Há um pequeno satélite a revolucionar o setor espacial. Chama-se CubeSat

NASA Ames

CubeSat

Apesar das pequenas dimensões do CubeSat, o satélite é capaz de efeitos extraordinários que estão a revolucionar o setor espacial.

Os avanços da microeletrónica das últimas décadas permitiram desenvolver sistemas espaciais eficazes, de forma mais rápida e com menos custos. Um três em um que está a revolucionar o setor espacial.

A nova classe de satélites pequenos (mini-satélites, micro-satélites, nano-satélites, pico-satélites, etc) nasceu e permitiu alargar o acesso ao Espaço para novos mercados e indústrias, impulsionando também o investimento do setor privado.

O acesso ao Espaço ficou restrito, por mais de 50 anos, a nações e corporações com elevado poder financeiro e tecnológico, mas tudo mudou em 1999, aquando do desenvolvimento do CubeSat – o primeiro “standard” de satélite, aceite universalmente

Segundo o canal Bit2geek, citado pelo Sapo 24, cada unidade de CubeSat (1U) representa um cubo padrão de 10 cm de lado e cerca de 1,3 kg de massa. Estas unidades podem ser combinadas de maneira a formar sistemas maiores e mais capazes (2U, 3U, 6U, 12U).

Além disso, foi também padronizado um sistema para lançamento destes CubeSats. O P-POD (“Poly Picosatellite Orbital Deployer”) é um contentor capaz de transportar unidades de CubeSats dentro de foguetões.

Como a maior parte dos foguetões tem excesso de capacidade, é possível levar estes CubeSat à boleia de outros satélites científicos ou comerciais de maiores dimensões. No Espaço, os P-PODs lançam os CubeSats em órbitas específicas. Isto traduz-se numa redução considerável de custos de lançamento.

No início, os CubeSats foram concebidos com o objetivo de se tornarem uma ferramenta educacional para estudantes de engenharia, mas esse paradigma mudou, transformando-se num dos pilares em aplicações comerciais espaciais e em plataformas de demonstração tecnológica da comunidade científica.

Graças aos baixos custos e rapidez do processo de desenvolvimento, estes pequenos satélites têm ainda a capacidade de formar grandes constelações de satélites com um potencial para atingir desempenho comparável ou maior do que os satélites tradicionais. Além disso, revelam também um enorme potencial para comunicações e tecnologia 5G.

As áreas de intervenção vão da agricultura às pescas, monitorização de infraestruturas ou até desenvolvimento urbano, defesa e segurança.

Atualmente, Portugal encontra-se a desenvolver capacidades que permitam entrar na nova corrida espacial. Para muito breve, está prevista a construção de uma plataforma de lançamento de foguetes nos Açores, que permitirá lançar estes pequenos satélites para o Espaço.

Além disso, planeia-se construir uma constelação de nano e micro-satélites para monitorização e desenvolvimento da área atlântica – o projeto Infante – que será o primeiro satélite 100% português a ser desenvolvido com iniciativa de várias empresas e entidades portuguesas, cofinanciado por fundos comunitários.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Onde está “Um três em um que…” é difícil de perceber à primeira o que significa, até parecendo que alguém se enganou a escrever. Se colocarem “Um 3 em 1 que…” fica muito mais claro.

RESPONDER

Parlamento tem dois deputados infetados, um inconclusivo e quatro isolados

O parlamento informou esta terça-feira ter sido notificado da existência de dois deputados com teste positivo ao novo coronavírus, um com teste inconclusivo, que será repetido, e ainda outros quatro em isolamento profilático por determinação …

Proibição de circulação. Governo rejeita ter "vários pesos e várias medidas"

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, rejeitou esta terça-feira que o Governo tenha “vários pesos e várias medidas” tendo em conta as exceções à circulação dos cidadãos entre concelhos entre 30 de outubro e …

Pfizer pode ter vacina ainda neste ano. Guterres exige que esteja “disponível e acessível” para todos

A farmacêutica Pfizer está otimista em relação à perspetiva de fornecer uma vacina contra a covid-19 ainda em 2020. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, exigiu que esteja “disponível” e “acessível” para todos. Albert Bourla, …

Nem um carro consegue esmagar este besouro indestrutível

O diabólico besouro de ferro tem um dos mais resistentes exoesqueletos naturais. A forma como este animal consegue sobreviver pode inspirar o desenvolvimento de novos materiais com a mesma dureza. Engenheiros da Universidade da Califórnia e …

OSIRIS-REx recolheu demasiadas amostras do Bennu (e está a perder parte delas)

A NASA revelou que a sonda OSIRIS-REx conseguiu recolher uma grande amostra de partículas do asteróide Bennu - tanto material que fez com que a tampa do compartimento não fechasse corretamente. Na semana passada, a sonda …

Cientistas captam atmosfera de um extraordinário exoplaneta que não deveria existir

Uma equipa de cientistas da Universidade do Kansas, nos Estados Unidos, captou a atmosfera de um exoplaneta "que não deveria existir" ao analisar dados do telescópio TESS da agência espacial norte-americana (NASA). O planeta em causa …

Refrigerantes light causam o mesmo risco de doenças cardíacas que bebidas normais

Um novo estudo da Universidade Sorbonne, em Paris, descobriu que bebidas adoçadas artificialmente - como as light, diet e zero - podem ser tão prejudiciais para o coração quanto os refrigerantes normais. Os investigadores, que acompanharam …

“Monstro patológico”. Documento revela que Henrique VIII planeou decapitação de Ana Bolena

Uma equipa de investigadores encontrou um livro que contém instruções específicas do rei Henrique VIII que mostram que o monarca queria que a sua segunda esposa, Ana Bolena, fosse executada. Neste documento, o rei Henrique VIII …

Robô humanóide sem cabeça empilha e carrega caixas (e já está à venda)

A fabricante de robôs Agility construiu um robô humanóide bípede chamado Digit, que consegue carregar caixas e que está a ser vendido por 250 mil dólares. De acordo com o TechXplore, o robô Digit foi projetado …

Porto 2-0 Olympiacos | Chama do “dragão” trava gregos

O FC Porto venceu na noite desta terça-feira o Olympiacos por 2-0, numa partida relativa à segunda jornada do Grupo C da Liga dos Campeões, sob o olhar dos cerca de 3750 adeptos que se …