Parlamento francês aprova propostas de lei contra palmadas às crianças

55Laney69 / Flickr

O Parlamento francês adotou na noite de quinta-feira uma proposta de lei que visa proibir “as violências educativas ordinárias”. O texto do partido centrista MoDem foi adotado com 51 votos a favor, um contra e três abstenções.

O projeto de lei ainda terá ainda que passar por outros processos legislativos, bem como pelo Senado, antes de ser adotado definitivamente. O documento não prevê novas sanções penais das já existentes no código francês.

De acordo com dados da organização Fondation pour l’Enfance, citados pelo jornal Público, 85% dos pais franceses batem nos seus filhos, na alçada da “violência educativa”. A proposta do MoDem pede, desta forma, que o Governo francês faça uma “análise situacional” antes de setembro de 2019.

Segundo Maud Petit, a deputada que redigiu o decreto, a lei tem um objetivo “pedagógico”, que visa que os pais deixem de utilizar punições corporais para educar os seus filhos.

“É uma escolha de sociedade”, declarou a deputada Alice Thourot, do partido República em Marcha, do presidente francês, Emmanuel Macron. O texto prevê que o Código Civil inclua a frase: “a autoridade dos pais deve ser exercida sem violências físicas ou psicológicas”.

Também a ministra da Saúde, Agnès Buzyn, mostrou apoio à proposta de lei: “Não se educa através do medo”, afirmou. Para Buzyn, esta violência, “supostamente educativa”, tem “consequências desastrosas no desenvolvimento das crianças”.

A ministra que tutela a Saúde defendeu ainda que, ainda que caiba aos pais o papel principal na educação das crianças, “o Estado tem como missão proteger a dignidade e a integridade” das mesmas.

O debate na Assembleia foi moderado. Apenas um deputado do partido de direita Os Republicanos, Raphael Schellenberger, criticou o tempo desperdiçado pelos deptudados com a análise do documento. “A intenção é boa”, disse, mas, acrescentou, a lei é mais simbólica do que essencial. O deputado criticou ainda “o marketing” em torno do projeto.

A única deputada a votar contra a lei foi Emmanuelle Ménard, representante do partido de extrema direita Reagrupamento Nacional, de Marine Le Pen. Segundo Ménard, a proibição da palmada “retira dos pais certas prerrogativas” na educação dos filhos e o texto considera os franceses como “imbecis”.

Caso passe no Senado, a França vai tornar-se o 55.° país a proibir totalmente os castigos corporais. O país foi já sancionado várias vezes por não estar em conformidade com as leis internacionais. Em 2015, recebeu “um puxão de orelhas” da Comissão Europeia.

ZAP // RFI

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma coisa é a violência, outra é a educação…. Acho que se anda a baralhar tudo isto… Mais uma modinha para tornar as crianças ainda mais irresponsáveis.

RESPONDER

Selfies estão a destruir muralha romana considerada Património Mundial da UNESCO

Uma parte da antiga Muralha de Adriano, no Reino Unido, está a colapsar por causa dos turistas que procuram o local para tirar selfies. O monumento, que em 1987 foi considerado Património Mundial da UNESCO, inspirou …

Carros vão mudar mais numa década do que aquilo que mudaram num século

Embora a aparência dos carros tenha mudado nos últimos cem anos, a maneira como os conduzimos pouco ou nada mudou. Contudo, acredita-se que na próxima década, além da forma como se movimentam ser diferente, também …

São Francisco lidera ranking das cidades onde se recebe melhor

O American Dream está claramente destacado no ranking das cidades onde se recebe melhor, mas há alguns "intrusos" no meio desta lista. Das dez cidades eleitas, há apenas quatro europeias. Apenas três continentes estão representados no …

Em 30 anos, Amazónia perdeu 953 mil hectares de áreas protegidas

Nos últimos 30 anos, a Amazónia perdeu 953 mil hectares em áreas pertencentes a unidades de conservação e terras indígenas que deveriam estar preservadas. A Amazónia brasileira perdeu 953 mil quilómetros em áreas que foram desflorestadas …

Mulheres e meninas norte-coreanas forçadas a prostituir-se e a casar-se na China

Mulheres e meninas norte-coreanas são coagidas, vendidas ou raptadas na China ou traficadas diretamente da Coreia do Norte, denuncia a Korea Future Initiative. As mulheres são forçadas a casar-se, violadas e sujeitas a outros tipos …

Trump corta financiamento para centros de investigação de saúde infantil

A administração de Trump está a terminar o financiamento para uma rede de centro de investigação focados em ameaças ambientais para crianças, colocando em risco vários estudos de longa data sobre os efeitos dos poluentes …

PJ detém ex-diretor da Santa Casa de Ponte de Sor

Um antigo diretor e contabilista de uma Santa Casa da Misericórdia do distrito de Portalegre foi esta quarta-feira detido pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeitas dos crimes de peculato e participação económica em negócio, foi …

Costa diz que só soube do memorando de Tancos no dia da demissão de Azeredo

O primeiro-ministro, António Costa, diz que só soube do memorando da Polícia Judiciária Militar (PJM) sobre o assalto a Tancos no dia em que o então ministro da Defesa, Azeredo Lopes, apresentou a sua demissão. A …

Jasper Cillessen muito perto da baliza do Benfica

O guarda-redes do Barcelona Jasper Cillessen está muito perto de reforçar a baliza do Benfica, escreve o jornal Record esta quarta-feira. De acordo com o desportivo, o negócio ronda os 20 milhões de euros. O Benfica …

Brexit. Demissão no Governo deixa Theresa May por um fio

A ministra dos Assuntos Parlamentares britânica, Andrea Leadsom, anunciou esta quarta-feira a demissão do Governo em desacordo com o plano da primeira-ministra, Theresa May, para tentar aplicar o ‘Brexit'. "Não acreditamos que sejamos um Reino Unido …