Paris exige multa milionária ao Airbnb por “alugueres selvagens”

Paris entrou na Justiça contra a plataforma de aluguer temporário de casas e quartos Airbnb, exigindo que a empresa pague uma multa de 12,5 milhões de euros por oferecer hospedagem de maneira ilegal na capital francesa.

“Não podemos aceitar que o Airbnb e outros não respeitem a lei. Os nossos agentes de controlo contabilizaram mil anúncios ilegais, cada um passível de uma multa de 12,5 mil euros”, declarou a responsável parisiense, Anne Hidalgo, ao Le Journal du Dimanche este domingo.

Hidalgo explicou que o objetivo da multa, que descreveu como recorde, é “acabar com os alugueres selvagens que descaracterizam alguns bairros de Paris”.

Apesar de dizer não ter nada contra o facto de parisienses alugarem os seus apartamentos por alguns dias no ano para pagarem as contas, a responsável considerou que “o problema são os proprietários de vários imóveis que alugam apartamentos a turistas durante o ano inteiro sem declará-los”, assim como as “plataformas cúmplices” que acolhem tais anúncios.

A capital francesa sustenta-se na lei de habitação aprovada em dezembro de 2018 e conhecida como lei Elan, que estipula sanções contra as plataformas de Internet que publicam anúncios ilegais. A lei limita o aluguer de uma residência a 120 dias por ano e exige que o imóvel tenha um número de registo na capital.

As autoridades parisienses entraram com uma ação na Justiça contra o Airbnb na última sexta-feira, segundo documentos aos quais a agência de notícias AFP teve acesso, confirmando as informações noticiadas pelo Le Journal du Dimanche.

O Airbnb assegurou à AFP já ter tomado medidas adequadas para “ajudar os hóspedes parisienses a alugar o seu alojamento em conformidade com as regras aplicáveis e em conformidade com a regulamentação europeia”.

A empresa considera que os regulamentos implementados em Paris são “ineficazes, desproporcionais e contrários aos regulamentos europeus“, segundo os quais a plataforma não poderia “vigiar de forma contínua” a atividade dos seus usuários.

A companhia disse esperar poder trabalhar com todos os envolvidos em busca de “soluções verdadeiramente adaptadas às cidades francesas e aos seus habitantes”. Hidalgo, por sua vez, afirmou não querer que Paris acabe como Veneza ou Barcelona, “onde a população está contra os visitantes”.

Esta não é a primeira vez que Paris leva o Airbnb à Justiça. A 5 de março deve ser proferida a decisão sobre um processo no qual a cidade pede que a plataforma retire os anúncios que não seguem as regras impostas pela legislação da cidade.

De acordo com dados municipais, 26 mil casas no centro da capital francesa anunciadas no Airbnb há alguns meses desapareceram do mercado de alugueres clássico. Além disso, a população parisiense está a diminuir, especialmente nos bairros mais procurados por turistas, segundo levantamentos do governo.

PARTILHAR

RESPONDER

Rússia vai permitir que astronautas levem armas em viagens espaciais

Os astronautas russos vão começar a levar consigo uma arma de fogo durante as suas viagens espaciais. O objetivo é poderem afastar animais selvagens quando aterrarem em áreas remotas na Terra. A Rússia começou a armar …

Hotel no Peru vai ser demolido porque destruiu muro da época Inca

A justiça peruana determinou a demolição de um hotel da rede Sheraton que estava em construção em Cusco, por ter destruído, durante as obras, muros incas de 500 anos numa região considerada Património Cultural da …

No Museu do Louvre, os guias turísticos vão ser refugiados sírios e iraquianos

O Museu do Louvre, em Paris, vai treinar refugiados sírios e iraquianos como guias turísticos para os visitantes que solicitam um tour em árabe. Para os refugiados e requerentes de asilo, é agora gratuito entrar no …

Casal inglês tem um bebé com 17 meses (mas recusa-se a dizer se é menino ou menina)

Há casais que não querem saber o sexo do filho antes do momento do parto. Mas para um casal inglês, o parto da criança não acabou com o mistério em relação ao género. Decididos a proteger …

Costinha obrigou Maniche a corrigir livro por causa da história da camisola rasgada

O ex-internacional português Costinha processou o amigo e ex-colega de equipa no FC Porto Maniche por causa do livro "MANICHE 18, As Histórias (ainda) não contadas". Nele, Maniche conta que foi Costinha quem rasgou a …

Coimbra não foi a única a eliminar a carne de vaca. Universidade de Cambridge foi a primeira

A Universidade de Cambridge, no Reino Unido, foi a primeira a dar passos no sentido de eliminar a carne de vaca dentro da instituição e já conseguiu reduzir a sua pegada de carbono em um …

Depois do 4-2-4 contra Costa, Rio muda a táctica para conquistar indecisos

A prestação de Rui Rio nos debates televisivos, nomeadamente contra António Costa, correu muito melhor do que se esperava no seio do PSD. O presidente social-democrata jogou ao ataque, "em 4-2-4" contra o líder do …

Jogadores do Porto irritados com fúrias de Sérgio Conceição

Os jogadores do FC Porto estão incomodados com os ataques de fúria do seu treinador, Sérgio Conceição, que em alguns casos já levaram a situações de humilhação pública. O caso mais mediático foi o de …

Prejuízos na TAP agravam-se e podem afastar Neeleman. Governo já procura novo comprador

A TAP apresentou prejuízos de cerca de 119 milhões de euros no primeiro semestre de 2019, um agravamento de 29 milhões relativamente a 2018. São os resultados negativos mais elevados desde a privatização da companhia …

"Deixem as vacas em paz!" Marcado mega churrasco de protesto na Universidade de Coimbra

Continuam a chover críticas à Universidade de Coimbra depois da decisão de banir a carne de vaca das cantinas. Associações do sector da produção bovina apelam a que se "deixem as vacas em paz" e …