Bolsonaro pagou à Google (236 euros) para divulgar conteúdos

Fernando Frazão / Agencia Brasil

Jair Bolsonaro

A Google informou esta segunda-feira o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o Partido Social Liberal, do recém-eleito presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, pagou cerca de 236 euros pela disseminação de conteúdos na Internet.

A Google foi a única empresa a relatar, até ao momento, o pagamento pela difusão em massa de conteúdos online relativos à campanha eleitoral do político da extrema-direita.

O Instagram, o Twitter e o Facebook negaram que Jair Bolsonaro tivesse pago pela divulgação em massa de conteúdos na Internet através desta rede social. A resposta das empresas em causa foi dada ao juiz relator Luís Roberto Barroso, responsável pela prestação de contas da campanha de Bolsonaro.

Luís Roberto Barroso determinou, na passada quinta-feira, que os gigantes da Internet WhatsApp, Facebook, Twitter, Instagram e Google respondessem, num prazo de três dias, se houve ou não contratação de divulgação de informação em massa a favor do candidato durante as eleições, seja pelo próprio ou por terceiros.

O Twitter afirmou que “averiguou internamente e foi constatado que as contas verificadas do candidato Jair Messias Bolsonaro e do partido político Partido Social Liberal (PSL) não contrataram” a disseminação “de qualquer conteúdo, seja este eleitoral ou não”, declarou a empresa. A rede social disse ainda que não permite anúncios de campanha eleitoral no Brasil e noutros três países, Marrocos, Paquistão e Coreia do Sul.

Também o Facebook informou que a página e as contas oficiais do futuro chefe de Estado do Brasil divulgadas pelo TSE não contrataram a disseminação “de conteúdos no período entre 16 de agosto de 2018 e 28 de outubro de 2018″.

No entanto, o Facebook adiantou estar disponível para investigar outras páginas e contas que não tenham sido registadas no TSE, “mediante a indicação dos url correspondentes, nos moldes da legislação vigente”.

As eleições presidenciais, que culminaram no dia 28 de outubro com a escolha de Bolsonaro para a presidência do Brasil, foram o primeiro sufrágio com autorização para divulgação de conteúdo nas redes sociais. No entanto, como regra, teria de ser identificado de forma inequívoca e contratado, exclusivamente, por partidos políticos, coligações, candidatos ou representantes.

A 18 de outubro foi revelado um suposto esquema ilícito que envolvia Jair Bolsonaro e empresários que teriam alegadamente patrocinado a divulgação de mensagens falsas pela rede social WhatsApp.

A prática, em tese, pode ser ilegal, caso seja considerada pela Justiça doação para campanha feita por empresas. Desde 2015, as empresas estão proibidas de doar dinheiro às campanhas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …

Depois das máscaras e do gel, procura por acrílico dispara

À semelhança do que aconteceu com as máscaras de proteção e com o álcool-gel, a procura mundial por acrílico está a aumentar. Primeiro foram as máscaras e o desinfetante em gel, mas agora há um novo …

Real Madrid não volta ao Santiago Bernabéu até final da temporada

O Real Madrid vai disputar os restantes jogos da Liga espanhola de futebol na condição de visitado no estádio Alfredo di Stéfano, no centro de treinos merengue. Segundo a agência EFE, Florentino Pérez enviou uma carta …

Metade das empresas que aderiram ao teletrabalho tenciona mantê-lo

A pandemia veio mudar a forma como trabalhamos. Quase metade das empresas que aderiram ao teletrabalho tenciona manter a atividade, ou parte dela, em regime de trabalho remoto.  De acordo com um inquérito da CIP - …

"Muitos de vocês são fracos". Trump critica ação dos governadores durante protestos

O Presidente dos Estados Unidos ridicularizou alguns governadores estaduais por serem "fracos" e exigiu-lhes que tomem medidas duras contra os manifestantes, após mais uma noite de violência em diversas cidades. Donald Trump conversou com os governadores, …

O vírus "não desapareceu". DGS apela para responsabilidade dos adeptos de futebol

Graça Freitas apelou aos adeptos de futebol para que respeitem as regras da Direção-Geral da Saúde, sublinhando que não podem existir ajuntamentos junto aos estádios e concentrações de pessoas em cafés ou em outros locais. Durante …

PSD junta-se ao Bloco e PCP e pede apreciação parlamentar do decreto das PPP na Saúde

O PSD pediu a apreciação parlamentar do decreto-lei que regulamenta a criação de parcerias público-privadas (PPP) na Saúde. O maior partido da oposição junta-se assim ao Bloco de Esquerda e PCP, embora com motivos diferentes. Os sociais-democratas …

Reembolsos de IRS estão a ser "indevidamente retidos", denuncia Provedora de Justiça

Maria Lúcia Amaral escreveu ao secretário de Estado dos Assuntos Fiscais para pedir a correção de erros, lembrando que o reembolso é uma ajuda preciosa para muitas famílias, nomeadamente nesta altura. A Provedora de Justiça, Maria …

Rússia quer exportar antiviral que diz ser eficaz em 90% dos casos

O antiviral Afivavir mostrou ser eficaz no combate ao novo coronavírus em 90% dos casos, mas não estará à venda em farmácias. A Rússia planeia exportar para vários países do mundo um medicamento para a …

Exigência "irracional e insultuosa". Precários acusam Governo de os forçar a "mentir"

O formulário de apoio aos trabalhadores independentes obriga-os a garantir que retomarão a atividade dentro de oito dias. No último sábado, a Segurança Social disponibilizou o formulário de apoio aos trabalhadores independentes que deveria ter ficado …