Obama diz que Trump é sintoma e não a causa da polarização

jmsloan / Flickr

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama

O ex-presidente dos Estados Unidos quebrou o silêncio e fez um discurso carregado de críticas ácidas ao seu sucessor, mencionando-o pelo nome pela primeira vez. Governo republicano promove “política de medo e ressentimento”, denuncia.

Num dos seus discursos de maior peso político desde que deixou a Casa Branca, o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama lançou, esta sexta-feira, uma série de críticas a Donald Trump, referindo-se ao governo do seu sucessor como uma “ameaça à democracia”.

Num discurso direcionado a estudantes na Universidade de Illinois, onde recebeu um prémio por ética no governo, Obama saiu de um período de silêncio político para antecipar temas que devem ser continuar a dar que falar durante a campanha do Partido Democrata para as eleições legislativas em novembro.

Assim, o ex-presidente não poupou ataques a Trump – às vezes mencionando-o pelo nome, algo inédito –, denunciando o líder republicano e os seus partidários por promoverem uma “política de medo e ressentimento” no governo do país.

Segundo Obama, algumas táticas empregadas pela atual gestão – como aproximar os Estados Unidos da Rússia, encorajar supremacistas brancos e politizar agências de aplicação da lei – representam uma ameaça sem precedentes ao futuro do país.

Apelar para tribos, apelar para o medo, colocar um grupo contra o outro, dizer às pessoas que a ordem e a segurança seriam restauradas se não fosse por aqueles que aparentam ser diferentes de nós, que não soam como nós ou não rezam como nós – isso é uma estratégia ultrapassada, é antiga como o tempo”, afirmou o democrata.

Isto tudo não começou com Donald Trump. Ele é um sintoma, e não a causa das políticas divisórias dos Estados Unidos”, acrescentou. “Trump está apenas a capitalizar ressentimentos que os políticos têm atiçado há muitos anos.”

Obama, então, destacou: “Quando há um vácuo na nossa democracia, quando não votamos, ou damos os nossos direitos e liberdades fundamentais como garantidos, a política de medo, ressentimento e contenção toma conta.”

De pé diante de uma multidão de jovens, o ex-presidente narrou o caos e a disfunção que caracterizam o governo Trump – e o que classificou como um consentimento republicano que permitiu o colapso das normas. “O que aconteceu com o Partido Republicano?”, indagou.

Não é conservador, e com certeza não é normal. É radical. Ao longo das últimas décadas, a política de divisão, ressentimento e paranoia infelizmente encontraram um lar no Partido Republicano”, denunciou o opositor.

Obama ainda alertou contra a ascensão da extrema direita e a proliferação de teorias conspiratórias – incluindo uma em torno de sua própria cidadania, que falsamente afirma que o ex-chefe de Estado não teria nascido nos Estados Unidos.

Criticou a postura de Trump diante da marcha de extremistas de direita em Charlottesville, no estado americano da Virgínia, em agosto de 2017, que acabou em confrontos violentos após grupos antirracismo saírem às ruas em contraprotesto. Na ocasião, o presidente disse que “houve culpa em ambos os lados” pela violência.

“Somos americanos. Devemos enfrentar os agressores, e não segui-los”, afirmou Obama. “Devemos enfrentar a discriminação e, com certeza, devemos posicionar-nos clara e inequivocamente contra simpatizantes do nazismo.

Um apelo para a ida às urnas

Diante de tais tensões, Obama ressaltou a importância das eleições deste ano e pediu aos jovens eleitores que canalizem as suas frustrações nas urnas, elegendo autoridades que reflitam a rica diversidade do país, e ajudem a recompor uma “democracia saudável”.

Estes são tempos extraordinários. E são tempos perigosos. Em dois meses, temos a oportunidade de restaurar algum semblante de sanidade para a nossa política”, declarou o democrata. “Há apenas uma forma de controlar os abusos de poder, e tem a ver convosco e com o vosso voto.”

