Há um pequeno satélite a revolucionar o setor espacial. Chama-se CubeSat

NASA Ames

CubeSat

Apesar das pequenas dimensões do CubeSat, o satélite é capaz de efeitos extraordinários que estão a revolucionar o setor espacial.

Os avanços da microeletrónica das últimas décadas permitiram desenvolver sistemas espaciais eficazes, de forma mais rápida e com menos custos. Um três em um que está a revolucionar o setor espacial.

A nova classe de satélites pequenos (mini-satélites, micro-satélites, nano-satélites, pico-satélites, etc) nasceu e permitiu alargar o acesso ao Espaço para novos mercados e indústrias, impulsionando também o investimento do setor privado.

O acesso ao Espaço ficou restrito, por mais de 50 anos, a nações e corporações com elevado poder financeiro e tecnológico, mas tudo mudou em 1999, aquando do desenvolvimento do CubeSat – o primeiro “standard” de satélite, aceite universalmente

Segundo o canal Bit2geek, citado pelo Sapo 24, cada unidade de CubeSat (1U) representa um cubo padrão de 10 cm de lado e cerca de 1,3 kg de massa. Estas unidades podem ser combinadas de maneira a formar sistemas maiores e mais capazes (2U, 3U, 6U, 12U).

Além disso, foi também padronizado um sistema para lançamento destes CubeSats. O P-POD (“Poly Picosatellite Orbital Deployer”) é um contentor capaz de transportar unidades de CubeSats dentro de foguetões.

Como a maior parte dos foguetões tem excesso de capacidade, é possível levar estes CubeSat à boleia de outros satélites científicos ou comerciais de maiores dimensões. No Espaço, os P-PODs lançam os CubeSats em órbitas específicas. Isto traduz-se numa redução considerável de custos de lançamento.

No início, os CubeSats foram concebidos com o objetivo de se tornarem uma ferramenta educacional para estudantes de engenharia, mas esse paradigma mudou, transformando-se num dos pilares em aplicações comerciais espaciais e em plataformas de demonstração tecnológica da comunidade científica.

Graças aos baixos custos e rapidez do processo de desenvolvimento, estes pequenos satélites têm ainda a capacidade de formar grandes constelações de satélites com um potencial para atingir desempenho comparável ou maior do que os satélites tradicionais. Além disso, revelam também um enorme potencial para comunicações e tecnologia 5G.

As áreas de intervenção vão da agricultura às pescas, monitorização de infraestruturas ou até desenvolvimento urbano, defesa e segurança.

Atualmente, Portugal encontra-se a desenvolver capacidades que permitam entrar na nova corrida espacial. Para muito breve, está prevista a construção de uma plataforma de lançamento de foguetes nos Açores, que permitirá lançar estes pequenos satélites para o Espaço.

Além disso, planeia-se construir uma constelação de nano e micro-satélites para monitorização e desenvolvimento da área atlântica – o projeto Infante – que será o primeiro satélite 100% português a ser desenvolvido com iniciativa de várias empresas e entidades portuguesas, cofinanciado por fundos comunitários.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Onde está “Um três em um que…” é difícil de perceber à primeira o que significa, até parecendo que alguém se enganou a escrever. Se colocarem “Um 3 em 1 que…” fica muito mais claro.

RESPONDER

Homicídio com 32 anos resolvido com a menor amostra de ADN de sempre

Um caso de homicídio ocorrido há 32 anos, que muitos consideraram impossível de ser resolvido, foi finalmente desvendado (e tudo graças à amostra de ADN mais pequena de sempre usada para decifrar um caso). De acordo …

Braços robóticos controlados remotamente podem vir a realizar cirurgias delicadas

Um equipa de investigadores está a trabalhar para eliminar movimentos rígidos nos braços robóticos, de modo a torná-los mais ágeis. O objetivo é que no futuro estes possam empilhar pratos ou até realizar cirurgias delicadas. Os …

Alemão foi forçado a remover estátua do pai por esta se parecer com Hitler

Um alemão foi obrigado a retirar uma figura de madeira de um cemitério, que seria para homenagear o seu falecido pai, por ter semelhanças com o antigo ditador nazi. As autoridades do município de Weil im …

Podcast evita morte de um condenado (seis vezes)

Curtis Flowers foi julgado seis vezes pelo mesmo promotor de justiça. Um programa de investigação mudou o seu destino. O promotor continua a acreditar que Curtis é culpado. A própria equipa responsável pelo 60 Minutes, programa …

EUA venderam álbum único dos Wu-Tang Clan (que pertencia a Martin Shkreli)

O álbum do grupo Wu-Tang Clan, confiscado em 2018 ao antigo gestor de fundos Martin Shkreli, também conhecido como "o empresário mais odiado do mundo", foi agora vendido pelo Governo norte-americano. Num comunicado divulgado esta terça-feira, …

Bezos ofereceu 1,7 mil milhões de euros à NASA para entrar na corrida da próxima viagem à Lua

O empresário norte-americano ofereceu 1,7 mil milhões de euros à NASA numa tentativa de reacender a batalha espacial entre a sua empresa, a Blue Origin, e a do "rival" Elon Musk, a SpaceX. De acordo com …

Clientes com certificado digital válido impedidos de entrar em restaurantes

Estão a ser reportados vários casos de clientes que, ao apresentarem o certificado digital para poderem entrar num restaurante, não conseguem fazê-lo porque o documento está a ser considerado inválido pelos dispositivos eletrónicos. Segundo a rádio …

Covid-19 trouxe "paranoia" ao mercado

Diretor do Norwich City, da Premier League, acha que os responsáveis por alguns clubes não sabem bem o que estão a fazer nos últimos tempos. O Norwich City iria jogar contra o Coventry City, num encontro …

Israel cria "task force" para reverter boicote da Ben & Jerry's na Cisjordânia

Israel criou uma task force para pressionar a empresa de gelados norte-americana Ben & Jerry's e a sua proprietária, Unilever, a reverterem a decisão de boicotar a ocupação israelita na Cisjordânia. "Precisamos de aproveitar os 18 …

Violência armada. 430 mortos na última semana nos EUA e 2021 pode ser dos piores anos de sempre

Só na semana passada registaram-se cerca de 430 mortos e mais de 1000 feridos associados a tiroteios, num ano que está a ser marcado pelo aumento da violência armada nos Estados Unidos. O ano passado foi …