Observatório de Canábis Medicinal está a reunir verbas para dar formação a médicos

O Observatório Português de Canábis Medicinal (OPCM) está a reunir verbas para dar formação aos médicos sobre a prescrição de medicamentos, preparações e substâncias à base desta planta, apesar de esta estar prevista na lei.

“Existe uma lei, existe uma regulamentação, existe uma lista de patologias do Infarmed e os médicos continuam a recusar-se a ajudar os pacientes porque dizem que não há produto na farmácia”, disse a presidente do observatório, Carla Dias, que falava à agência Lusa a propósito dos seis meses da entrada em vigor da lei que regulamenta a canábis medicinal.

Para Carla Dias, é fundamental os médicos terem formação para ajudar os doentes que melhoram com o óleo de canabidiol (CHB), um dos componentes da canábis.

“Há pessoas em cuidados paliativos e crianças que estão a melhorar com CHB sem ajuda médica. [Por isso], eu acho que é muito importante os médicos terem formação e não andarem a dizer às pessoas, coisas como nós ouvimos no observatório todos os dias”, contou a responsável.

Segundo indicou, todos os dias chegam ao observatório queixas de doentes a relatar, entre outras situações, que há profissionais de saúde que continuam a dizer que “a canábis é uma droga”.

Carla Dias relatou igualmente que, “na semana passada, foi dito num hospital português a uma mãe que os pais na altura em que eram novos não fumaram as ‘ganzas’ e agora querem dar aos filhos. Isto não se diz a um paciente porque está comprovado que tem indicações terapêuticas”.

“Ninguém dá droga aos filhos, eu não dou droga à minha filha”, lamentou Carla Dias, que é mãe de uma menina de dois anos com epilepsia refratária, cujo estado de saúde “melhorar substancialmente” com o uso de óleo de canábis.

“Os portugueses já não olham para a canábis como uma droga e os profissionais de saúde que deviam ser os primeiros admitir as propriedades terapêuticas dizem isto aos pacientes. Isto é inacreditável”, vincou.

Para inverter esta situação, o OPCM está a angariar verbas para dar formação aos profissionais de saúde. De acordo com a responsável, esta formação vai ser dada por profissionais, investigadores, médicos internacionais que participaram em ensaios clínicos, em estudos e que têm muita experiência na prescrição do óleo de canábis medicinal.

“O primeiro momento de formação” vai ser na conferência Portugal Medical Cannabis 2019, que decorrerá em Lisboa em 08 e 09 de novembro e no Porto nos dias 22 e 23 do mesmo mês. O observatório está também a reunir um grupo de profissionais de saúde para realizar ‘workshops’ em “locais chave”, principalmente no Porto, Lisboa e Coimbra.

Até ao final do ano, o OPCM pretende criar bolsas de investigação para os investigadores que estiverem interessados em fazer investigação sobre a planta canábis.

Para isso, está a construir uma base de dados de pacientes. “É muito importante que os pacientes vão ao nosso ‘site’ [www.OPCM.pt] e preencham o formulário”, que é confidencial, para informarem se estão a utilizar ou não canábis e para que patologia.

“Nós queremos saber que temos x pessoas a tomar para estas patologias e ter o seu contacto para as podermos contactar e serem ajudadas por médicos” quando “as bolsas de investigação estiverem a funcionar em pleno”. O objetivo é que, através destas bolsas de investigação, sejam estabelecidas parcerias com hospitais e universidades.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Resultados de Centeno são bons, mas o caminho para lá chegar não"

Assunção Cristas, líder do CDS, admitiu em entrevista ao Jornal de Negócios que os resultados do ministro das Finanças, Mário Centeno, são bons, mas a forma como foram alcançados não. Se a ex-professora universitária tivesse de …

Irão vai permitir que mulheres entrem nos estádios

A jovem iraniana Sahar Khodayari, de 29 anos, imolou-se em frente a um tribunal de Teerão depois de ter sido condenada a seis meses de prisão por tentar ir a um jogo. A sua morte …

Thomas Cook anuncia falência e obriga a repatriamento maciço de 600 mil turistas

O operador turístico britânico Thomas Cook anunciou falência depois de não ter conseguido encontrar, durante o fim de semana, fundos necessários para garantir a sua sobrevivência e, por isso, entrará em “liquidação imediata”. “Apesar dos esforços …

Dar à luz era mais fácil há 2 milhões de anos

Como humanos modernos, desenvolvemos a habilidade de caminhar em duas pernas e temos cérebros grandes. Estas características ajudam-nos a chegar à prateleira de cima e a resolver quebra-cabeças - mas vêm com um preço. As nossas …

Lotes de medicamentos para azia com possível carcinogénio retirados do mercado

O Infarmed ordenou este sábado a recolha e retirada imediata de uma série de lotes de medicamentos protetores gástricos contendo o princípio ativo ranitidina do mercado, depois de ter sido detetada a presença de uma …

Ator de Star Trek morre aos 50 anos

Aron Eisenberg, o Nog de Star Trek: Deep Space Nine, morreu este sábado, com apenas 50 anos. A causa de morte do ator ainda não foi revelada. Morreu Aron Eisenberg, ator que interpretou a personagem Nog, …

Mesmo que não beba, o seu fígado pode sofrer danos causados por álcool

A lesão hepática é uma das consequências bem conhecidas do consumo excessivo de álcool. Mas nem sempre é preciso beber para sofrer delas. Algumas bactérias intestinais produzem álcool e podem danificar o nosso fígado sem lhe …

Colisão gigante de asteróides no Espaço provocou um boom de vida na Terra

Os asteróides desempenharam um "papel divino" na história da vida na Terra. Um novo estudo sugere que um gigantesco boom de biodiversidade na Terra, há cerca de 470 milhões de anos, poderá ter acontecido devido …

Alguns planetas podem orbitar um buraco negro supermassivo em vez de uma estrela

Estamos habituados à ideia de que um planeta orbita estrelas. No entanto, estes corpos celestes podem também existir em torno de buracos negros supermassivos. Os cientistas já haviam adotado a ideia de que há planetas a …

PSD a 3 deputados da maioria na Madeira. CDS afasta geringonças

Miguel Albuquerque, político experiente, apreciador de música e apaixonado por rosas, voltou hoje a vencer as eleições regionais da Madeira, mas tem agora pela frente a ‘espinhosa’ tarefa de negociar um entendimento que garanta estabilidade …