Perdemos 30 minutos de sono por noite. Mas dormir mais ao fim de semana pode não ser a solução ideal

O trabalho pode ser um adversário contra o tempo de sono diário. Um novo estudo mostra que dormimos cerca de 30 minutos a menos do que precisamos por cada noite da semana de trabalho. Talvez por isso a maior parte das pessoas argumente que o fim de semana é a oportunidade perfeita para “recuperar o sono”, mas esta pode não ser a melhor solução para a saúde.

No estudo, publicado a 19 de agosto, foram incluídas 100 pessoas com idades entre 60 e 71 anos, que foram acompanhadas ao longo de dois anos – na sua transição para a reforma. Foi-lhes medido o sono em três momentos diferentes, com um ano de distância, de forma a comparar os hábitos de sono enquanto as pessoas estavam a trabalhar e quando estavam reformadas.

Após a reforma, os participantes mostraram que dormiam todos os dias como se fosse sempre fim de semana, ou seja a duração do sono diário aumentou, o que significa que os reformados dormiam o mesmo tempo todas as noites da semana.

O tempo de sono que as pessoas costumavam ter aos fins de semana, enquanto ainda trabalhavam, correspondia à duração do sono que preferiam ter e não ao sono ideal de “recuperação” que era suposto, explica o Bussiness Insider.

As noites dormidas ao fim de semana não compensam o sono perdido durante a semana de trabalho. Isso significa que os participantes do estudo tiveram privação parcial crónica do sono enquanto trabalhavam, o que corresponde a cerca de 2,5 horas por semana — uma média de meia hora por noite.

Embora seja recomendado que os adultos durmam pelo menos sete horas por noite para serem saudáveis, as necessidades de sono variam entre as pessoas. A verdade é que alguns estudos indicam que é fundamental dormir menos quando se é mais velho do que quando se é mais jovem.

As pessoas são diferentes e por isso têm necessidades distintas, o que torna difícil decidir o que constitui “pouco” tempo para o sono de qualquer indivíduo. Porém outros estudos descobriram que dormir apenas seis a sete horas afeta a atenção e o tempo de reação negativamente, por isso o tempo ideal de sono será de oito a nove horas.

A privação parcial do sono como resultado do trabalho pode durar anos, razão pela qual os efeitos acumulados devem ser considerados. Dormir menos de sete horas regularmente está relacionado com o aumento do risco de várias doenças, como a diabetes, AVC e depressão.

Ir para a cama a tempo de dormir horas suficientes e ainda acordar para ir trabalhar nem sempre é fácil, sobretudo para a maioria da população, que tem o “relógio biológico” atrasado. Isso significa que estas pessoas preferem dormir mais tarde e acordar mais tarde do que as pessoas com um relógio biológico adiantado.

Pessoas com um relógio biológico atrasado têm tendência a adiar a hora de ir dormir e têm dificuldade em acordar ao fim de semana. Quando o relógio biológico não está sincronizado com o relógio social, o horário imposto pela sociedade, pode ocorrer um “jetlag social”.

Embora os padrões de sono se tornem mais estáveis ​​após a idade da reforma, as pessoas ainda vão para a cama e acordam cerca de meia hora depois aos fins de semana, em comparação com os dias de semana. Isso pode dever-se a fatores sociais – como visitar amigos ou ir a festas.

Outra conclusão do estudo mostra que os participantes reformados com um parceiro que ainda está a trabalhar em tempo integral, mudaram menos o seu tempo de sono do que os demais, destacando que o sono é social, e não um fenómeno puramente individual.

Ainda assim, há algumas coisas que podem ser feitas para ajustar os padrões de sono ao trabalho, e evitar o “jetlag social” que teima em surgir à segunda-feira de manhã. A luz da manhã atrasa o relógio biológico, tornando mais fácil adormecer à noite.

Também ajuda priorizar o sono e manter uma rotina de sono mais regular, mesmo nos fins de semana. É possível estar um tempo extra na cama nas manhãs de fim de semana, mas deve-se evitar perder muito tempo a dormir, pois assim é mais difícil entrar num ciclo vicioso de perda de sono.

O estudo sugere assim que o trabalho faz com que as pessoas percam horas de sono e impede-as de dormir de acordo com o seu ritmo natural, mas tentar recuperar o tempo perdido ao fim de semana pode descontrolar totalmente o nosso relógio biológico.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas descobrem como é que o cérebro nos faz espirrar

Uma equipa de cientistas da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, identificou, em ratos de laboratório, células e proteínas específicas que controlam o reflexo do espirro. "Compreender melhor o que nos faz espirrar - de que …

Casa Branca prevê falha na meta de vacinação de 70% da população até 4 de Julho

A previsão foi avançada esta terça-feira por Jeff Zients, coordenador da resposta norte-americana à pandemia do novo coronavírus. O atraso, ainda que residual, representa um percalço no plano inicialmente proposto pela Administração Biden e justifica-se, …

Revelados segredos da invasão da malária

Como é que os parasitas da malária invadem os glóbulos vermelhos? A microscopia de vídeo de última geração permitiu à equipa do WEHI, na Austrália, ver estes detalhes moleculares essenciais para tratar a doença. Kelly Rogers, …

E agora, Portugal? Depois do Grupo da Morte... Bélgica, Itália, França e Espanha no quadro

Teoricamente, desta vez a seleção nacional ficou claramente do lado mais forte na fase a eliminar do Europeu. Haverá um "escaldante" Inglaterra-Alemanha nos oitavos-de-final. Muitos adeptos portugueses ainda se lembram do golo tardio, noutro jogo, que …

Parlamento Europeu aprova novo estatuto do Provedor de Justiça

O Parlamento Europeu aprovou o novo estatuto do Provedor de Justiça Europeu que vai passar a trabalhar com novas regras, podendo avançar com os próprios inquéritos, prevendo-se também no novo regulamento medidas de proteção para …

Fernando Santos: "Estava a dizer à equipa para se chegar à frente"

Explicação do selecionador nacional, que esteve muito agitado durante os últimos minutos do Portugal-França. Uma primeira parte "excelente" e uma decisão duvidosa da equipa de arbitragem que alterou o resultado perto do intervalo. Fernando Santos começou …

Alemanha 2-2 Hungria | Goretzka salva germânicos no fim

Uma Alemanha impiedosa ao atrevimento da Hungria rendeu hoje um empate a duas bolas, selando a qualificação germânica para os ‘oitavos’ do Euro2020 e a despedida dos magiares no quarto e último lugar do Grupo …

Quase 900 funcionários dos Serviços Secretos dos EUA contraíram covid-19

Aproximadamente 900 funcionários dos Serviços Secretos dos Estados Unidos (EUA) testaram positivo para o coronavírus, de acordo com registos do governo obtidos por um grupo de vigilância. De acordo com os registos, obtidos pela Citizens for …

Portugal 2-2 França | Jogo louco vale empate com sabor a oitavos

A seleção portuguesa de futebol qualificou-se hoje para os oitavos de final do Euro2020, ao empatar 2-2 com a campeã mundial França, em encontro da terceira jornada do Grupo F do Euro2020, na Puskás Arena, …

Em 2020, mais de 8.500 crianças foram usadas como soldados

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), no ano passado, mais de 8.500 crianças foram usadas como soldados e quase 2.700 foram mortas devido à proximidade com vários conflitos existentes em todo o …