As pessoas fazem uma cara feia quando comem limão (e os cientistas desconfiam da razão)

Pegue num limão, descasque-o, coloque a fruta na boca e tente manter uma cara séria. É muito provável que não consiga, e os cientistas desconfiam do porquê.

Não está provado, mas os cientistas sugerem que a resposta envolve três elementos: protões, vitamina C e várias frutas tropicais que os nossos ancestrais comiam quando moravam em árvores.

O sabor que conhecemos como “azedo” tem uma relação direta com a acidez. Em termos químicos, acidez é o seu paladar a dizer que “há muitos protões soltos na sua boca”. Apesar de os protões não serem azedos, os nossos corpos evoluíram ao ponto de interpretar as suas propriedades como sendo azedas, mostra uma recente investigação, publicada na Proceedings of the National Academy of Sciences, em dezembro de 2010.

Para sobreviver, os seres humanos precisam de ingerir ácido ascórbico, também conhecido como vitamina C, que é essencial para manter muitas das nossas células e tecidos a funcionar. Sem vitamina C, os humanos podem ter escorbuto, uma doença potencialmente fatal.

Apesar de a maioria das criaturas conseguirem produzir vitamina C, nós não conseguimos.Há 61 milhões de anos, os genes dos mamíferos responsáveis por codificar a síntese desta vitamina sofreram mutações, de acordo com um estudo de 2011 publicado na revista Genetica.

“Perdemos a capacidade de produzir a nossa própria vitamina C porque estávamos sempre a comer”, explicou Paul Breslin, professor do Departamento de Ciências Nutricionais da Universidade Rutgers, em Nova Jersey, à Live Science. “Comíamos muita fruta de que não sentíamos falta.”

Apesar de as palavras “ácido” e “azedo” não terem uma interpretação propriamente feliz, a verdade é que os seres humanos modernos gostam muito de acidez no contexto certo. Mas se os alimentos azedos são saborosos e bons para nós, porque é que fazemos “cara feia” quando comemos um limão?

“O enrugamento do rosto é uma espécie de resposta de rejeição“, disse Breslin, “ou uma resposta de sinalização para nós mesmos e para os outros”. Apesar de especularem sobre este assunto, os cientistas não sabem ao certo a resposta para esta pergunta.

“A maioria das frutas que comemos não é super azeda”, disse ainda. “As pessoas não se esforçam para morder limões ou limas.” Caso o façam, pelo menos estão livres de contrair escorbuto.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Fantástico, grande coisa. Já a minha avó, há 50 anos atrás, tinha descoberto que as pessoas faziam cara feia ao chupar limão, porque era azedo. Foi quando também descobriu a cara de alegria quando se comia mel, por que, descobriu ela também, era doce e agradável.

  2. Minha mossa!..O que é isso? Essas molecadas conseguindo receber seus ertificados em Ciência correm pesquisarem por que os limões são azedos e por que quando na boca se faz caretas!!! Essa foi demais!!!

  3. Lol “os protões não são azedos mas nós evoluímos para os interpretar como azedos” lol lol lol então como sabemos que não são azedos???? Como alguma coisa não é azeda se todas as pessoas do mundo que a provam dizem que é???? Ai ai…

RESPONDER

Mais de 500 funcionários públicos vão ajudar SNS. Camas de cuidados intensivos podem chegar às 1.000

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou, em entrevista ao Público e à Renascença, que mais de 500 funcionários públicos vão integrar as equipas de rastreio do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Na entrevista conjunta ao …

Erro de fabrico levanta questões sobre vacina de Oxford

A AstraZeneca e a Universidade de Oxford reconheceram esta quarta-feira um erro de fabrico que está a levantar questões sobre os resultados preliminares e a eficácia da sua vacina experimental contra a covid-19. O comunicado, onde …

Partiu o "mais humano dos deuses" quando tentava mudar de vida. 9 ambulâncias socorreram Maradona, mas foi em vão

A Argentina está em choque com a morte de Diego Armando Maradona. O coração de El Pibe não aguentou numa altura em que estava a tentar mudar de vida, com exercícios físicos, dieta e a …

Manter o ar de casa limpo pode reduzir a probabilidade de propagar covid-19

Além das precauções atualmente recomendadas, garantir que o ar em espaços interiores esteja o mais limpo possível também pode ajudar a reduzir a probabilidade de propagar o novo coronavírus. A grande maioria da transmissão do SARS-CoV-2 …

Navio australiano filma meteoro a desintegrar-se no céu da Tasmânia

O navio de pesquisa científica da CSIRO capturou imagens surpreendentes de um meteoro a desintegrar-se no oceano, muito perto da Tasmânia. Na quarta-feira, o navio de pesquisa científica da CSIRO capturou um meteoro a desintegrar-se no …

Afinal, o Espaço não é assim tão escuro. Há brilho de origem desconhecida

Uma equipa de cientistas usou a New Horizons para medir a luminosidade do Espaço profundo e os resultados surpreenderam-na. Há muito tempo que os cientistas tentam perceber qual a luminosidade do Espaço, se lhe retirarmos todas …

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …

Cientistas reconstruiram explosão de Beirute através das redes sociais

Cientistas forenses recorreram a imagens partilhadas nas redes sociais para reconstruirem a explosão de Beirute, em agosto, que matou 191 pessoas. A 4 de agosto, uma série de explosões causadas por 2.750 toneladas de nitrato de …

Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do …