Partidos querem passar a pente fino passado dos candidatos

Mário Cruz / Lusa

Passar a pente fino as vidas dos políticos e candidatos, no passado, é uma forma de os partidos se defenderem de posteriores casos de conflitos de interesses. Mas, para já, nenhum dos principais partidos tem um método para conhecer o passado dos seus candidatos. PSD e Bloco de Esquerda querem ter.

Em Espanha, o Ciudadanos contratou uma “agência de inteligência privada” para investigar o passado dos seus candidatos. Já nos Estados Unidos, Barack Obama obrigada os nomeados a responder a um inquérito com 63 perguntas. Em França, Emmanuel Macron tem uma equipa que faz a verificação curricular de todos os possíveis membros.

No entanto, em Portugal, nenhum dos partidos parlamentares faz nada de parecido, adianta o Diário de Notícias na edição deste domingo.

Nuno Garoupa, professor na George Mason University, diz que a ausência de um sistema de “controlo” é uma falha e adianta que é “absolutamente inexplicável que não seja feito” qualquer escrutínio dos candidatos. Luís de Sousa, investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, concorda e refere que a verificação do percurso passado de deputados, ministros, autarcas e nomeados para cargos públicos “é uma boa medida”.

O jornal avança que, no nosso país, nenhum dos principais partidos procura saber se os seus candidatos possuem ligações empresariais que, no futuro, possam originar conflitos de interesses com as suas funções públicas ou se tomaram posições políticas contrárias às que devem defender.

Só o PSD e o Bloco de Esquerda mostram vontade de escrutinar os seus candidatos e ambos os partidos garantem estar a estudar processos de verificação internos que possam funcionar no futuro. Rui Rio e Catarina Martins estão em sintonia e concordam que esta deve ser uma medida a considerar nos seus partidos.

Dramas que envolvem o passado dos políticos parecem ser um feitio do sistema. “Temos escândalos ao mais alto nível de licenciaturas falsas, obrigações fiscais ou para a Segurança Social incumpridas, ligações perigosas…”, exemplifica Nuno Garoupa. Mas os escândalos não ficam por aqui.

Temos, inclusivamente, casos mais complexos como os contratos entre empresas de militantes do PSD com juntas de freguesia geridas pelo partido, que o Ministério Público investiga na Operação Tutti Frutti, por exemplo. Ou então histórias como a dos investimentos imobiliários de Ricardo Robles ou a licenciatura de Sócrates.

No entanto, adianta o DN, nem ao nível mais alto do Estado parece haver preocupação em verificar o passado dos nomeados. Todos estes casos fariam soar o alerta interno, se os partidos dispusessem de regras para avaliar os seus candidatos. Algo que, para já, não acontece.

Para não sofrerem danos reputacionais, os partidos deviam fazer um escrutínio intenso do passado dos candidatos, anterior às nomeações”, conclui Luís de Sousa.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. que giro ! se houver alguem a fazer um trabalho serio e tornar publico ! nem temos policia suficiente para investigar tanta trafulhice ,o circo a pegar fogo ;- )

  2. Com as eleições à porta, inventa-se tudo para uma lavagem de cérebro aos eleitores. Mas alguém de bom senso, acredita que os partidos de facto vão fazer alguma coisa nesse sentido.

RESPONDER

Pfizer diz que vacina é "segura" para crianças dos cinco aos 11 anos

A Pfizer/BioNTech anunciaram, esta segunda-feira, que a vacina é segura e parece gerar uma resposta imunitária robusta nas crianças dos cinco aos 11 anos. Depois de um estudo com 2.268 participantes, a Pfizer/BioNTech anunciaram que a …

PS e CDS na Madeira desencontrados, PSD e Bloco continuam no Norte

No arranque da segunda semana de campanha para as autárquicas, os líderes do PS e do CDS-PP apostam na Madeira mas com horários desencontrados, enquanto BE e PSD continuam a norte, e PAN e PCP …

Confronto entre EUA e China é "perigoso para o mundo", alerta Guterres

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou no domingo que um confronto entre os Estados Unidos (EUA) e a China é "perigoso para o mundo" e que, apesar das diferenças, há áreas onde …

Portugal recebeu no domingo grupo de 80 afegãos

Portugal recebeu no domingo 80 afegãos, na maioria atletas da equipa de futebol feminino e seus agregados familiares, elevando para 178 o total de cidadãos acolhidos após a emergência humanitária no Afeganistão, anunciou esta segunda-feira …

Inspeção obrigatória das motas começa em janeiro de 2022

Quase dez anos depois de a medida ter sido aprovada pelo Governo, a inspeção obrigatória de motas com mais de 125 cc vai arrancar em janeiro de 2022. Jorge Delgado, secretário de Estado das Infraestruturas, referiu …

André Ventura - Chega

Ventura diz que PSD está "igual" ao PS - e desafia Rio a justificar atraso no interior

O líder do Chega, André Ventura, manifestou-se hoje preocupado com o panorama político à direita, observando que o PSD está “igual” ao PS e acusando ambos os partidos de terem abandonado o interior do país. “Estou …

Sem Cristiano, o que se passa com a Juventus?

Nenhum triunfo em quatro jornadas do campeonato. Não acontecia há 60 anos. E o problema maior não estará no ataque, apesar da saída de Cristiano Ronaldo. Estreia na temporada: 2-2 no terreno da Udinese. Receber o …

Pacto AUKUS. Nova aliança dos EUA na Ásia-Pacífico pode levar a "corrida às armas nucleares"

A nova aliança dos Estados Unidos (EUA) na região da Ásia-Pacífico e a recente compra de submarinos norte-americanos por parte da Austrália pode desencadear uma "corrida às armas nucleares" na região, avisou esta segunda-feira a …

Costa foi omnipresente, agradeceu a regueifa e recarregou a "bazuca" como arma política

António Costa correu oito concelhos do Norte, em missão de campanha eleitoral. A "bazuca" europeia é usada como arma política, assim como a gestão da pandemia. A pandemia era um ponto de inflexão para as eleições …

"Queremos justiça", exigem famílias de vítimas do ataque em Cabul. CIA alertou para a presença de civis

A família das 10 vítimas mortais do ataque com drone dos EUA a um veículo em Cabul exigem que os operadores sejam julgados em tribunal. A CIA terá alertado para a presença de civis segundos …