Pandemia tornou a carne num “alimento de ricos” nos Estados Unidos

A pandemia tornou a carne num “alimento de ricos” nos Estados Unidos, avança a agência Bloomberg, que retrata as dificuldades de produtores e consumidores.

Nos Estados Unidos, a pandemia de covid-19 – que soma já mais de um milhão de infeções e mais de 80.000 vítimas mortais – reduziu a capacidade dos produtores de carne do país, transformando a cadeia de suprimentos de alimentos à base de carne.

De acordo com a Bloomberg, há muitas empresas com défice de carne nos Estados Unidos e, em simultâneo, há em abundância uma variedade de carnes “especiais”, mais caras, que costumam ser compradas por pessoas com maior poder de compra.

A produção de variedades consideradas de luxo – como a carne de porco capim e frango do campo, por exemplo – aumentou, enquanto que empresas de grande distribuição Tyson Foods e Cargill estão a produzir até menos 40% de carne bovina e porco convencional.

Esta situação faz com que os norte-americanos com rendimentos mais baixos tenham dificuldade a encontrar carne, havendo vários supermercados com racionamento deste tipo de produtos. Do outro lado, os norte-americanos com mais possibilidades continuam a ter em abundância estes produtos que custam o dobro ou até mais do que os produtos ditos convencionais, escreve ainda a agência noticiosa.

“Definitivamente, há aqui uma oportunidade para os mercados de nicho emergirem como uma componente maior”, explicou Ryan Bernstein, vice-presidente sénior da McGuireWoods Consulting, que também opera uma quinta na Dakota do Norte.

Contudo, para as famílias com menos possibilidades, “há um problema duplo”. Bernstein explicou que estes agregados estão perante um problema de preço e disponibilidade. “E, claro, se tens rendimentos mais baixos, és mais sensível às mudanças de preço”.

O que explica o desequilíbrio?

Este desequilíbrio na produção das variedades de carne pode estar relacionado com o facto de a covid-19 estar a atingir os trabalhadores das fábricas que produzem os produtos convencionais, que são normalmente pessoas com rendimentos mais baixos.

Cerca de 44% destes trabalhadores são hispânicos e um quatro é afro-americano, dois dos grupos demográficos mais vulneráveis à pandemia nos Estados Unidos.

A agência recorda ainda, citando dados da União Internacional dos Trabalhadores em Alimentação e Comércio, que pelo menos 30 trabalhadores do setor morreram com a covid-19, havendo mais de 10.000 infetados ou expostos ao vírus.

Os mesmo dados mostram que cerca de trinta fábricas que produzem carne em todo o território fecharam durante algum tempo nos últimos dois meses.

Tal como escreve a Bloomberg, há uma imensa quantidade de carne disponível nos Estados Unidos – para todos aqueles que a possam comprar.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

É a quantidade de alimento que determina quem se torna a abelha-rainha

Um novo estudo sugere que é a quantidade de alimento, e não a sua qualidade, como se pensava até agora, que determina quem se torna a abelha-rainha. Quais são os fatores que determinam qual é a …

Em Miami e Nova Iorque, os polícias ajoelharam-se por George Floyd

Em Miami e em Nova Iorque, alguns agentes da autoridade juntaram-se aos manifestantes por breves momentos, para mostrar o seu respeito pela memória de George Floyd. Nos Estados Unidos, os protestos pela morte de George Floyd …

A Nova Zelândia está em cima de uma enorme bolha de lava

A Nova Zelândia situa-se no topo dos restos de uma pluma vulcânica gigante. Este processo é o responsável pela atividade vulcânica e desempenha um papel fundamental no funcionamento do nosso planeta. Nos anos 70, vários cientistas …

Petição busca estatuto de vítima para crianças em contexto de violência doméstica

Uma petição lançada na sexta-feria que reivindica a criação do estatuto de vítima para as crianças que vivem em contexto familiar de violência doméstica já foi assinada por mais de 1300 pessoas, entre elas personalidades …

Assimétrica e flutuante. A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai "nascer" em 48 horas

A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai estar pronta no próximo mês para demonstrar a velocidade e a eficácia de uma técnica de construção que será sete vezes mais rápida e terá …

Anonymous garantem que princesa Diana foi assassinada para abafar caso Epstein

O movimento internacional de ciberativistas Anonymous - ou alguém que alega operar em seu nome - garante que a princesa Diana, que morreu num acidente de viação em agosto de 1997, foi, na verdade, assassinada …

Empresa de mineração pede desculpa por destruir cavernas sagradas aborígenes

A empresa mineira Rio Tinto admitiu que destruiu as cavernas pré-históricas que eram locais de culto para os aborígenes australianos e pediu desculpa. As cavernas de pedra Juukan Gorge 1 e 2 – dois locais de …

Itália exige "respeito": vai abrir fronteiras, mas excluir países que impõem restrições a italianos

Apesar de acredita "no espírito europeu", o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano sublinhou que o país está pronto "para fechar as fronteiras" àqueles que não o respeitem. A Itália vai abrir as suas fronteiras internacionais a …

As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este "inimigo invisível" veio trazer à tona as fragilidades do país. As Forças Armadas da …

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …