Boato nas redes sociais provocou linchamento de pai de jovem acusado de violação

(dr)

A casa do acusado de violação foi incendiada pelos vizinhos.

Tudo começou com um crime horrendo: um menino de 12 anos voltava da escola num bairro pobre da cidade de Comodoro Rivadavia, no sul da Argentina, quando foi atacado por um homem com uma faca. A criança foi levada para um terreno, onde foi violada.

Horas mais tarde, um grupo de 50 moradores da cidade foi até a casa do suposto agressor, um jovem de 21 anos, mas não o encontraram. O pai do suspeito, um homem de 48 anos, acabou por ser espancado pela multidão e, depois, atirado para uma fogueira. O homem ainda tentou fugir, mas acabou por morrer.

O grupo de moradores reuniu-se depois de mensagens nas redes sociais e grupos de Whatsapp identificarem o rapaz de 21 anos como autor da violação. O jovem conseguiu esconder-se, já que tinha sido alertado que uma pequena multidão se dirigia até à sua casa para se vingar do crime.

No entanto, a multidão não sabia que a vítima da violação, a criança de 12 anos, tinha negado que o jovem era o autor do crime. O episódio aconteceu na segunda-feira e, nesta sexta-feira, a polícia afirmou que quatro pessoas foram detidas — três homens e uma mulher. A polícia argentina ainda não identificou quem foi o autor da violação.

Dois agentes da polícia estavam presentes durante o linchamento do pai do jovem, mas, segundo o chefe da polícia local, os agentes “nada puderam fazer para impedir a fúria da multidão”.

“A informação de quem era o violador da criança começou a circular de forma distorcida”, disse Martín Cárcamo, Procurador da República, ao site de notícias Infobae.

Segundo o Procurador, moradores do bairro Fracción 14 receberam a informação de que o violador era um jovem de 21 anos, vizinho da região onde ocorreu o crime, e que já tinha entrado várias vezes em confrontos com os habitantes locais.

A multidão acreditava que o autor do crime tinha antecedentes por crimes sexuais, mas, segundo o Cárcamo, o jovem apontado como violador não tinha nada no seu registo criminal. Segundo Martín Cárcamo, o rapaz precisou de ser escoltado pela polícia e depois levado à esquadra para evitar que também fosse atacado pela multidão.

O suspeito “estava a trabalhar” na hora do crime

A polícia também negou que ele tivesse violado a criança de 12 anos. “Confirmamos que, no momento do abuso contra a criança, o jovem estava a trabalhar“, disse Federico Massoni, ministro do governador da província de Chubut, na Patagónia.

Segundo Federico Massoni, “o que aconteceu foi uma loucura total, produto do uso irresponsável das redes sociais, que apontou uma pessoa de forma errada”.

O subchefe da polícia de Chubut, Néstor Gómez Ocampo, detalhou a crueldade com que a multidão agiu. Segundo o agente policial, as pessoas conseguiram retirar o pai do jovem das mãos da polícia — os polícias teriam impedido que o homem fosse atropelado. Ocampo disse que um dos agressores “tentou amarrar o homem com uma corda para arrastá-lo pela rua”, mas a polícia impediu que tal acontecesse.

O Ministério Público de Comodoro Rivadavia realçou que o linchamento “dificultou” as investigações da violação da criança, podendo inclusivamente ter eliminado provas. Enquanto isso, as autoridades de Chubut informaram que iniciaram uma investigação “para determinar a responsabilidade da polícia” no incidente.

Esta sexta-feira, o jornal Clarín informou que uma juíza de Comodoro Rivadavia decidiu suspender as saídas temporárias de um recluso condenado por violação, que tinha permissão para sair da prisão para frequentar a universidade. A juíza tinha recebido ameaças de linchamento. A magistrada destacou ainda que as mensagens que circularam nas redes sociais “pediam para matá-lo“.