Os Estados Unidos vão às urnas em novembro para eleições legislativas que definirão os seus deputados e senadores. O pleito ocorre sempre no meio do mandato de quatro anos do presidente, como forma de medir a satisfação da sociedade com a atual gestão. O voto não é obrigatório.

Os democratas almejam, assim, retomar o controlo do Congresso, formado atualmente por uma maioria republicana. Isto explica o tom mais ácido – e direto – adotado por Obama.

Desde que passou a chefia da Casa Branca para Trump, em janeiro de 2017, evitou mencionar o nome de seu sucessor em declarações ácidas, limitando-se a criticar medidas polémicas adotadas pelo republicano, como políticas migratórias restritivas e a saída de acordos internacionais importantes, incluindo o pacto nuclear iraniano e o Acordo de Paris sobre o clima.

Trump ironiza discurso de Obama

As declarações mais duras de Obama, no entanto, parecem não ter irritado Trump, que disse ter “sentido sono” ao ouvir o discurso de seu antecessor. “Sinto muito, eu assisti, mas fiquei com sono. Acredito que foi muito, muito bom para dormir”, afirmou.

Em ato eleitoral no estado de Dakota do Norte, o presidente ainda rebateu algumas das declarações proferidas por Obama, como a afirmação de que a boa situação da economia americana é resultado das políticas adotadas pelo governo democrata.

“Tenho que dizer ao presidente Obama: se os democratas tivessem chegado à presidência em novembro há quase dois anos, em vez de termos 4,2% de crescimento do PIB, estaríamos com 4,2% negativos”, afirmou Trump sobre a expansão da economia no segundo trimestre.

Apesar de ter acelerado ligeiramente nos últimos meses, a economia americana já estava num sólido caminho de crescimento nos últimos anos do governo Obama.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Infelizmente isto é uma realidade não só nos estados unidos.
    As democracias estão e vão falhar levando a que a venham a surgir regimes algo muito parecidos com “Ditaduras” ou “Fascismos” Democráticos.
    O problema da democracia é que deixou de ser baseada na liberdade e responsabilidade e passou a se basear na mentira e oportunismo.

RESPONDER

Afinal, o Espaço não é assim tão escuro. Há brilho de origem desconhecida

Uma equipa de cientistas usou a New Horizons para medir a luminosidade do Espaço profundo e os resultados surpreenderam-na. Há muito tempo que os cientistas tentam perceber qual a luminosidade do Espaço, se lhe retirarmos todas …

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …

Cientistas reconstruiram explosão de Beirute através das redes sociais

Cientistas forenses recorreram a imagens partilhadas nas redes sociais para reconstruirem a explosão de Beirute, em agosto, que matou 191 pessoas. A 4 de agosto, uma série de explosões causadas por 2.750 toneladas de nitrato de …

Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do …

Marselha 0-2 FC Porto | Dragão vence e abre porta dos "oitavos"

Basta apenas um ponto para que o FC Porto carimbe uma vaga nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Na noite desta quarta-feira, os “dragões” venceram o Marseille por 2-0 – com os contributos de Zaidu …

Mais de 100 mil crianças morreram com VIH e 320 mil ficaram infetadas. A pandemia pode piorar o cenário

De acordo com um relatório da UNICEF, a cada 100 segundos uma criança ou jovem com menos de 20 anos foi infetado pelo VIH no ano passado. Com os novos dados, o número total de …

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais. A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não …

Médicos sem Fronteiras deixam hospital da Venezuela devido a restrições

A Médicos sem Fronteiras (MSF) vai se retirar de uma colaboração com um hospital venezuelano que visa tratar pacientes com covid-19 devido a restrições na entrada de especialistas no país, informou a organização na terça-feira. A …

O novo amplificador de guitarra tem maior capacidade de encaixe (e é mais poderoso)

Em 2016, o engenheiro eletrónico Chris Prendergast lançou um projeto Kickstarter para o amplificador de guitarra portátil JamStack. Este encaixava-se num pino de correia e emitia sons gerados por um smartphone. Agora foi lançada a …