Comunista. Os cinéfilos do país, que clamam pelos filmes de Hollywood, revoltaram-se. A 1 de abril, no dia em que entrou em vigor um …

Presidente da República condecorou Jorge Coelho a título póstumo

Marcelo Rebelo de Sousa condecorou, a título póstumo, o antigo ministro e dirigente socialista Jorge Coelho com a grã-cruz da Ordem do Infante D. Henrique. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou esta quinta-feira, …

Comer caladas, autocarro sem parque, pavilhão sujo: assim foi uma final europeia

Episódios quase inacreditáveis rodearam a final feminina da Taça EHF. O diretor da equipa vencedora conta tudo o que aconteceu (e há muito para contar). O Rincón Fertilidad Málaga conquistou a Taça EHF feminina desta época. …