Open Arms. Procurador siciliano ordena apreensão do navio e desembarque imediato dos ocupantes

Luigi Patronaggio, o procurador da cidade de Agrigento, na Sicília, ordenou esta terça-feira a apreensão do navio Open Arms e o desembarque imediato dos quase 100 migrantes africanos que este levava a bordo.

O jurista, que está a investigar um suposto crime de sequestro pela recusa do ministro do Interior italiano Matteo Salvini em permitir o desembarque de migrantes, tomou a decisão após visitar o navio, que está em alto mar há 19 dias e que se encontra, desde a sexta-feira passada, ancorado a apenas 800 metros da ilha italiana de Lampedusa, contou o El País, citado pela Rádio Observador.

“A situação no barco é explosiva, de máxima urgência”, declarou o mesmo Luigi Patronaggio, ao descrever aquilo que encontrou a bordo.

A decisão da justiça italiana conheceu-se poucas horas depois do Governo espanhol ter decidido enviar para Lampedusa o barco militar “Audaz” para recolher a centena de migrantes que ainda permaneciam a bordo deste Open Arms.

“Depois de analisar diversas opções, o Governo de Espanha, de acordo com as recomendações da sua Armada, considera que esta é a mais adequada e melhor posicionada para resolver ainda esta semana a emergência humanitária que se está a viver a bordo [da dita embarcação]”, lia-se num comunicado emitido pela Moncloa.

Mais nove pessoas lançaram-se ao mar

Nove migrantes entre os cerca de 100 que estão a bordo do Open Arms lançaram-se ao mar esta terça-feira para tentar nadar os 800 metros de distância que os separam da ilha italiana de Lampedusa.

“Nove pessoas lançaram-se à água numa tentativa desesperada de chegar à costa de Lampedusa. Os nossos socorristas e agentes da Guarda Costeira italiana estão a tentar resgatá-los”, disse a Open Arms nas redes sociais, acrescentando que “a situação está fora de controlo”.

Estes não foram os primeiros migrantes deste navio a lançarem-se ao mar, desde que o Open Arms está ancorado perto de Lampedusa à espera de uma solução, mas este foi o grupo maior.

Vídeos amadores que têm sido publicados nas redes sociais mostram pessoas com coletes salva-vidas cor de laranja a flutuar no mar, alguns em grupo e outros sozinhos, e um navio da Guarda Costeira e botes de borracha próximo a tentar alcançá-los.

https://twitter.com/openarms_fund/status/1163742241225154560?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1163742241225154560&ref_url=https%3A%2F%2Fobservador.pt%2F2019%2F08%2F20%2Fnove-pessoas-do-open-arms-lancaram-se-ao-mar-para-nadar-ate-italia%2F

 

O incidente surgiu depois de um outro homem se ter lançado ao mar no início do dia. O migrante foi resgatado pela Guarda Costeira, mas recusou-se a regressar ao Open Arms.

O impasse com a Itália está no seu 19.º dia, já que o ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, recusa permitir que o navio espanhol tenha acesso a um porto seguro em Itália, apesar de outros países europeus se terem oferecido para acolher os migrantes.

Ainda assim, a ONG recebeu esta terça-feira autorização para desembarcar oito pessoas “a necessitar de ajuda urgente”, entre as 107 que estão retidas ao largo da costa italiana há 19 dias.

https://twitter.com/openarms_fund/status/1163745352085835776?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1163745352085835776&ref_url=https%3A%2F%2Fobservador.pt%2F2019%2F08%2F20%2Fnove-pessoas-do-open-arms-lancaram-se-ao-mar-para-nadar-ate-italia%2F

“Quem não quer ver a situação insustentável a bordo é porque é incapaz de sentir empatia pela dor alheia”, escreveu a organização, depois de informar que a retirada destas pessoas, cuja situação e condições não foram reveladas, foi “autorizada”, noticiou a agência de notícias espanhola Efe.

A crise da Open Arms, que mantém mais de 100 pessoas bloqueadas no mar, agudizou a tensão entre os governos de Espanha e Itália, e destes com a própria ONG, que rejeitou a possibilidade de rumar às Baleares e já propôs levar os viajantes de avião para Espanha.

