Os povos indígenas do Equador estão sob ameaça dos interesses do território em que habitam. Quase metade das reservas equatorianas de petróleo estão debaixo do Parque Nacional Yasuní.

Os interesses dos políticos e dos grandes magnatas é uma força sobrenatural, capaz de derrubar qualquer boa intenção que por vezes possa surgir. Esse é o caso do Parque Nacional Yasuní, no Equador, que tinha como intenção inicial proteger o ambiente e os direitos dos povos indígenas.

Com mais de 10 mil quilómetros quadrados de área, o parque é rico em biodiversidade, mas é também casa para duas tribo indígenas: Tagaeri e Taromenane. Estes dois povos resistiram a todas as tentativas de os integrar na sociedade moderna, mas atravessam agora um desafio como outro nunca antes enfrentado.

O Parque Nacional Yasuní fica por cima de grandes depósitos de petróleo, que segundo o OZY, constituem cerca de 40% das reservas do Equador. Texaco, Petroamazonas, Repsol, Agip e Sinopec são as empresas que constituem o oligopólio que faz a exploração petrolífera em (e ao redor) de Yasuní.

Em 2007, o Governo equatoriano mostrou-se disposto a não avançar com a exploração do petróleo na zona leste do parque. Em troca, pedia 3,6 mil milhões de dólares à comunidade internacional para compensar pelas perdas.

Todos pareciam contentes com a proposta, mas os países que iam doar o dinheiro queriam saber em que é que ele ia ser usado. O então presidente equatoriano, Rafael Correa, recusou-se a responder, alegando que não lhes dizia respeito. Seis anos depois, o plano falhou e os países desistiram da ideia de “indemnizar” o Equador.

Em teoria, o plano tinha tudo para resultar, mas os interesses económicos acabaram por prevalecer. Como consequência, Correa deu luz verde às petrolíferas para começarem a exploração em Yasuní.

Em fevereiro do ano passado, já com o atual presidente Lenín Moreno no cargo, os equatorianos foram convidados a votar num referendo. Este dava-lhes a hipótese de escolher se queriam aumentar a área de Yasuní que ficaria fora dos limites das petrolíferas, impedindo-as de continuar a explorar esse espaço. Dois terços votaram a favor.

No entanto, paralelamente, o Governo aprovou novos planos para aumentar a exploração em outras zonas de Yasuní. “Isto é uma farsa”, acusou Belén Paez, diretor da organização ambiental Fundação Pachamama.

Mas nem tudo é um pesadelo e as comunidades indígenas equatorianas conseguiram algumas vitórias contra a indústria petrolífera.

Os Waorani venceram um processo apresentado contra o Estado do Equador por não terem sido consultados antes de perfurarem as suas terras ancestrais. Esta foi uma decisão histórica, já que pode abrir precedentes para outros casos. “O petróleo é um mineral e sustenta o equilíbrio da Terra. Abaixo dele, os espíritos vivem. A terra tem vida”, disse Manari Ushigua, líder dos Sápara.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O mar interno da misteriosa Encélado "grita" habitabilidade

Uma equipa de especialistas desenvolveu um novo modelo geoquímico que revela que o dióxido de carbono do interior de Encélado, lua de Saturno que abriga um oceano, pode ser controlado através de reações químicas no …

Os Simpsons podem ter previsto o surto do novo coronavírus da China

A série de televisão animada "Os Simpsons" é conhecida por ter feito profecias que, com o passar do tempo, se tornaram mesmo realidade. Agora, os fãs do programa parecem ter encontrado um episódio que prediz …

Identificada nova espécie de dinossauro que viveu há mais de 150 milhões de anos

Paleontólogos identificaram, nos Estados Unidos, uma nova espécie de dinossauro do género dos alossauros, que viveu há mais de 150 milhões de anos. A espécie, que tem o nome de Allosaurus jimmadseni, foi identificada a partir …

Escorpião com 436 milhões de anos foi dos primeiros animais a pisar a Terra

Cientistas descobriram um escorpião com 436 milhões de anos que terá sido um dos primeiros animais da Terra a migrar dos habitats aquáticos para os terrestres. Foram encontrados dois fósseis da espécie num antigo mar tropical …

Bruno de Carvalho disposto a liderar SAD do Sporting com Varandas

O ex-presidente do Sporting admitiu, esta sexta-feira, estar disposto a liderar a SAD do clube, mesmo com Frederico Varandas como presidente. No seu comentário semanal na Rádio Estádio, Bruno de Carvalho disse estar disposto a regressar …

A Inteligência Artificial teria resolvido o mistério da fuga de Alcatraz

Um programa de Inteligência Artificial (IA) poderia ter resolvido o mistério da fuga dos irmãos irmãos John e Clarence Anglin e Frank Morris da prisão de Alcatraz, que foi considerada uma das mais seguras dos …

Mais de 30 militares dos EUA ficaram com lesões cerebrais após ataque iraniano

Mais de 30 militares norte-americanos ficaram com lesões cerebrais traumáticas na sequência do ataque iraniano na base militar de Ain al-Assad, no Iraque. 34 militares norte-americanos ficaram com lesões cerebrais traumáticas na sequência do ataque levado …

Homem que torturou suspeitos de planear o 11 de setembro diz que o voltaria a fazer

James Mitchell torturou os cinco suspeitos de terem planeado o ataque de 11 de setembro de 2001. Em tribunal, disse que não tem remorsos e que o voltaria a fazer. James Mitchell foi o psicólogo responsável …

Belenenses e Belenenses SAD chegam a acordo para suspender ações judiciais

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou, esta sexta-feira, que foi alcançada uma suspensão das ações judiciais entre o Belenenses e a Belenenses SAD. Em comunicado publicado na sua página oficial, a FPF informou que o …

Amazon quer que os clientes paguem com as mãos

A gigante tecnológica Amazon quer que os  clientes comprem e efetuem o pagamento com um aceno da mão em vez de passar um cartão numa máquina. De acordo com o Wall Street Journal, que cita fontes …