ZAP // BBC

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Esta humanidade está cada vez mais corrompida. Querem fazer “justiça” pelas próprias mãos, sem procurarem saber primeiro a realidade dos factos. Morre pessoas inocentes assim… Acham justo? Para quê tanto sofrimento e morte?
    Se existe polícias, advogados e juízes (e me refiro aos que merecem realmente ser assim designados, pois há muitos que confiáveis, porém não creio que sejam a maioria) para alguma cousa é, certo?
    Então sendo assim que direito temos nós (que é como quem diz, certos indivíduos!) de fazer linchamentos?
    Haja mais respeito pelas pessoas, pelas autoridades competentes (quando o são…), pois nada justifica aquele tipo de atitudes.
    Não sou a favor de violações sexuais, mas tampouco sou a favor dos crimes de linchamento ou de honra! Da mesma maneira sou contra a morte de pessoas inocentes.
    Basta de ódio, preconceito, violência, bullying, assassinatos, vinganças, tortura… Basta!

  2. Talvez sejahora de re-instituir a censura e bloquear alguns sítios / aplicações. Mas isso sou só eu que não entendo nada do assunto

  3. Não controlem as redes sociais e continuem a ver este tipo de coisas a acontecer. Todo e qualquer ignorante pode tentar uma destas para se vingar de quem quiser. E às vezes pega e acontecem estes crimes horrendos.

RESPONDER

Bancos querem passar a cobrar por grandes depósitos. Particulares escapam

BCP, Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos defendem que é preciso cobrar aos grandes clientes por depósitos de grande dimensão. Particulares e pequenas e médias empresas escapariam desta medida. A ideia foi lançada pelo …

Filho de Bolsonaro já não vai ser embaixador em Washington

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente do Brasil, anunciou na terça-feira, na Câmara dos Deputados, que desistiu da sua indicação para embaixador do país em Washington, nos Estados Unidos (EUA). Na véspera, Jair Bolsonaro, que …

OE2020. Catarina Martins critica chantagem da Comissão Europeia a cada ano

A coordenadora do Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira a chantagem da Comissão Europeia em relação a Portugal repetida a cada legislatura e a cada ano, reiterando a disponibilidade "para negociar um Orçamento do Estado …

Maior parte das escolas não cumprem lei de 2009 sobre a educação sexual

Grande parte das escolas não está a cumprir a lei de 2009 que define como deve ser dada a educação sexual no ensino obrigatório, do 1.º ao 12.º ano de escolaridade. A conclusão surge num relatório …

Pouco poder, mas algum. Deputados únicos podem desencadear revisão da Constituição

Os deputados únicos não têm poder para pedir a votação do programa de Governo, ao contrário dos grupos parlamentares, nem podem sozinhos censurar o Executivo, mas podem desencadear, como qualquer parlamentar, um processo de revisão …

Funcionários públicos esperam entre 100 e 280 dias para se poderem reformar. Processo pode ser acompanhado online

A atribuição das novas pensões de reforma aos funcionários públicos está a demorar, em média, entre 100 a 280 dias - ou seja, entre três e mais de nove meses. A revelação foi feita esta terça-feira, …

"Onde está o Varandas?". Claques não faltaram à vitória do Sporting em hóquei em patins

Apesar das quebras de protocolos, Juventude Leonina e Diretivo Ultras XXI marcaram presença no jogo desta terça-feira de hóquei em patins entre o Sporting e a Oliveirense. Na noite desta terça-feira, o Pavilhão João Rocha foi …

Do azedume às contas do passado. Críticos internos atacam Rio

Depois de Rui Rio ter anunciado esta segunda-feira que se recandidata à liderança do PSD, os críticos internos vieram a público. Acusam-no de querer dividir o partido e ajustar contas com o passado e esperam …

"Acho ridículo que sejam feitas obras, portas ou não", diz Ventura

O CDS que não quer o líder do Chega no meio dos seus deputados e a solução pode mesmo passar por abrir uma porta especial para o deputado. "Acho ridículo", comenta André Ventura. Na última conferência …

Duas vitórias em 14 jogos. Benfica quer travar o calvário da Champions

O Benfica recebe esta quarta-feira o Lyon, estando praticamente obrigado a ganhar para seguir em frente na competição milionária. Apesar de reconhecer a dificuldade, Rúben Dias acredita os encarnados vão voltar aos bons resultados. A …