No domingo, o capitão do navio humanitário rejeitou as “inviáveis” ofertas do Governo espanhol para navegar até ao porto de Algeciras, primeiro, e depois a algum das ilhas Baleares – em Maiorca ou Menorca -, devido à situação “desesperada” que se vive a bordo.

A tripulação alegou a impossibilidade de assumir mais alguns dias de travessia com 107 pessoas em condições extremas, amontoadas no convés com ataques de ansiedade, lutas e até alguns migrantes resgatados a atirarem-se ao mar.

  TP, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. É difícil de aceitar, tantas tecnologias bestiais e a besta humana não consegue resolver problemas simples acontecendo ao redor do mundo. Muito mais seguro e corretíssimo seria acabar com a degradação humana imposta por mentes criminosas erguidas no poder político. Neste momento é obrigar a embarcação fazer meia volta para seguir todos de volta prá casa. Obs: si as criaturas tem capacidades para enfrentar tamanhos desafios, que faça valer esses desempenhos lutando com o seu país, e não buscando paz e amor em outra casa.

RESPONDER

Pela primeira vez, o Princípio da Equivalência de Einstein foi verificado em quasares

Investigadores conseguiram medir o desvio para o vermelho gravitacional em quasares e assim estender o teste a regiões muito distantes de onde a luz foi emitida quando o nosso Universo era jovem. De acordo com a …

Cogumelos laminados

O consumo de cogumelos pode diminuir o risco de depressão

Além de reduzirem o risco de cancro e morte prematura, os cogumelos podem beneficiar a saúde mental de uma pessoa. Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina de Penn State, nos Estados Unidos, analisou dados …

Os hipopótamos de Pablo Escobar começaram a ser esterilizados

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do indesejado legado deixado na Colômbia pelo traficante de droga Pablo Escobar, está a ser esterilizado. Quando o Cartel de Medellín estava no seu auge, Pablo Escobar gastou parte …

Ian Brackenbury Channell, o "feiticeiro de Christchurch"

Duas décadas depois, uma cidade neozelandesa decidiu despedir o seu feiticeiro

Vinte e três anos depois, a autarquia de Christchurch, na Nova Zelândia, decidiu despedir Ian Brackenbury Channell, o famoso feiticeiro da cidade. Desde 1998 que Ian Brackenbury Channell era o "feiticeiro de Christchurch", sendo responsável por …

Um dos microscópios de Darwin vai a leilão. Esteve nas mãos da sua família durante quase 200 anos

Um microscópio que Charles Darwin ofereceu ao filho Leonard - e que esteve nas mãos da sua família ao longo de quase 200 anos - vai ser leiloado em dezembro e poderá valer cerca de …

Pedro Sánchez promete abolir a prostituição em Espanha, por considerar que esta "escraviza" as mulheres

Espanha é um dos países europeus com mais trabalhadoras na indústria do sexo, as quais são sobretudo originárias de países da Europa mais pobres, da América Latina e de África. O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez anunciou …

"Um milagre". Dois jovens sobreviveram quase uma semana no deserto australiano

Dois jovens, de 14 e 21 anos, sobreviveram durante quase uma semana no deserto, sem água e sem comida, depois de se terem perdido no Território do Norte, na Austrália. A polícia fala num verdadeiro …

Carlos Moedas

Moedas vai "dar tudo como presidente" e exige que seja respeitada a legitimidade do seu mandato

Carlos Moedas tomou posse, esta segunda-feira, como novo presidente da Câmara de Lisboa, tendo falado dos objetivos para o próximo quadriénio e deixado um elogio ao seu antecessor e alguns avisos à esquerda. Depois dos cumprimentos …

Chanceler austríaco Sebastian Kurz

Sondagens falsas e notícias favoráveis. O lado negro de Sebastian Kurz foi desmascarado

Sebastian Kurz e pessoas que lhe são próximas foram acusados de tentar garantir a sua ascensão à liderança do partido e do país com a ajuda de sondagens manipuladas e notícias favoráveis na imprensa, financiadas …

Tem uma carreira de sonho na Nike, mas cometeu um homicídio há 65 anos

O presidente da Jordan Brand, Larry Miller, revelou que, há 56 anos, matou um adolescente nas ruas de Filadélfia, nos Estados Unidos. O presidente da Jordan Brand — marca do ex-jogador de basquetebol Michael Jordan — …