Paulo Trigo Pereira rompe com o PS mas continua no Parlamento

Grupo Parlamentar do Partido Socialista / Facebook

Paulo Trigo Pereira sai da bancada do PS

O professor universitário Paulo Trigo Pereira confirmou esta sexta-feira à agência Lusa que passará à condição de deputado não-inscrito desvinculado do grupo parlamentar do PS, bancada que integra desde as eleições legislativas de 2015.

Paulo Trigo Pereira, de 59 anos, estava integrado no grupo parlamentar do PS como deputado independente e era o parlamentar que mais vezes votou desalinhado das posições oficiais da direção da bancada. O especialista em Economia e professor catedrático foi eleito nas legislativas de 2015 pelo círculo eleitoral de Setúbal.

“O deputado Paulo Trigo Pereira, ao contrário de outros deputados que também não são membros do PS, nunca se sentiu bem com os condicionamentos próprios que resultam de integrar um grupo. Creio que se sente mais confortável assim, pelo que respeitamos a sua decisão”, disse à Lusa fonte do grupo parlamentar do PS.

A notícia de que Paulo Trigo Pereira irá sair da bancada do PS foi avançada pelo Público. Trigo Pereira queixa-se de uma atitude “paternalista” do Governo e de ter sido afastado nos mais importantes debates sobre finanças.

Estas críticas constam de um comunicado de Paulo Trigo Pereira, no qual também salienta que deixou as suas funções de vice-presidente da Comissão de Orçamento e Finanças da Assembleia da República.

“Acontece que, particularmente nos últimos dois anos, a atitude do Governo perante o Grupo Parlamentar do PS tornou-se mais paternalista (vidé todo o processo de descentralização) e os meus votos desalinhados, mas justificados em declarações, levaram a um afastamento mútuo entre mim e a direção” da bancada socialista, justifica.

No texto, Paulo Trigo Pereira queixa-se da atuação da direção do Grupo Parlamentar do PS em relação a si em debates como o do Programa de Estabilidade ou o Orçamento do Estado para 2019 (OE2019).

“Quando a direção do Grupo Parlamentar do PS não dá a palavra em plenário ao seu vice-presidente da Comissão de Orçamento e Finanças nos debates mais importantes sobre finanças públicas (OE2019 e Programa de Estabilidade), como aconteceu este ano, e não esclarece porque é que certas propostas de alteração ao Orçamento são rejeitadas, está esclarecido o lugar que a direção da bancada atribui ao seu vice-presidente”, refere no comunicado.

Paulo Trigo Pereira diz que, nos últimos três anos, assumiu “completamente a exclusividade” do seu mandato, considerando que pretendia dar o que sabia, quer no Grupo Parlamentar do PS, quer na Comissão de Orçamento e Finanças, quer, ainda, na comissão da transparência.

“Dediquei-me na medida das possibilidades a Setúbal, círculo por onde fui eleito, e não tive tempo para a Comissão de Assuntos Europeus (onde sou suplente). Cumpri e continuarei a cumprir, escrupulosamente, a disciplina de voto e o compromisso ético que subscrevi antes de ser eleito como deputado independente nas listas do PS”, destaca.

O agora deputado não inscrito advoga que nunca ambicionou um cargo político com a sua entrada na Assembleia da República, que classifica como “acidental”.

“Como é sabido, tudo começou pelo convite do PS para integrar o grupo de economistas coordenado por Mário Centeno para prepararmos o cenário macroeconómico, que entregámos em Abril de 2015 e que enquadrou a parte orçamental do programa eleitoral do PS. Mais tarde, [o secretário-geral do PS] António Costa convidou alguns dos elementos independentes desse grupo (Centeno, Caldeira Cabral e eu próprio) para integrarmos a lista de deputados”, conta.

No entanto, face a tudo o que se passou nos últimos dois anos, Paulo Trigo Pereira concluiu que não lhe restava outra opção que não demitir-se da vice-presidência da Comissão de Orçamento, sair da bancada socialista e tornar-se deputado não inscrito.

“Neste sentido, comuniquei a decisão ao secretário-geral do PS, António Costa, ao presidente do Grupo Parlamentar, Carlos César, e entreguei uma carta para o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, no sentido de dar início ao processo de saída do Grupo Parlamentar do PS e à transição para deputado não inscrito”, acrescenta no mesmo comunicado.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ainda há pessoas em Portugal que se prezam por ter ideias próprias, a maior parte delas não estão filiadas em partidos nem próximo. Em França, muitos destes, vestiram coletes amarelos… Aqui em Portugal, viram a cara para o lado, quando não concordam com qualquer coisa… Até um dia, né, Antonio “Macron” Costa ou deveria dizer Maçon….. :):):):):):):):):):)

RESPONDER

Ventura em operação de charme no Porto depois de um atraso muito criticado no Parlamento

O deputado André Ventura, eleito pelo Chega, tem agendada para este sábado uma verdadeira operação de charme no Porto, com encontros com o presidente da Associação Comercial do Porto e com apoiantes do partido. Iniciativas …

Assistente social acusada de maltratar 14 crianças em centro de acolhimento

O Ministério Público (MP) acusa uma mulher de 46 anos, que era assistente social e diretora técnica de um centro de acolhimento na Maia, no distrito do Porto, de maltratar 14 crianças nesta instituição. De …

Marcelo não vê razão de preocupação com empresas portuguesas de Isabel dos Santos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta sexta-feira ter sinais de que não há razão para preocupação nos setores económicos e empresas portuguesas nas quais a Isabel dos Santos está a vender …

Mina de lítio em Montalegre. "Impactes negativos minimizáveis” e 370 empregos

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da concessão de exploração de lítio, em Montalegre, conclui que o projeto possui “impactes negativos” que, no entanto, “não são significativos”, “são minimizáveis” e de “abrangência local”. O EIA do …

Cristas faz o mea culpa e abandona o congresso. Corrida à sucessão faz-se a cinco

O 28.º congresso nacional do CDS arrancou este no Parque de Feiras e Exposições de Aveiro com o discurso da líder demissionária Assunção Cristas, que fez uma espécie de mea culpa e agradeceu aos centristas …

Sérgio Conceição sai do FC Porto no fim da época

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, deixará o comando dos dragões no final da temporada. A derrota em casa com o Braga terá ditado a saída do técnico azul e branco. O técnico do FC …

Joacine quer mais direitos para deputados sem partido. "Está a antecipar" o futuro

A deputada Joacine Katar Moreira, do partido Livre, defendeu esta sexta-feira o alargamento dos direitos regimentais dos deputados não inscritos em partidos. A deputada única do Livre assumiu esta posição no final de uma reunião do …

França confirma 3 casos de coronavírus chinês. Já chegou à Austrália e Malásia

Depois de França ter confirmado três pessoas infetadas com o novo coronavírus oriundo da China, também a Austrália e Malásia reportaram casos. As autoridades da Malásia anunciaram este sábado terem registado os primeiros três casos de …

Amadora. Agredido motorista de autocarro que denunciou Cláudia Simões

Foi agredido o motorista de autocarro que chamou a PSP para denunciar a passageira Cláudia Simões, que alegou posteriormente ter sido agredida pelos agentes da polícia. As agressões tiveram lugar na noite desta sexta-feira, em …

"Dos 4 mil euros que ganho, 3 mil vão para os frades". O padre Vítor Melícias recusa que Tomás Correia ainda controle o Montepio

O padre Vítor Melícias, presidente da Assembleia Geral do Montepio, diz que Tomás Correia "faz falta, mas fez muito bem" em abandonar a liderança da mutualista Montepio. "Dizer que Tomás Correia continua a controlar através …