Pichardo foi recebido em festa e já pensa em repetir o ouro em Paris

Miguel A. Lopes / Lusa

O atleta português, medalha de ouro no triplo salto nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, foi recebido em festa, esta segunda-feira, na sua chegada ao aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Perto de uma centena de pessoas juntou-se no aeroporto Humberto Delgado para ovacionar Pedro Pichardo, que aterrou na capital portuguesa pouco depois das 22h00 desta segunda-feira.

Depois de cruzar a porta das chegadas, descer a rampa, e até entrar na zona destinada à imprensa, o campeão olímpico foi fortemente ovacionado. Antes de responder às perguntas dos jornalistas ouviu o hino nacional, tocado por elementos da Orquestra Sinfónica da PSP.

Pouco emotivo, como é natural nele, Pichardo afirmou ter ficado feliz com esta receção calorosa e surpreendido por ter sido o ‘eleito’ para levar a bandeira lusa na cerimónia de encerramento dos Jogos Olímpicos.

“Foi incrível, uma emoção muito grande ter sido recebido de forma magnífica. A minha única forma de agradecer a forma como este país me tem recebido é trazer medalhas e grandes resultados. Não estava à espera de ser escolhido pelo Comité Olímpico de Portugal para levar a bandeira no encerramento. Foi uma emoção muito grande e uma responsabilidade muito grande para mim também”, disse.

Certo é que o campeão olímpico “não quer ficar por aqui” e tem já em mente os próximos objetivos: continuar a conquistar medalhas e revalidar o título olímpico.

“Vou continuar a trabalhar para conquistar mais medalhas, sejam olímpicas, mundiais ou europeias. Espero bem voltar a ser recebido desta forma daqui três anos. Vou continuar a trabalhar para que isso aconteça“, garantiu.

Na sequência do salto de 17,98 metros, que lhe valeu a medalha de ouro em Tóquio, Pedro Pichardo quis desenganar todos os que pensam que esta marca foi fácil de atingir, contudo, não desiste do foco pessoal.

“Não tem sido nada fácil. Tenho muitos anos a trabalhar para procurar uma boa forma para que pareça fácil. Eu não vou ficar por aqui, vou continuar a trabalhar para atingir mais medalhas e para que nos próximos Jogos Olímpicos aconteça a mesma coisa. A minha única maneira de agradecer a Portugal é trazendo medalhas e conseguindo grandes resultados. É nisso que me foco”, concluiu.

Os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 terminaram este domingo, passando o testemunho a Paris (o evento regressa em 2024, na capital francesa), e nesta edição Portugal teve a sua melhor prestação de sempre.

A Missão de Portugal arrebatou quatro medalhas: a de ouro, de Pichardo, no triplo salto, uma de prata, de Patrícia Mamona, também no triplo salto, e duas de bronze, que pertencem a Jorge Fonseca e a Fernando Pimenta, no judo e na canoagem.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE